Topo

Basquete


Fiba abre mão de atletas da NBA ao criar eliminatórias para o Mundial

Novo calendário da Fiba deve fazer com que Brasil só conte com atletas da NBA em Mundiais e Olimpíadas - Gaspar Nobrega/Inovafoto
Novo calendário da Fiba deve fazer com que Brasil só conte com atletas da NBA em Mundiais e Olimpíadas Imagem: Gaspar Nobrega/Inovafoto

Daniel Neves

Do UOL, em São Paulo

23/08/2013 06h00

A presença de jogadores da NBA em seleções nacionais deve ficar restrita a apenas duas grandes competições: Mundial e Olimpíada. Presidente da Fiba Américas, Alberto Garcia confirmou a alteração no calendário do basquete internacional, que deve inviabilizar que atletas da liga norte-americana atuem por seus países em outras competições.

De acordo com o novo calendário da Fiba, a partir de 2017 ficam extintos os torneios continentais classificatórios para grandes competições, como a Copa América. Em formato similar ao do futebol, todos os países disputarão durante dois anos e meio eliminatórias regionais para o Mundial de basquete, no sistema de ida e volta.

Nas datas de jogos das seleções, todas as competições nacionais e continentais de clubes ligados à Fiba serão paralisadas. A regra, porém, não é válida para a NBA, entidade que não está submetida à federação internacional. Desta forma, a liga norte-americana seguirá seu andamento normalmente e os jogadores não devem ser liberados por suas respectivas equipes.

“A principio não contamos com esses jogadores. Mas será a oportunidade para outros atletas jogarem essas competições”, disse Garcia. “Os Estados Unidos terão que jogar [as eliminatórias], formarão parte de um grupo. E se não se classificarem para o Mundial de 2019? O que vai ocorrer no seguinte? Talvez tenham que mandar seus melhores jogadores, paralisar a NBA”.

Além de promover um maior número de jogos entre seleções, o objetivo da Fiba é fortalecer o Mundial de basquete, que esteve esvaziado de diversas estrelas internacionais em sua última edição. Isto porque a partir de 2019 a competição contará com 32 países e será classificatória para os Jogos Olímpicos.

As duas equipes mais bem colocadas de cada continente no Mundial garantem lugar direto nas Olimpíadas. As demais seleções participarão de um Pré-Olímpico Mundial, que distribuirá as quatro vagas restantes.

“Não há como [obrigar a liberação de atletas da NBA]. Isso irá acontecer sozinho, quando não se classificarem para o Mundial e, conseqüentemente, para os Jogos Olímpicos”, opinou Garcia.

O Brasil tem sofrido com a ausência de jogadores da NBA em diversas competições nos últimos anos. Para a Copa América, que começa no próximo dia 30, Anderson Varejão, Leandrinho e Nenê pediram dispensa alegando lesões. Tiago Splitter optou por descansar após longa temporada com o San Antonio Spurs, enquanto Lucas Bebê e Vitor Faverani preferiram treinar com suas novas equipes na liga norte-americana.