PUBLICIDADE
Topo

Marília Ruiz

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

Marília Ruiz: O que é que o jogador brasileiro não tem (mais)?

Marília Ruiz

Tenho 20 anos de jornalismo esportivo: 5 Copas do Mundo, 4 Olimpíadas, muitos Brasileiros, alguns Mundiais e várias Copinhas. Neste blog seguirei fazendo isso: escrevendo sobre futebol. Sem frescura. Sem mimimi. Para versões oficiais dos clubes e atletas, recomendo procurar as assessorias de imprensa.

20/07/2021 15h56

Por que é que mais uma vez a janela de transferência está morna?

Claro que a crise financeira causa pela pandemia não atingiu apenas o nosso futebol, mas está cada vez mais claro para os cartolas e agentes brasileiros que nossa temporada 2020/21 foi fraca. A Copa América morna foi outro fator apontado como potencializador da crise.

Dois empresários muito ativos disseram ao BLOG que o calendário brasileiro de emendou temporadas e forçou jogadores ao máximo do limite físico não chamou mais atenção para os jogos daqui, mas prejudicou a "vitrine". Nem aqueles que mais se destacaram no Brasileiro-20 ou nas competições continentais até aqui parecem ter mercado "premium". Isso apesar de os preços estarem "convidativos" como real desvalorizado e com a fragilidade de clubes nacionais na mesa de negociação (os estrangeiros sabem que os brasileiros estão abertos à propostas cm valores bem abaixo das multas previstas em contratos).

Outra verdade inconveniente: faça aí de bate-pronto a lista de três jogadores que chegariam hoje para jogar nos grandes clubes da Europa.

Há três anos Gabigol é o principal jogador em atividade por aqui. Mas na Europa fracassou com duas camisas. Apesar de jovem, a Copa América fraca não o recolocou na mira de gigantes europeus. Flamengo negociou Gerson, um titular absoluto, com um time "médio"da França. Como Gabigol, outros destaques que atuam por aqui seguem sem seduzir os cartolas da Europa: cadê a proposta pelo jovem Patrick de Paula, por exemplo?; ou por Claudinho, craque do último Brasileiro?; ou por Guilherme Arana (outro que já bateu e voltou)?

Alguma coisa já não temos mais (sobrando)... Temos que admitir.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL