PUBLICIDADE
Topo

Nosso jeitinho varzeano

Água Santa comemora vitória de virada sobre Corinthians, em Diadema, pelo Paulistão - ALE VIANNA/ALTAPHOTO/ESTADÃO CONTEÚDO
Água Santa comemora vitória de virada sobre Corinthians, em Diadema, pelo Paulistão Imagem: ALE VIANNA/ALTAPHOTO/ESTADÃO CONTEÚDO
Marília Ruiz

Tenho 20 anos de jornalismo esportivo: 5 Copas do Mundo, 4 Olimpíadas, muitos Brasileiros, alguns Mundiais e várias Copinhas. Neste blog seguirei fazendo isso: escrevendo sobre futebol. Sem frescura. Sem mimimi. Para versões oficiais dos clubes e atletas, recomendo procurar as assessorias de imprensa.

25/02/2020 16h40

A principal organizada do Corinthians marcou protesto para esta quarta antes da partida contra o Santo André pelo Campeonato Paulista.

Por meio de nota oficial, os líderes da organizada pedem "mais vontade" e querem "passar um papo reto para diretoria, comissão técnica e jogadores".

Não que surpreenda zero pessoa que resultados ruins levem torcedores para frente de CT, mas qual papo reto mágico pode se ter com um técnico que chegou há 50 dias? Qual papo reto milagroso faz jogador "cansado" ter vontade? Qual papo reto eficiente faz treinador deixar de ser teimoso? Qual papo reto profissional corrige rumos da gestão?

Trata-se, eu me rendo, a uma cultural imposição do nosso jeitinho varzeano de se ter futebol profissional.

Como diria o genial Nelson Rodrigues, sobre a própria torcida corinthiana quando da "Invasão" em 1976, dizem os idiotas da objetividade que torcida não ganha jogo. Pois ganha.

A ver se ganha do Santo André.

Marília Ruiz