PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Distante da Libertadores, Santos junta forças para fechar ano com dignidade

Do UOL, em São Paulo

19/11/2018 04h00

A derrota para o América-MG no último domingo (18) praticamente acabou com as chances de o Santos estar na próxima edição da Copa Libertadores, já que são sete pontos de diferença para o Atlético-MG no Campeonato Brasileiro, que fecha a zona de classificação para o torneio continental no momento. Resta ao Alvinegro, agora, juntar forças para fechar o ano com dignidade.

Em paralelo a isso, Cuca terá três rodadas no fim do Brasileirão para ajustar a equipe e tentar entender o porquê da queda de rendimento nos últimos quatro jogos, em que o Peixe foi vencido por Palmeiras, Chapecoense, Flamengo e América-MG.

"Sou o comandante e quem responde é o comandante. Não sei dar um motivo de termos caído. De repente por ter chegado lá atrás, ter dado arrancada e chegado à luta, achou que já tinha feito obrigação, e não é assim. Futebol tem que provar todo dia, é roda gigante", afirmou o treinador após o revés em Belo Horizonte.

Cuca, que saiu em defesa dos jogadores e assumiu a responsabilidade pelo momento ruim, chegou ao clube com o objetivo de se afastar da zona do rebaixamento, e conseguiu – ele, inclusive, disse em mais de uma oportunidade que não era para pensar em Libertadores enquanto a prioridade era outra.

Ainda que matemáticas, as chances de o Peixe ficar entre os seis primeiros colocados do Brasileirão são remotas. Além de vencer os três jogos restantes, é necessário torcer para que o Galo não vença nenhum de seus jogos e por combinações de resultados das partidas de Atlético-PR e Botafogo. 

O discurso do treinador após a longa reunião entre elenco, comissão técnica e o presidente José Carlos Peres no vestiário do Independência, foi apoiado pelas falas dos atletas, a exemplos de Gustavo Henrique, na saída de campo, e Dodô, que praticamente jogou a toalha.

"É ser realista nesse momento (sobre Libertadores), terminar o ano com dignidade, não vamos conseguir essa vaga na Libertadores. Não estamos aqui para enganar o torcedor e nem nós mesmos. Podemos olhar no olho do torcedor e dizer que demos o máximo, saímos da décima oitava posição, num momento difícil, para sonhar com a vaga", disse o lateral.

Tentando reencontrar-se com a vitória após quatro derrotas consecutivas no Brasileirão, o Peixe receberá o embalado Botafogo na Vila Belmiro, na próxima quarta-feira (21), às 21h (de Brasília). Depois, fecha a temporada contra Atlético-MG e Sport.

Esporte