PUBLICIDADE
Topo

Tales Torraga

Que capitão é Tevez? Vexame em Santos põe Carlitos na berlinda na Argentina

Carlos Tevez cumprimenta a arbitragem antes de Santos x Boca Juniors na semifinal da Libertadores - Sebastiao Moreira-Pool/Getty Images
Carlos Tevez cumprimenta a arbitragem antes de Santos x Boca Juniors na semifinal da Libertadores Imagem: Sebastiao Moreira-Pool/Getty Images
Tales Torraga

Jornalista e escritor, Tales Torraga nasceu em Mogi das Cruzes (SP), mas é, segundo os colegas, "mais argentino que os próprios argentinos". Morou em Buenos Aires e Montevidéu, girou pela imprensa brasileira e portenha e escreveu 15 livros ? o último deles, Copa Loca, é sobre a...Argentina nos Mundiais.

Colunista do UOL

16/01/2021 08h43Atualizada em 16/01/2021 09h03

O arrasador 3 a 0 do Santos sobre o Boca Juniors na Libertadores segue rendendo o que falar na Argentina. E todas as críticas recaem sobre Carlitos Tevez. O ex-corintiano tem sido duramente criticado pela torcida xeneize como símbolo do fracasso e da falta de comprometimento da equipe na eliminação que já é considerada como uma das piores da história do clube.

Embora seu rendimento individual não seja motivo de muitas discussões, o papel de Tevez como capitão da equipe mostra um caminho sem volta para ele no Boca. Imprensa e torcida consideram que a apatia dos titulares na derrota da Vila Belmiro foi uma clara prova de que Tevez não exercia liderança sobre o grupo. Uma imagem de cinco jogadores do Boca caminhando em campo quando ainda estava 1 a 0 viralizou no país e foi usada como símbolo do desinteresse e da falta de raça da equipe.

Foi igualmente criticada a postura de Tevez de gesticular em desaprovação aos companheiros nos primeiros gols sofridos. Avaliam também que em grupo mais coeso e motivado não haveria espaços para insanidades como o pisão de Fabra em Marinho e o instantâneo cartão vermelho na Vila Belmiro.

A polêmica gerada no Brasil com a recusa de Tevez de trocar a camisa com o mesmo Marinho não repercutiu na Argentina. Depois de tais derrotas, entregar a camisa ao rival é visto no país como falta de amor ao clube.

Esta foi a quarta participação de Tevez na Libertadores desde seu retorno ao Boca. Assim como agora, em 2016 ele foi eliminado na semifinal pelo Independiente del Valle. A antesala da decisão tirou o clube também em 2019 em plena Bombonera lotada diante do River Plate - em 2018, a derrota acabou sendo ainda mais lamentada; ocorreu ante o eterno rival na decisão.

Tevez e seus companheiros juntam ânimo agora para a decisão da Copa Diego Maradona, contra o Banfield, amanhã (17), às 22h10 (de Brasília), na província de San Juan. É esperada uma debandada de jogadores a partir da próxima semana. Além do próprio Tevez, que salvo surpresa deve anunciar mesmo a sua aposentadoria aos 37 anos (fará em 5 de fevereiro), Villa, Fabra, Salvio e Soldano também são dados como praticamente certos para deixar o clube.