PUBLICIDADE
Topo

Clodoaldo Silva

Somente 0,055% dos candidatos eleitos tem algum tipo de deficiência

Wander Saraiva, prefeito eleito de Abadia de Goiás/GO  - Arquivo pessoal/Facebook
Wander Saraiva, prefeito eleito de Abadia de Goiás/GO Imagem: Arquivo pessoal/Facebook
Clodoaldo Silva

Clodoaldo Silva é o primeiro ídolo do esporte paralímpico brasileiro. Um dos maiores nadadores do mundo, é dono de 14 medalhas (6 ouros, 6 pratas e 2 bronze) paralímpicas. Também é palestrante, empresário, atuante na área de inclusão das pessoas com deficiência e comentarista do esporte paralímpico.

27/11/2020 14h02

A poucos dias do segundo turno das eleições municipais, ainda não temos dados oficiais do TSE (Tribunal Superior Eleitoral) sobre o número de candidatos com deficiência eleitos no primeiro turno. Segundo levantamento da revista Reação, 32 câmaras municipais e duas Prefeituras terão representantes com deficiência.

Em termos quantitativos, a representatividade ainda é muito aquém do que temos que galgar. Ao todo, foram eleitos 62.997 candidatos neste primeiro turno. Destes, apenas 33 vereadores e dois prefeitos conseguiram vitória nas urnas — o que corresponde a 0,055%.

Dos 57.608 vereadores eleitos, 33 têm algum tipo de deficiência, o equivalente a 0,057%. Nos cargos majoritários, do total de 5.389 prefeitos eleitos, apenas 0,037% têm deficiência. Os dois vão governar cidades goianas: Wander Saraiva, em Abadia de Goiás, e Odair Odélio, em Bom Jesus.

Eu fico muito feliz com a eleições destes candidatos, por outro lado, é bem triste ver que estatisticamente que somos 0,055%. Somos muito pouco. Dos 33 vereadores eleitos, somente 5 são mulheres. E nenhuma mulher figura como prefeita. É de chorar!

Se formos comparar com os dados do IBGE, que apontam que 24,5% da população brasileira têm algum tipo de deficiência, a gente senta e espera o ano acabar de tanta tristeza. Falta muito mesmo para que nós tenhamos representatividade, e isso significa que temos que trabalhar muito para que mais pessoas com deficiência se interessem por política e se candidatem. Para além da candidatura, ainda é preciso que essas pessoas estejam muito bem preparadas, elas precisam ter dinheiro para bancar a candidatura, já que, na política, o quesito verba conta muito. Desanimador!

A maioria dos eleitos é cadeirante - aqui incluídos tetraplégicos e pessoas com doenças graves que usam a cadeira para se locomover. Porém, a realidade precisa mudar, já que não vemos eleitos amputados, com má formação congênita, autistas ou com síndrome de down.

Ausência de dados oficiais

Como já disse em dois artigos meus, essa foi a primeira eleição em que o TSE deu a opção ao candidato de se declarar como deficiente. No entanto, passados 12 dias do primeiro turno, o órgão ainda não informou esses dados oficialmente.

Ponto positivo para o TSE que colocou esse item no questionário, mesmo que isso tenha ocorrido no ano de 2020. É um absurdo isso não ter ocorrido antes. Mas é bom saber que a partir de agora teremos como fazer comparativos (isso é se o órgão divulgar a estatística).

Até esta sexta-feira (27), o site do TSE só informava dados de estado civil, gênero, cor, raça, grau de instrução, ocupação, faixa etária. Para a nossa surpresa, ainda não houve a preocupação em divulgar os números relativos a candidatos com deficiência. Mas para a nossa surpresa, a não houve preocupação em se divulgar essa questão.

Desde quando ocorreram as eleições, estamos querendo divulgar o dado oficial dos candidatos eleitos com deficiência, mas acreditem, ele não está lá. Estamos aguardando o TSE nos informar oficialmente. Hoje, pela primeira vez, um dos jornalistas do órgão indicou ao telefone que mandássemos um e-mail com essa solicitação, porque das outras vezes a resposta foi que eles não iriam divulgar ainda as estatísticas dos candidatos/as com deficiência que participaram do pleito.

Na semana passada, outro jornalista indicou que a gente teria que acompanhar o sistema para ver o número de candidatos com deficiência eleitos seria publicado. Desde então, entramos diariamente e não tem nada. Nós enviamos um e-mail, e até o fechamento deste artigo, não recebemos resposta.

Também vejo isso com certa tristeza. Parece descaso com a gente. Os órgãos do Estado deveriam ser os primeiros a investir em igualdade e inclusão. Mas até mesmo na hora de publicar um dado que foi recolhido no processo eleitoral a gente não é lembrado. Isso é prova de que ainda precisamos lutar muito para ter o óbvio, o simples, o que nos é de direito. Ainda temos muito que caminhar!

Prefeitos eleitos

Abadia de Goiás/GO - Wander Saraiva (Wander da Ortomix), cadeirante
Bom Jardim de Goiás/ GO - Odair do Odélio, cadeirante

Vereadores eleitos

Rio de Janeiro/RJ - Luciana Novaes, tetraplégica
Joinville / SC - Alisson Julio, nasceu com AME - Atrofia Muscular Espinhal tipo 3
Belo Horizonte/BH - Walter Tosta, cadeirante
Florianópolis / SC - Gabriel Meurer, ou doença rara, chamada Hipocondroplasia, que atinge o crescimento da cartilagem e prejudicou o desenvolvimento do corpo.
Montes Claros / MG - Rodrigo
Garanhuns / PE - Juca Viana, com deficiência visual
Belém / PA - Amaury da APPD
Natal / RN - Tércio Tinoco - cadeirante
Presidente Prudente / SP - Douglas Kato, cadeirante
Taubaté / SP - Talita é jovem, cadeirante e professora
Ponta Grossa / PR - Felipe Passos, cadeirante
Piracicaba/SP - André Bandeira, cadeirante
Arapiraca / AL - Adriano Targino tem deficiência física por causa da Poliomielite
Goiânia/ GO - Willian Veloso, cadeirante
Itajaí / SC - Marcelo Werner, com deficiência visual
Carazinho / RS - Fabio Zanetti foi reeleito com 950 votos. Ele é Membro da Diretoria da ACADEV - Associação Carazinhense para pessoas com deficiência visual.
Pato Branco / PR - Professor Rafael Celestrin, com deficiência visual
Santana de Paranaíba / SP - Nilson Martins, cadeirante
Silvânia / GO - Washingthon, tetraplégico
Medianeira / PR - Ivan Cadeirante
Penápolis/SP - Letícia Sader, cadeirante
São Manuel / SP - João Paulo Piovan, cadeirante
Bebedouro / SP - Leandro Lauriano (Lão), cadeirante
São Miguel / RN - José Nelto de Carvalho, com deficiência visual
Paranaguá / PR - Isabelle Dias, surda
São Manuel / SP - Rubens Izidoro, cadeirante
Araçagi / PB - Ana Kelly ou a Kelinha de Naldo - deficiência auditiva
Pirapozinho / SP - Claudinei Dinello tem deficiência física por causa da Poliomielite.
Apiaí / SP - Paulo Tsujimoto, tetraplégico
Araçoiaba da Serra / SP - Leandro Portella, tetraplégico
Ituberá / BA - Cássio Reis, com deficiência visual
Igaraçu do Tietê / SP - Zequinha da Cadeira tem deficiência física
Jandaia do Sul / PR - Adenilson Vicente, com deficiência visual

Abraços aquáticos e excelente fim de semana para todos!

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL.