PUBLICIDADE
Topo

Saque e Voleio

REPORTAGEM

Texto que relata acontecimentos, baseado em fatos e dados observados ou verificados diretamente pelo jornalista ou obtidos pelo acesso a fontes jornalísticas reconhecidas e confiáveis.

Luisa Stefani teve ruptura de ligamento do joelho direito

Luisa Stefani é levada de cadeira de rodas após lesionar o joelho nas semifinais do US Open de 2021 - Reprodução / Star+
Luisa Stefani é levada de cadeira de rodas após lesionar o joelho nas semifinais do US Open de 2021 Imagem: Reprodução / Star+
Conteúdo exclusivo para assinantes
Alexandre Cossenza

Alexandre Cossenza é bacharel em direito e largou os tribunais para abraçar o jornalismo. Passou por redações grandes, cobre tênis profissionalmente há oito anos e também escreve sobre futebol. Já bateu bola com Nadal e Federer e acredita que é possível apreciar ambos em medidas iguais. Contato: ac@cossenza.org

Colunista do UOL

10/09/2021 23h56

A lesão sofrida por Luisa Stefani nas semifinais do US Open não foi nada simples. Após exames realizados em Nova York nesta sexta-feira, foi constatada uma ruptura no ligamento anterior cruzado do joelho direito da tenista brasileira. Segundo texto enviado pela assessoria de imprensa da tenista, Luisa já iniciou fisioterapia com os profissionais da WTA e vai passar por mais exames nos próximos dias para confirmar o diagnóstico e definir o tratamento junto aos médicos.

"Estou bem. Bastante chateada pois vinha em um embalo muito especial e no melhor momento da minha carreira. Um imprevisto e surpresa que eu nunca podia esperar ou me preparar, mas o sonho do slam continua, só vai ter que esperar um pouco mais. Os médicos pediram alguns dias para ver como meu corpo vai reagir e decidir os próximos passos do tratamento. Vamos passar por cima disso tudo. O dia foi difícil, mas senti daqui o carinho das pessoas e estou muito agradecida pela energia positiva aí do Brasil. Foi uma surpresa inoportuna, mas tudo vai dar certo", diz Luisa no texto de sua assessoria.

Luisa e sua parceira, a canadense Gabriela Dabrowski, disputavam o tie-break do primeiro set contra as americanas Cori Gauff e Caty McNally quando a brasileiro pisou de mau jeito e ficou caída no chão. Ela foi atendida ainda em quadra e teve ajuda para se levantar, mas voltou a sentir dor quando tentou apoiar a perna direita no chão. O placar mostrava 6/6 e 2/1 no tie-break quando Luisa deixou a quadra de cadeira de rodas para ser avaliada. Ela não teve condições de voltar, e as americanas avançaram à final.

No circuito mundial, a semifinal do US Open era a partida mais importante da carreira da paulista de 24 anos, atual número 17 do mundo no ranking de duplas. Luisa foi a primeira mulher brasileira a disputar uma semi de duplas femininas em um slam desde Maria Esther Bueno, em 1968.

Era também a melhor fase de sua vida tenística. Depois de conquistar a medalha de bronze nos Jogos Olímpicos Tóquio-2020, a brasileira iniciou uma parceria com a canadense Gabriela Dabrowski no circuito mundial e somava 16 vitórias e apenas duas derrotas desde então. Juntas, Luisa e Gaby foram campeãs do WTA 1000 de Montreal e vice no WTA 500 de San Jose e no WTA 1000 de Cincinnati. Após apenas quatro torneios, elas já se colocam entre as oito melhores duplas da temporada.

.

Quer saber mais? Conheça o programa de financiamento coletivo do Saque e Voleio e torne-se um apoiador. Com pelo menos R$ 15 mensais, apoiadores têm acesso a conteúdo exclusivo (newsletter, podcast e Saque e Voleio TV), lives restritas a apoiadores, além de ingresso em grupo de bate-papo no Telegram, participação no Circuito dos Palpitões e promoções imperdíveis.

Acompanhe o Saque e Voleio no Twitter, no Facebook e no Instagram.