PUBLICIDADE
Topo

Saque e Voleio

REPORTAGEM

Texto que relata acontecimentos, baseado em fatos e dados observados ou verificados diretamente pelo jornalista ou obtidos pelo acesso a fontes jornalísticas reconhecidas e confiáveis.

Além da meia-noite, Federer sai de buraco e vai às oitavas em Roland Garros

Getty Images
Imagem: Getty Images
Alexandre Cossenza

Alexandre Cossenza é bacharel em direito e largou os tribunais para abraçar o jornalismo. Passou por redações grandes, cobre tênis profissionalmente há oito anos e também escreve sobre futebol. Já bateu bola com Nadal e Federer e acredita que é possível apreciar ambos em medidas iguais. Contato: ac@cossenza.org

Colunista do UOL

05/06/2021 19h43

Durante o terceiro set do duelo com o alemão Dominik Koepfer, o cenário era o pior possível para Roger Federer. Tarde da noite, condições de jogo muito lentas, relógio perto das 3h de jogo e Quadra Philippe Chatrier sem público. O suíço de 39 anos perdia a parcial e se aproximava de 50 erros não forçados. Tudo jogava contra o veterano - a não ser, obviamente, o talento e a capacidade de encontrar maneiras de vencer do ex-número 1 do mundo. Foi o que Federer fez. Achou um modo de reequilibrar o jogo, esperou uma brecha dada pelo rival e agarrou-se à partida com todas as forças. Dadas as condições, o resultado foi uma vitória quase heróica por 7/6(5), 6/7(3), 7/6(4) e 7/5, após 3h35min de jogo, em um duelo que terminou depois da meia-noite, à 0h44min da madrugada em Paris.

O triunfo colocou Federer nas oitavas de final de Roland Garros, o que significa que será sua 68ª participação nas oitavas em torneios do Grand Slam (Australian Open, Roland Garros, Wimbledon e US Open), um recorde absoluto. Ao sobreviver em Paris, o suíço também se aproxima do esperado duelo com Novak Djokovic, que pode acontecer nas quartas de final. Antes, entretanto, Roger precisará passar pelo italiano Matteo Berrettini, número 9 do mundo.

Como aconteceu

O primeiro set foi bem equilibrado, com os dois tenistas tentando agredir primeiro e vivendo altos e baixos na parcial. Ambos tiveram chances de quebra, mas ninguém converteu, e a decisão veio só no tie-break. O game de desempate foi tão parelho quanto os 12 games anteriores. A diferença foi uma dupla falta de Koepfer, que deu um mini-break de vantagem do veterano. Federer não desperdiçou a vantagem e fechou o set com uma bela subida à rede e um voleio vencedor: 7/6(5).

A segunda parcial foi igualmente equilibrada, mas de maneira bem diferente. As quebras que não aconteceram no set anterior finalmente apareceram. Federer esteve em vantagem em duas oportunidades, mas perdeu o saque imediatamente depois de quebras em ambas ocasiões. O suíço, que não mostrava a mesma precisão do começo do jogo, pagou o preço pelas falhas. No tie-break, Federer cometeu sete erros não forçados - que foram todos os sete pontos de Koepfer. O alemão aproveitou e fechou o game por 7/6(3).

Com a partida passando das 2h de duração, Federer dava os primeiros sinais de cansaço, e os erros continuavam. Logo no primeiro game do terceiro set, o suíço errou num golpe de vista quando encarava um break point e perdeu o game de serviço. A partir dali, Roger tentou fugir de trocas longas. Deu slices, curtinhas, tentou saque-e-voleio e foi, a duras penas, mantendo seu saque. Koepfer tinha a vantagem, mas fez um oitavo game ruim e, com um backhand na rede, cedeu a quebra e a igualdade (4/4). Federer voltou para o jogo e teve até um set point no 12º game, mas Koepfer se salvou com um bom saque e um forehand vencedor. Logo, foi necessário outro tie-break, e Roger abriu 4/2, mas devolveu o mini-break ao errar uma direita na paralela. Pouco depois, Koepfer, sacando em 4/5, errou um forehand e deu dois set points ao suíço. Federer converteu logo na primeira chance, com uma linda curtinha que o alemão não conseguiu devolver.

O cenário parecia muito mais favorável a Federer no começo do quarto set. Koepfer foi quebrado ao errar uma bola e, insatisfeito, atravessou a quadra para conferir a marca e ainda cuspiu no local. Foi punido com perda de um ponto, e o suíço pôde começar o game seguinte sacando em 15/0. Roger, porém, não aproveitou e cometeu cinco erros não forçados, também cedendo a quebra de volta imediatamente. O jogo voltou a ficar equilibrado até que um momento espetacular de Federer mudou as coisas. Com 5/5 no placar e o rival sacando em 15/0, o suíço devolveu dois smashs de forma gloriosa e ganhou um ponto. Depois, subiu bem à rede e executou um winner de direita para conquistar dois break points. Na primeira chance, viu Koepfer cometer um erro não forçado. Bastava, então, sacar para a partida, e o veterano não vacilou.

Depois disso, só faltou a entrevista em quadra, na qual Federer agradeceu por não terem dormido antes do fim.

.

Quer saber mais? Conheça o programa de financiamento coletivo do Saque e Voleio e torne-se um apoiador. Com pelo menos R$ 15 mensais, apoiadores têm acesso a conteúdo exclusivo (newsletter, podcast e Saque e Voleio TV), lives restritas a apoiadores, além de ingresso em grupo de bate-papo no Telegram, participação no Circuito dos Palpitões e promoções imperdíveis.

Acompanhe o Saque e Voleio no Twitter, no Facebook e no Instagram.