PUBLICIDADE
Topo

Vitor Guedes

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

Posse de bola é humilhada na Libertadores!

Raphael Veiga se esforça em vão, e Palmeiras perde a supimpa posse de bola para o Cerro Porteño por 54% a 46% - Staff Images / CONMEBOL
Raphael Veiga se esforça em vão, e Palmeiras perde a supimpa posse de bola para o Cerro Porteño por 54% a 46% Imagem: Staff Images / CONMEBOL
só para assinantes
Vitor Guedes

Vitor Guedes é jornalista e professor universitário pós-graduado em Português, Língua e Literatura pela UMESP, autor do livro "Paixão Corinthiana", com passagens por Jovem Pan, Lance!, Site do Corinthians, BandNews FM, Agora São Paulo, FAPSP e UNG. Com Copas do Mundo, Mundial Libertadores, Brasileiros e dezenas de Paulistas no currículo, Vitor Guedes é 1977, pai do Basílio, ZL e, atualmente, é colunista do UOL Esporte e comentarista do Baita Amigos no Bandsports

Colunista do UOL

07/07/2022 04h00

A grande derrotada das oitavas de final da Copa Libertadores foi a supimpa e importantíssima posse de bola e, claro, a rapaziada que confunde o futebol, jogo que o único número que importa é o do placar, com uma planilha de Excel.

Parafraseando o Skank, vamos com os números do Sofascore para registrar, pela 818ª vez, que "posse de bola não altera o placar" nem serve para absolutamente nada. Nem como critério de desempate!

Dos sete classificados para as quartas de final, seis "perderam" a posse de bola. A exceção foi o Atlético-MG, que, curiosamente, foi o brasileiro que entregou menos que o esperado. Flamengo e Palmeiras atropelaram sem a bola, e Corinthians e Athletico-PR foram buscar fora de casa empates e classificações complicadíssimas.

Boca Juniors (66%) 0 x 0 (34%) Corinthians

Até o fechamento desta edição, não foi registrado o protesto de nenhum corinthiano exigindo "ou ganha a posse por amor, ou ganha a posse por terror".

Libertad (60%) 1 x 1 (40%) Athletico-PR

Felipão, o terceiro técnico do Furacão na temporada, não mostrou nenhuma vergonha pela goleada humilhante de 60% a 40% na posse de bola.

Palmeiras (46%) 5 x 0 (54%) Cerro Porteño

Em relação ao ótimo desempenho na derrota de 2 a 0 para o Athletico-PR, quando a equipe registrou supimpas 71% de posse de bola, o Palmeiras teve uma assustadora piora de desempenho no controle da bola. Fica a pergunta: será que Abel Ferreira conseguiu dormir depois de "perder" a posse para o Cerro?

Flamengo (47%) 7 x 1 (53%) Tolima

Da série sete gols são detalhes, para os gênios pós-modernos diferenciados que não são resultadistas e observam para além dos gols, é preocupante o fato de o Flamengo, em pleno Maracanã, não ter o controle do jogo com a bola.

Colón (54%) 0 x 2 (46%)Talleres

Para chegar às quartas de final da Libertadores, 46% de posse foram suficientes, mas será que a equipe de Córdoba terá a mesma sorte nas semifinais se não melhorar o índice contra o Vélez Sarsfield? O jogo? Ah, ganhou de 2 a 0, mas não se pode analisar futebol por essa bobagem chamada placar...

River Plate (74%) 0 x 0 (26%) Vélez Sarsfield

Técnico mais longevo na elite da América do Sul, Gallardo provou a importância da continuidade e o River Plate humilhou o Vélez na posse de bola: 74% a 26%. Fora o baile. Uhu!

Atlético-MG (58%) 1 x 0 (42%) Emelec

O Galo foi a única exceção à regra e, com um pênalti de queimada, eliminou o Emelec mesmo tendo a posse de bola

Se cuida, Fortaleza

Nesta quinta, o Fortaleza decide a última vaga com o Estudiantes e tenho uma má notícia para a torcida do Leão do Pice. Normalmente, o lanterna do Brasileirão costuma ganhar a posse de bola...

Eu sou o Vitor Guedes e tenho um nome a zelar. E zelar, claro, vem de ZL! É nóis no UOL!

Veja:

E me siga no Twitter e no Instagram.

Quem mandou matar Marielle? E por quê?

Justiça para Dom Phillips e Bruno Pereira!