PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Salvador contra o Galo, Bruno Henrique dedica vitória do Palmeiras a Roger

Do UOL, em São Paulo (SP)

22/07/2018 18h21

Bruno Henrique tirou o Palmeiras do marasmo que havia provocado três empates nas últimas três rodadas e decidiu a vitória por 3 a 2 sobre o Atlético-MG neste domingo. O jogo no Allianz Parque, válido pela 14ª rodada do Campeonato Brasileiro, contou com um golaço de falta do volante, que ainda desempataria o duelo nos acréscimos em lance de oportunismo.

Mas, mais do que seu desempenho individual, o capitão alviverde exaltou a importância do resultado diante de um concorrente direto na tabela da Série A. A vitória suada levou os paulistas a empatarem com os mineiros com 23 pontos e entrarem no G4. O Galo só está na frente pelo número de triunfos: 7 a 6.

"Foi um jogo muito difícil, foi interessante, o Atlético-MG está muito bem na competição, estava três pontos na nossa frente, é um adversário direto. O que vale é a luta, o empenho que a equipe teve para buscar resultado. Essa vitória a gente dedica para o Roger (Machado, treinador)", valorizou o meio-campista.

A boa fase de Bruno Henrique passa por vários aspectos. Desde a liderança que o alçou a capitão e a vibração de contagia os companheiros, até o crescimento técnico sob o comando de Roger Machado. Ele tem sido um dos jogadores mais regulares do elenco e já soma nove gols na temporada mesmo sendo volante. O artilheiro do time é o atacante Borja, com 15.

"A gente sabe que a cobrança aqui é muito forte, mas o trabalho desde o começo do ano está sendo bem feito. Às vezes a gente passa por momentos que faltam algumas coisas para encaixar, e a cobrança vem muito forte. Estamos juntos com ele, é um cara sensacional que está fazendo um grande trabalho. É importante torcida, comissão e jogares estarem juntos para podermos crescer cada vez mais", analisou Bruno, bastante elogiado na entrevista de Roger Machado:

"Bruno vive um momento iluminado, muito pelos trabalhos dele desde o começo do ano. É um destaque positivo e é uma liderança. A faixa de capitão tem a ver com isso, ele me ajuda a compor do ponto de vista do que preciso em campo da entrega dele, mas da capacidade de poder organizar o time e passar orientações. A sequência com a faixa não é ocasional. É o capitão dpara este momento", disse o treinador.

O golaço sobre o Galo ainda quebrou jejum de três anos sem faltas convertidas pelo Palmeiras. O último havia saído em fevereiro de 2015, com o meia Robinho, diante do Capivariano, no Campeonato Paulista. Essa seca era referente apenas a jogos oficiais. No geral, o próprio Bruno já havia derrubado o tabu ao marcar de falta contra o Alajuelense, em amistoso na Costa Rica, em 8 de julho.

Esporte