PUBLICIDADE
Topo

Saque e Voleio

REPORTAGEM

Texto que relata acontecimentos, baseado em fatos e dados observados ou verificados diretamente pelo jornalista ou obtidos pelo acesso a fontes jornalísticas reconhecidas e confiáveis.

Brasileiro Lui Carvalho é nomeado diretor do tradicional ATP de Queen's

Fotojump
Imagem: Fotojump
Alexandre Cossenza

Alexandre Cossenza é bacharel em direito e largou os tribunais para abraçar o jornalismo. Passou por redações grandes, cobre tênis profissionalmente há oito anos e também escreve sobre futebol. Já bateu bola com Nadal e Federer e acredita que é possível apreciar ambos em medidas iguais. Contato: ac@cossenza.org

Colunista do UOL

19/04/2021 19h59

Luiz Procópio Carvalho é o novo diretor do ATP 500 de Queen's, tradicionalíssimo torneio londrino que existe há 131 anos. A Lawn Tennis Association (LTA), federação britânica de tênis, contratou o brasileiro para ocupar o posto que ficou vago quando o antigo ocupante do cargo, Stephen Farrow, aceitou um cargo na ATP. A nomeação de Lui, como é conhecido o atual diretor do Rio Open, será anunciada em breve. O contrato é de três anos.

O Queen's Club Championships, conhecido mais popularmente como ATP de Queen's, é realizado no mesmo local desde 1890 e é um dos principais eventos da temporada de grama. Este ano, com novo patrocinador, o evento tem o nome oficial de cinch Championships. O torneio é usado pelos melhores tenistas do mundo como preparação para Wimbledon, e sua lista de campeões inclui gente como John McEnroe, Boris Becker, Stefan Edberg, Pete Sampras, Lleyton Hewitt, Andy Roddick e Rafael Nadal, entre outros famosos. O recordista de títulos em simples é Andy Murray, campeão cinco vezes e atual campeão de duplas.

O cargo de diretor vem com pressão, mas também com bastante prestígio para Lui Carvalho. O paulista de 39 anos tem um currículo como poucos no mundo do tênis. Além de ex-tenista, Lui trabalhou quatro anos na ATP, onde foi manager de mídia e marketing; foi diretor do Brasil Open e ajudou a idealizar a Gillette Federer Tour na promotora Koch Tavares; foi manager do tênis na preparação para os Jogos Olímpicos Rio 2016; e, desde 2014 é diretor do Rio Open, o maior torneio profissional da América do Sul. O brasileiro, que também atua como diretor do ATP 250 de Chengdu e do WTA 250 de Shenzhen, ambos na China, seguirá no comando do evento carioca.

No cargo de diretor, Lui tem como responsabilidades cuidar da programação de jogos e do relacionamento com a ATP, jogadores e parceiros de mídia, além de supervisionar a aplicação dos regulamentos e a distribuição do prêmio em dinheiro. Ele assume o ATP de Queen's em um ano atípico e com dificuldades extras. Seu maior desafio deve ser atrair atletas de peso para um torneio que, apesar de tradicional, será realizado em uma temporada de grama que ficou achatada pelo adiamento de Roland Garros. Este ano, o slam do saibro começará uma semana depois de sua data habitual, o que significa que o torneio de Queen's começa no dia seguinte ao da final em Paris.

Além disso, o circuito mundial não está livre da pandemia de covid-19, e a elite do tênis tem a preocupação extra de não contrair o vírus antes de um slam. Como haverá apenas sete dias de intervalo entre a final de Queen's e o começo de Wimbledon, Lui e sua nova equipe terão de realizar o torneio em um ambiente seguro e controlado para dar segurança aos atletas.

Quer saber mais? Conheça o programa de financiamento coletivo do Saque e Voleio e torne-se um apoiador. Com pelo menos R$ 15 mensais, apoiadores têm acesso a conteúdo exclusivo (newsletter, podcast e Saque e Voleio TV), lives restritas a apoiadores, além de ingresso em grupo de bate-papo no Telegram, participação no Circuito dos Palpitões e promoções imperdíveis.

Acompanhe o Saque e Voleio no Twitter, no Facebook e no Instagram.