PUBLICIDADE
Topo

Saque e Voleio

ATP Finals, dia 2: Djokovic domina e assusta, e Bruno vence de virada

Reuters
Imagem: Reuters
Alexandre Cossenza

Alexandre Cossenza é bacharel em direito e largou os tribunais para abraçar o jornalismo. Passou por redações grandes, cobre tênis profissionalmente há oito anos e também escreve sobre futebol. Já bateu bola com Nadal e Federer e acredita que é possível apreciar ambos em medidas iguais. Contato: ac@cossenza.org

Colunista do UOL

16/11/2020 19h14

O segundo dia do ATP Finals, com a realização dos jogos do Grupo Tóquio 1970, veio com uma confirmação: Novak Djokovic é o homem a ser batido em sua chave. Em sua estreia no torneio, mesmo sem fazer uma apresentação impecável, o número 1 do mundo passou sem grandes problemas pelo argentino Diego Schwartzman: 6/3 e 6/2.

Nole deu a impressão de estar no controle o tempo inteiro, mesmo quando sacou mal e teve seu serviço quebrado no terceiro game do jogo. Djokovic devolveu a quebra imediatamente e passou a confirmar seus serviços sem grandes problemas. Fez diferença, obviamente, a excelente devolução do número 1. Não por acaso, Schwartzman venceu apenas 35% dos pontos com seu segundo saque.

Na outra partida de simples, Daniil Medvedev fez 6/4 e 6/3 sobre Alexander Zverev. O placar faz parecer um jogo mais fácil do que realmente foi, mas na verdade tratou-se de um duelo parelho, com chances para ambos (muitos break points) no primeiro set e uma segunda parcial com apenas dois break points. Medvedev, mais consistente do fundo de quadra, levou a melhor. As duplas faltas de Zverev pesaram no primeiro set, enquanto os bons retornos do russo, que devolvia tudo lá do fundão, fizeram diferença na reta final.

Bruno Soares vence de virada

Se Marcelo Melo saiu de quadra derrotado no domingo, a estreia de Bruno Soares foi mais feliz para o Brasil. Ele e Mate Pavic derrotaram de virada a parceria formada por Jurgen Melzer e Edouard Roger-Vasselin: 6/7(6), 6/1 e 10/4. Foi um jogo que esteve desde o começo mais favorável a Soares e Pavic, mas seus adversários salvaram três break points no quinto game e um set point no tie-break do set inicial.

Felizmente, brasileiro e croata jamais deixaram seu nível cair. Dispararam na frente no segundo set - venceram os cinco primeiros games - e mantiveram o momento no match tie-break, que só foi equilibrado até o 3/3. Depois disso, Soares e Pavic venceram cinco pontos seguidos e abriram uma vantagem confortável que os rivais não conseguiram apagar.

Na outra partida do grupo, Marcel Granollers e Horacio Zeballos derrotaram Michael Venus e John Peers por 7/6(2) e 7/5. Espanhol e argentino, portanto, lideram o grupo, ficando à frente de Soares e Pavic porque triunfaram sem perder sets.

Coisas que eu acho que acho

- Repito o que escrevi anteriormente: com Djokovic posicionando-se como "o" favorito e Schwartzman no posto de azarão, Medvedev x Zverev tinha o potencial para decidir, na pior das hipóteses, a segunda vaga do grupo. Veremos nos próximos dias se isso se confirma. De qualquer modo, era uma partida importantíssima.

- Djokovic ganhou bem e mostrou que há margem para melhorar durante a semana. Sempre uma visão assustadora.

Torne-se um apoiador do blog e tenha acesso a conteúdo exclusivo (posts, podcasts e newsletters semanais) e promoções imperdíveis.

Acompanhe o Saque e Voleio no Twitter, no Facebook e no Instagram.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL.