PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Fábio colhe louros da boa sequência do Palmeiras mesmo sem Prass

Do UOL, em São Paulo

19/05/2014 06h00

Fábio foi eleito o substituto do lesionado Fernando Prass em uma escolha ousada da comissão técnica, que preteriu Bruno, mais experiente. Quatro jogos depois, o jovem de 24 anos se firma na posição com boas atuações e uma média baixa de gols sofridos.

“O Fábio foi fantástico, fez com que nós saíssemos vencedores”, disse Alberto Valentim, técnico interino do Palmeiras, logo após o 1 a 0 sobre o Vitória, em Salvador, no qual o goleiro foi apontado como o melhor jogador alviverde em campo.

“Goleiro não tem de escolher bola, tem de se virar. Só tenho a agradecer o apoio do Palmeiras. Todo mundo foi melhor em campo”, disse Fábio, mantendo o discurso humilde.

Contra o time baiano, Fábio interveio em dois chutes de longe e uma finalização da marca do pênalti, que ele conseguiu espalmar para longe. São quatro jogos e só dois gols sofridos. Bruno, às turras com a torcida, já não tem perspectivas de assumir o lugar durante a lesão de Fernando Prass. O jovem, então, precisa manter o nível para sonhar ainda mais alto.

“O Fabio já demonstra ess qualidade desde a época de juvenil, infantil. Sempre foi um goleiro que sempre demonstrou essa paz, até na sua presença dentro de campo. É um garoto que tem muito e evoluir. Tem biótipo, tem postura, tem tudo para se tornar mais um grande goleiro do Palmeiras”, disse Carlos Pracidelli, preparador de goleiros histórico, hoje membro da comissão técnica de Luiz Felipe Scolari, na seleção brasileira, em entrevista à rádio Globo.

O problema é a pressão que um goleiro das categorias de base do clube, caso de Fábio, pode receber. Os fracassos recentes de Deola e Bruno na função, acreditam Pracidelli, podem fazer diferença para o futuro do atual titular palmeirense.

“Tem de dar essa tranquilidade para o Fábio para que ele possa desenvolver todo seu potencial sem nenhuma cobrança em cima dele. Ele é jovem, precisa de experiência e isso vem com os jogos. Quando ocorrer o erro, tem de dar a ele toda a retaguarda”, disse Pracidelli. 

Esporte