PUBLICIDADE
Topo

Marília Ruiz

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

Marília Ruiz: Foi mais do que igual para igual; foi só no VAR

Marília Ruiz

Tenho 20 anos de jornalismo esportivo: 5 Copas do Mundo, 4 Olimpíadas, muitos Brasileiros, alguns Mundiais e várias Copinhas. Neste blog seguirei fazendo isso: escrevendo sobre futebol. Sem frescura. Sem mimimi. Para versões oficiais dos clubes e atletas, recomendo procurar as assessorias de imprensa.

12/02/2022 16h16

Palmeiras pode mesmo festejar uma exibição QUASE impecável no Mundial.

O Chelsea fez QUASE nada para ganhar o título Mundial inédito. Mas ainda assim foi melhor em um jogo árido. Admitamos.

Não sou sommelier de mapa de calor, estatísticas ou posse de bola. Mas entendo de arquibancada. E a arquibancada verde está dolorosamente orgulhosa. Faz parte. Forja caráter. Aumenta o amor.

A dor palmeirense hoje é sim repleta de orgulho de um time que ganhou quase tudo em 14 meses sob o comando de um técnico que deu outra cara e outro significado para o verso "quando surge o alviverde imponente". Os gramados onde as lutas o aguarda sabem que ficarão sempre marcados por raça e suor. Esse time transformou a lealdade em padrão.

Como diria o pai do meu compadre Mauro Beting, explicar a emoção de ser palmeirense, a um palmeirense, é totalmente desnecessário. E a quem não é palmeirense é simplesmente impossível!

O Palmeiras sabe sempre levar de vencida e mostrar o que é de fato.

O mundo não está (ainda) mais verde. A Terra é (ainda) mesmo azul.