Olhar Olímpico

Olhar Olímpico

Siga nas redes
Só para assinantesAssine UOL
ReportagemEsporte

Ana Marcela é 5ª no Mundial e vai defender ouro olímpico em Paris

Atual campeã olímpica da maratona aquática, Ana Marcela Cunha está classificada para defender seu ouro em Paris. A vaga veio com a quinta colocação do Campeonato Mundial de Doha (Qatar), em prova realizada neste sábado (3). Viviane Julgblut também carimbou o passaporte, beneficiada por ter tido duas francesas à sua frente.

Esta foi a segunda seletiva para os Jogos Olímpicos de Paris. No ano passado, o Mundial de Esportes Aquáticos de Fukuoka (Japão) distribuiu três vagas, para as três primeiras colocadas da prova de 10km das águas abertas, mas Ana Marcela foi quinta, a 20 centésimos de segundo da classificação.

Hoje, estavam em jogo 13 vagas, mas o G13 poderia virar G15 se as duas já classificadas — a alemã Leonie Beck e a norte-americana Katie Grimes — terminassem entre as 13 primeiras, o que não aconteceu. Assim, Viviane saiu da prova em 14º e lamentando não ir a Paris.

Ela, porém, conquistou a vaga, porque duas francesas terminaram à frente dela, na zona de classificação, e o país já tinha uma vaga por ser país sede. Assim, um desses passaportes foi realocado para a próxima classificada do Mundial, exatamente a brasileira.

O pódio teve vitória da holandesa Sharon van Rouwendaal com a medalha de ouro, em chegada apertada contra a espanhola Maria de Valdes, prata, 0s1 atrás, e a portuguesa Angelica André, bronze por 1s3. Ana Marcela bateu 4s3 atrás da campeãs, em quinto. Ela disse, após a prova, que ficou com os óculos embaçados e não percebeu que estava na briga por medalha: pensava estar mais atrás na classificação.

Histórico

Em Paris, Ana Marcela disputará sua quarta Olimpíada. Ela estreou em Pequim, aos 16 anos, mas não conseguiu a vaga para Londres por uma regra que só permitia duas representantes por país se ambas fossem top10 do Mundial, e a baiana foi 11ª nos 10km no Mundial de Xangai.

No Rio, ela teve problemas com a suplementação durante a prova e terminou em um frustrante 10º lugar. Foi à forra em Tóquio, conquistando o primeiro ouro olímpico do Brasil na modalidade, a segunda medalha — Poliana Okimoto fora bronze em 2016.

Em Mundiais, segue o tabu: Ana Marcela nunca venceu a prova de 10km, distância olímpica. Ela é penta nos 25km, prova que não é mais disputada nos Mundiais, e bi nos 5km, Nos 10km, tem uma prata (2013) e três bronzes (2015, 2017, 2022).

Continua após a publicidade

Já Vivi vai para sua primeira Olimpíada nas águas abertas. Ela chegou a tentar a classificação a Tóquio, depois de ser prata no Pan de Lima, mas não conseguiu, e foi ao Japão apenas nas provas mais longas da piscina:800m e 1.500m. A gaúcha foi novamente prata no Pan de Santiago, no ano passado.

Reportagem

Texto que relata acontecimentos, baseado em fatos e dados observados ou verificados diretamente pelo jornalista ou obtidos pelo acesso a fontes jornalísticas reconhecidas e confiáveis.

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes

As mais lidas agora