PUBLICIDADE
Topo

Rodolfo Rodrigues

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

Rodolfo Rodrigues: Desânimo vem superando a técnica de Neymar em campo

Neymar organiza jogada na partida do Brasil contra a Colômbia pelas Eliminatórias da Copa - REUTERS/Luisa Gonzalez
Neymar organiza jogada na partida do Brasil contra a Colômbia pelas Eliminatórias da Copa Imagem: REUTERS/Luisa Gonzalez
Conteúdo exclusivo para assinantes
Rodolfo Rodrigues

Rodolfo Rodrigues é apaixonado por números e estatísticas no futebol. Foi repórter do Lance!, editor da Placar e do prêmio Bola de Prata ESPN e é autor de dez livros sobre futebol.

Colunista do UOL

11/10/2021 13h45

Neymar não vem jogando nada nessa temporada 2021/22. Tanto pelo PSG, quanto pela seleção brasileira. Aos 30 anos, o atacante vem demonstrando uma apatia incomum em campo e deixando ser aquele talentoso jogador que decidia partidas com sua técnica e habilidade acima da média.

Pelo PSG, Neymar tem apenas 1 gol em 7 jogos nessa temporada, marcando o seu pior início desde que chegou ao futebol europeu, em 2013. Nem mesmo no fraco Campeonato Francês, onde o PSG sobra na liderança, Neymar vem conseguindo se destacar. Isso que joga ao lado de dois dos melhores jogadores da atualidade: Messi e Mbappé. Não à toa, foi até substituído no último jogo, na derrota para o Rennes.

Pela seleção brasileira, depois de ter um bom início na Copa América em julho, Neymar caiu demais de produção. Foi figura apagada na decisão contra a Argentina, na derrota por 1 x 0 no Maracanã, e depois rendeu pouco pelas Eliminatórias. Depois da péssima exibição contra o Chile, em Santiago, o camisa 10 foi questionado quanto a sua forma física. Em seguida, marcou contra o Peru e exibiu sua barriga como resposta. Mas na mesma partida forçou um cartão amarelo e ficou de fora do jogo contra a Venezuela.

Já contra a Colômbia, nesse domingo (10), Neymar teve outra atuação discreta, muito aquém do esperado. Na verdade, muito abaixo daquilo que já rendeu um dia. Neymar mostrou-se lento no segundo tempo, errou passes e dribles em demasia. Além disso, meteu-se em confusão com o zagueiro Mina e nem de longe conseguiu liderar a equipe brasileira.

Infelizmente, Tite encobre tudo isso com elogios ao craque. Não há tempo ruim para Neymar na seleção. Ele sempre terá seu lugar garantido na seleção com o treinador e com todas as regalias possíveis. Neymar faz o que quer dentro e fora de campo. O esquema tático é montado em sua função. E jamais ele será substituído mesmo tendo atuações apagadas.

O desânimo e apatia de Neymar vem contagiado a seleção nesses jogos desinteressantes das Eliminatórias da Copa de 2022, onde a seleção já está virtualmente classificada. Neymar, que é o segundo maior artilheiro da seleção, poderia até já ter superado o Rei se levasse essas partidas mais a sério. Sua falta de vontade de buscar mais acaba sendo passada para os demais.

É uma pena ver um jogador tão talentoso atuando dessa forma. Mais ou menos como foi com Ronaldinho Gaúcho. Neymar tem só 30 e já descarta atuar na Copa do Mundo de 2026. Enquanto outros jogadores, como Cristiano Ronaldo e Messi, dão aula de longevidade e seguem na busca incessante por títulos, gols e recordes, Neymar segue o caminho contrário. Vai se deixando levar pela preguiça.

Você pode me encontrar também no twitter (@rodolfo1975) ou no Instagram (futebol_em_numeros)

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL