PUBLICIDADE
Topo

Estatuto aponta para afastamento imediato de Peres; advogados se armam

Marília Ruiz

Tenho 20 anos de jornalismo esportivo: 5 Copas do Mundo, 4 Olimpíadas, muitos Brasileiros, alguns Mundiais e várias Copinhas. Neste blog seguirei fazendo isso: escrevendo sobre futebol. Sem frescura. Sem mimimi. Para versões oficiais dos clubes e atletas, recomendo procurar as assessorias de imprensa.

28/09/2020 10h18

Uma mudança feita no Estatuto do Santos no ano passado para atender exigências do Profut aponta para o afastamento imediato do presidente José Carlos Peres caso o Conselho Deliberativo do clube aprove hoje o relatório da CIS (Comissão de Inquérito e Sindicância).

Mas não duvide que os advogados entrem em campo...

A votação marcada para hoje por videoconferência pode abrir o 3º processo de impeachment contra o dirigente santista, cujo mandato termina em dezembro. Se aprovada a abertura do processo por 2/3 dos conselheiros (Peres tem apoio mínimo no CD; suas contas foram reprovadas por 171 votos a 3), já amanhã deve assumir o vice Orlando Rollo, que foi absolvido pela comissão.

Mas não duvide que a política do clube drible as regras escritas, e os advogados tenham que entrar em campo...

Relembrando: parecer da CIS indicou o afastamento imediato de Peres e dos membros do "Comitê de Gestão" (Anilton Luiz Perão, Estevam André Juhas, Fábio José Gaia, José Bruno Carbone, Matheus Del Corso Rodrigues, Paulo Roberto Schiff, Pedro Henrique Dória Mesquita) https://www.uol.com.br/esporte/colunas/marilia-ruiz/2020/09/23/marcada-votacao-para-afastamento-de-peres-relatorio-pede-saida-imediata.htm; a mesma CIS absolveu o vice-presidente, que estava licenciado entre janeiro e novembro de 2019, e na sequência foi impedido de exercer o cargo por despacho assinado por Peres).

No caso de aprovação do relatório e rito conforme prevê o Estatuto (sem manobras heterodoxas), Peres será afastado imediatamente e uma assembleia de sócios será marcada para referendar o afastamento do dirigente (dentro do prazo de 60 dias).

Relembrando: o mandato de Peres termina em dezembro e, sim, fazendo a matemática simples, o processo pode ficar ainda mais amarrado à sucessão presidencial no clube.

Advogados, senhores, já estão em campo para garantir que seus clientes se saiam melhor nos próximos meses.

Estamos de olho.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL.