PUBLICIDADE
Topo

Tales Torraga

Rusga entre família, médico e advogado marca última foto pública

Tales Torraga

Jornalista e escritor, Tales Torraga nasceu em Mogi das Cruzes (SP), mas é, segundo os colegas, "mais argentino que os próprios argentinos". Morou em Buenos Aires e Montevidéu, girou pela imprensa brasileira e portenha e escreveu 15 livros ? o último deles, Copa Loca, é sobre a...Argentina nos Mundiais.

Colunista do UOL

26/11/2020 10h49

Era para ser apenas mais uma postagem positiva no Instagram, mas acabou virando o último registro público de uma das pessoas mais fotografadas da história. Diego Armando Maradona morreu ontem (25), vítima de uma parada cardiorrespiratória, deixando a Argentina totalmente perplexa até agora.

Maradona - Reprodução - Reprodução
O médico Leopoldo Luque e Maradona, após sua cirurgia
Imagem: Reprodução

Quando Diego recebeu alta da cirurgia no cérebro, há 15 dias, Leopoldo Luque, médico pessoal do Diez, publicou em sua rede social a imagem ao lado, com Maradona ainda com um curativo na cabeça, horas depois de ser operado. Instantes após a postagem, Dalma, filha mais velha do craque, usou também as suas contas para atacar o médico, dizendo que todos haviam combinado sigilo na sequência do tratamento de Maradona, e que ele estava desrespeitando o trato.

Luque se defendeu, dizendo que era um pedido de Diego, e que ele, afinal, concordava com a vontade do ex-craque que queria reverter sua última imagem, quando apareceu dopado e amparado até para caminhar pelo estádio de Gimnasia, quando recebeu, em 30 de outubro, uma homenagem pelo seu aniversário de 60 anos.

O desentendimento das filhas de Maradona com o médico vem de antes da foto de despedida. Semanas antes, elas já atacavam Luque, dizendo que o doutor usava o pai para se promover, citando o alto número de entrevistas que eram concedidas por ele.

A exposição excessiva de Luque era, de fato, muito maior que a de Alfredo Cahe, o discreto médico que atendeu Maradona nas internações na virada do milênio. O próprio Cahe deu entrevistas às TVs argentinas ontem questionando os cuidados e a exposição de Diego em seus últimos dias.

Como costuma-se ouvir na Argentina, quando o assunto eram os cuidados de Maradona, há sempre os "bons e os maus". Os maus são os que estão por perto, fazendo o possível, se virando diante da personalidade imperativa do Diez. E os bons são os distantes, que só ficavam opinando de longe.

Outra crítica surgida nesta quinta (26) foi a de Matías Morla, advogado e representante de Maradona e outro desafeto público das filhas. Ele detonou a demora no atendimento a Diego e deu a entender que os cuidados ao ex-craque foram insuficientes.

A alta de Maradona duas semanas atrás representou justamente uma troca de comando nos cuidados ao Diez, que passaram a ser de responsabilidade exclusiva das filhas Dalma (34 anos), Giannina (31) e Jana (24).

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL.