PUBLICIDADE
Topo

Bruno Soares e Marcelo Melo ficam fora de duelo da Davis contra a Austrália

Bruno Soares (dir.) e Marcelo Melo nos Jogos Olímpicos Rio 2016 - Divulgação/Cristiano Andujar
Bruno Soares (dir.) e Marcelo Melo nos Jogos Olímpicos Rio 2016 Imagem: Divulgação/Cristiano Andujar
Alexandre Cossenza

Alexandre Cossenza é bacharel em direito e largou os tribunais para abraçar o jornalismo. Passou por redações grandes, cobre tênis profissionalmente há oito anos e também escreve sobre futebol. Já bateu bola com Nadal e Federer e acredita que é possível apreciar ambos em medidas iguais. Contato: ac@cossenza.org

Colunista do UOL

03/02/2020 15h18

(Texto atualizado às 15h55min com a inclusão do time convocado e as justificativas dos atletas)

Os mineiros Marcelo Melo e Bruno Soares, atuais números 10 e 23 do mundo no ranking de duplas, não defenderão o país no próximo confronto de Copa Davis. Nos dias 6 e 7 de março, o Brasil encara a Austrália em Adelaide, no Memorial Drive Tennis Clube, em quadras duras.

Pouco depois da publicação deste texto, a Confederação Brasileira de Tênis (CBT) divulgou o time que vai viajar junto com o capitão Jaime Oncins: Thiago Monteiro, João Menezes, Thiago Wild, Marcelo Demoliner e Felipe Meligeni. Segundo a entidade, os desfalques de Bruno e Marcelo estão ligados à preparação para os Jogos Olímpicos Tóquio 2020.

"Os dois estão focados na preparação para os Jogos Olímpicos e a participação neste confronto pela Copa Davis iria interferir no planejamento caso sejam convocados para Tóquio-2020. A convocação para a participação nas Olimpíadas será feita de acordo com o ranking da ATP divulgado em 8 de junho de 2020", diz o comunicado da entidade.

O confronto contra a Austrália envolve um desafio logístico para os brasileiros de melhor ranking e que vão competir em Indian Wells - caso de Bruno e Marcelo. Eles teriam de deixar o ATP 500 de Acapulco na última semana de fevereiro e viajar para o confronto em Adelaide na semana seguinte. Após a Davis, seria necessário embarcar no dia 8 de março para disputar o Masters 1000 de Indian Wells a partir do dia 12 - levando em conta ainda a adaptação ao fuso horário californiano. A diferença entre Adelaide e Indian Wells é de 18 horas.

"O calendário deste ano já é mais longo do que o de costume com as Olimpíadas em Tóquio. Para chegarmos bem entrosados lá, vamos jogar, no mínimo, dois torneios juntos e o desgaste físico e mental de ir novamente para a Austrália, daqui a um mês, seria demais para nós", disse Soares, também segundo o texto enviado à imprensa pela CBT.

Melo também ressaltou a importância da busca pela medalha olímpica: "Para que isso seja possível, a preparação precisa ser a melhor possível, o que ficaria difícil devido à complicada logística para participar da Davis na Austrália em meio à gira de torneios pela América do Sul e do Norte. Minha relação com o capitão Jaime Oncins e com a CBT sempre foi ótima e continuará sendo excelente, e seguirei à disposição para futuras convocações."

Sem os mineiros, o único top 100 do time será Thiago Monteiro, que vem de título no Challenger de Punta del Este, no Uruguai. O cearense é o atual número 89 do ranking da ATP. Para as duplas, Marcelo Demoliner, que já tem experiência de Copa Davis, vai ancorar o time com algum companheiro - Oncins ainda não revelou. O confronto vale pela fase de classificação, e o país vencedor garante vaga na fase final da Davis, que será em Madri, de 23 a 29 de novembro, na Caja Mágica.

Torne-se um apoiador do blog e tenha acesso a conteúdo exclusivo (posts, podcasts e newsletters semanais) e promoções imperdíveis.

Acompanhe o Saque e Voleio no Twitter, no Facebook e no Instagram.

Saque e Voleio