PUBLICIDADE
Topo

Marília Ruiz

Marília Ruiz: Nossa insatisfação crônica tem cura?

Marília Ruiz

Tenho 20 anos de jornalismo esportivo: 5 Copas do Mundo, 4 Olimpíadas, muitos Brasileiros, alguns Mundiais e várias Copinhas. Neste blog seguirei fazendo isso: escrevendo sobre futebol. Sem frescura. Sem mimimi. Para versões oficiais dos clubes e atletas, recomendo procurar as assessorias de imprensa.

25/11/2020 12h42

Precisamos ter uma conversa indigesta: vocês da imprensa e da arquibancada (agora virtual) são chatos.

"A grama do vizinho é mais verde" é nosso lema. A insatisfação crônica é nossa marca registrada.

Por que é que nada que acontece nos nossos campos agrada?

Nada.

Ninguém está aqui defendendo a mediocridade dos nossos dirigentes, ninguém pede aqui tolerância com os desvios de conduta/moral de quem comanda a brincadeira, mas quando foi que a gente desaprendeu a gostar de futebol?

Agora gostamos de um futebol: o dos outros.

Ter saudades do Flamengo de 2019 (DOIS MIL E DEZENOVE!) é compreensível, mas as faixas no Maracanã na partida contra o Coritiba no último sábado são inaceitáveis. "Time frouxo"??? "Sem vergonha"??? Mesmo???

Não sei vocês, mas acho que anda faltando uma arquibancada em dia de chuva para a gente se lembrar do nosso amor pelos 11 x 11.

Aiiiiin, o "Palmeiras agora precisa mostrar que sabe propor o jogo com o português". Tem? Por quê?

Aiiiiiin, o "Vasco só jogou bem porque o São Paulo ofereceu o contra-ataque". Ué, mas jogou? Então...

Aiiiiin, "mas o Renato desdenha do Brasileiro e ele TINHA que disputar os pontos corridos blablablá". Quem determina isso? Nós da imprensa?

Aiiin, o Corinthians...

É óbvio que o ponto conquistado contra o Grêmio no último domingo é ruim para a campanha de rumo ao G-16 do Corinthians neste Brasileiro-20. Para os idiotas da objetividade, é só isso: o Corinthians não ganhou em casa. Ah, mas que saudade de ir ao estádio e sair feliz depois de um 0 a 0 sofrido. Que saudades de gritar satisfeita que a condição de sofredor é uma dádiva divina. Graças a Deus!

Tenha dó, senhores.

Apaixonem-se de novo pelo clube de vocês. Recomendo.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL.