PUBLICIDADE
Topo

Esporte

R. Oliveira culpa juiz por derrota do Galo para o Palmeiras: "sempre aqui"

Do UOL, em Belo Horizonte

22/07/2018 18h16

O lance que originou o terceiro gol do Palmeiras no triunfo por 3 a 2 sobre o Atlético-MG, no Allianz Parque, pela 14ª rodada do Campeonato Brasileiro, gerou bastante reclamação dos jogadores atleticanos. Especialmente do atacante Ricardo Oliveira, que participou da jogada em que o árbitro Pericles Bassols marcou falta do camisa 9 do Galo em Edu Dracena.

Antes mesmo de o Palmeiras cobrar a falta, o técnico Thiago Larghi reclamou bastante da marcação. No entendimento dos atleticanos, a joga teria sido legal, uma disputa ombro com ombro. Na cobrança da falta, no meio de campo, o Palmeiras chegou ao terceiro gol, com Bruno Henrique, em falha grosseira do goleiro Victor.

Mesmo assim a bronca ficou toda em cima do árbitro da Federação Pernambucana de Futebol. Ricardo Oliveira deixou o gramado garantindo que não foi falta e se queixou da postura do juiz no estádio do adversário.

"Não foi falta. Asseguro que não foi falta. Estava protegendo a bola, que estava em disputa. Ele vem, bate e cai. É falta? Então vai ter que apitar um monte de falta no que eles fazem. Que critério é esse? Aqui, né? Sempre aqui", esbravejou Ricardo Oliveira, que reclamou bastante dos critérios adotados pelo juiz.

"Que critério é esse que os árbitros usam? A gente é puxando ali, não consegue jogar e ele não apita. A gente protege a bola, o Edu Dracena caiu sozinho. Eu protejo a bola e ele que bate aqui e cai. O juiz vai e dá a falta no lance do gol".

No fim da partida, os jogadores do Atlético cercaram o árbitro ainda no gramado. A reclamação rendeu a expulsão do volante Matheus Galdezani. Além dele, outro desfalque do Galo para o duelo com o Paraná, na próxima rodada, é o meia-atacante Luan, que recebeu o terceiro cartão amarelo.

Esporte