PUBLICIDADE
Topo

Fábio Seixas

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

Menos conversas, mais carros na pista: experiência da F-1 começa bem

Verstappen, o mais rápido do primeiro treino livre do GP da Inglaterra, em ação em Silverstone - Red Bull
Verstappen, o mais rápido do primeiro treino livre do GP da Inglaterra, em ação em Silverstone Imagem: Red Bull
Conteúdo exclusivo para assinantes
Fábio Seixas

Fábio Seixas é jornalista com mestrado em Administração Esportiva e passagens por veículos como Folha de S.Paulo, SporTV e TV Globo. Cobriu mais de 170 GPs de F-1, esteve em duas temporadas da Indy e chegou a pilotar um Benetton em Paul Ricard. Voltou para os boxes rebocado.

Colunista do UOL

16/07/2021 12h13

Começou bem o teste do novo formato da F-1 para a programação dos finais de semana.

Se a ideia é trazer mais movimentação à pista e tornar os treinos mais atraentes, ponto para a Liberty Media até agora nesta sexta-feira.

Com apenas uma hora para testar antes da classificação das 14h, não teve blábláblá, não teve enrolação, não teve carro parado nos boxes. Todo mundo foi pra pista e usou ao máximo um treino que, não raro, é modorrento.

Somados, os 20 pilotos completaram 518 voltas. Hamilton e Bottas foram os pilotos que mais andaram: 30 cada um. Stroll foi quem menos treinou: 21.

silverstone1 - Reprodução - Reprodução
Pilotos treinam largada ao final do primeiro treino livre para o GP da Inglaterra, em Silverstone
Imagem: Reprodução

A melhor comparação a ser feita é com a mesma sessão em Silverstone, no ano passado. No primeiro treino livre para o GP de 2020, os 20 pilotos da F-1 completaram 445 voltas, 14% a menos. Uma semana depois, o mesmo circuito recebeu mais uma corrida, o GP de Aniversário da F-1. Foram 469 voltas na abertura dos trabalhos, ou 9,5% a menos do que hoje.

O que não mudou foi o líder da folha de tempos.

Verstappen superou todo mundo, com 1min27s035, mesmo fazendo apenas 23 voltas. Norris foi o segundo colocado, para delírio da torcida inglesa nas arquibancadas, a 0s779. É uma diferença enorme.

Hamillton ficou em terceiro, a apenas 1 milésimo de segundo do compatriota, seguido por Leclerc, Bottas e Sainz _que chegou a rodar no meio da sessão. Foco de atenções no fim de semana, por conta de suas negociações com a Mercedes, Russell teve a melhor volta cancelada por exceder os limites da pista e ficou em último.

As chances de que o inglês seja anunciado pela equipe alemã no fim de semana, aliás, são mínimas. Vai acontecer em algum momento, mas não será agora. Não por acaso, a equipe ontem publicou um post de apoio a Bottas...

Quando voltarem à pista, às 14h, será pra valer: sessão classificatória no formato habitual, com Q1, Q2 e Q3, para definir o grid para a minicorrida de sábado. Com uma novidade: todos os pilotos usarão pneus macios.

Vamos seguir avaliando...

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL