PUBLICIDADE
Topo

Coluna

Opinião


Opinião

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

Neste Natal, que tal pensar em consumir do seu bairro?

Ilustração da capa do Catálogo De Quebrada - Divulgação
Ilustração da capa do Catálogo De Quebrada Imagem: Divulgação
Ju Dias

Ju Dias

Ju Dias, formada em propaganda e marketing pela Universidade Anhembi Morumbi, trabalhou mais de 10 anos em grandes empresas. Em 2017 resolveu mudar o rumo de sua carreira e usar o seu conhecimento para trazer mais visibilidade através da comunicação para pequenos empreendedores, projetos sociais e culturais nas periferias através da Bora Lá!, sua Agência de Comunicação e Marketing Popular localizada no Campo Limpo, Zona Sul de São Paulo.

19/12/2021 06h00

Chegou o Natal, época de pensar em presente, confraternização, enfeites, ceia. Sim, você pode dizer que não curte esse momento, mas esse texto aqui é pra falar da geral. E geral curte uma luzinha piscando na vizinhança, uma arvorezinha dentro da casa da vó, de ganhar e oferecer presentes. É época também de discutir se vai ou não uva passa nos pratos da ceia, de comprar aquela roupa, deixar o cabelinho na régua, passar um perfume e brilhar junto com as luzinhas na noite do dia 25.

O fato é que consumimos nessa época do ano, em menor ou maior grau. Pensando assim, decidir onde colocar nosso dinheiro é, também, uma decisão política. Dinheiro é poder. E que poder, não? Vemos e vivemos isso todos os dias.

E se na hora das compras de fim de ano nos perguntarmos para onde e para quem estamos transferindo o nosso poder? Quem sairá desse Natal em pleno segundo ano de pandemia, com altas taxas de desemprego, inflação atingindo altos índices, com superpoderes?

Imaginem só se na hora de dar esse poder, escolhermos comprar de quem está ali ao nosso lado, valorizando a economia local, aquela família que passou alguns apertos durante a pandemia? Adquirir um produto de qualidade, com acabamento impecável, com uma mensagem personalizada, uma embalagem especial e um sorriso? Um belo sorriso de um negócio que você valorizou. Imaginou?

Existem várias iniciativas que estão fortalecendo negócios locais, o consumo consciente. Uma delas é o Catálogo de Quebrada, que nasceu na periferia da Zona Sul de São Paulo, nos bairros do Campo Limpo, Jardim ngela e Capão Redondo. Foi criado como uma resposta imediata contra a queda nas vendas no início da pandemia, em março de 2020.

A proposta, naquela altura, era juntar em um espaço virtual negócios com produção artesanal de mulheres periféricas que comercializam ovos de Páscoa, promovendo uma divulgação coletiva e alcançando mais pessoas. Com o prolongamento da pandemia, que não durou os três meses que se imaginava naquele momento, a fome e a falta de acesso a recursos continuou assolando a população. Neste contexto, o trabalho se ampliou como proposta para divulgar, além de doces, outras possibilidades de negócios.

Além da divulgação no catálogo, o projeto traz a possibilidade de os negócios estarem em rede, apoiando uns aos outros, numa forma de incentivo para quem, em muitos momentos, se vê sozinho no processo de gerir e tocar o seu negócio.

Traz também aprendizados. Do processo de inscrição, em que todos são orientados sobre a melhor foto de produto a enviar, como fazer a melhor descrição, acompanhar as vendas, além de trocas de oportunidades, como feiras para participar e vender produtos, como divulgar nas mídias sociais, entre outras. Tudo feito de forma coletiva. Quem sabe determinado assunto contribui ensinando ou aplicando no processo geral do catálogo. Bonito, né? E funciona. Não é fácil trabalhar de forma coletiva, mas acreditamos que esse é o caminho.

O Catálogo de Quebrada está em sua sexta edição com 80 negócios que realizam uma produção artesanal e autoral, organizados em sete categorias, que vão de comida vegana, acessórios e moda, a artesanato e decoração. A região de atuação também se ampliou com negócios para as zonas leste, norte, sul e oeste da cidade. Você pode entender mais o projeto acessando o Instagram @catalogodequebrada.

Tem uma frase que eu gosto: pensar globalmente, agir localmente, do sociólogo alemão Ulrich Beck. Em tempos de globalização, acredito mesmo que a saída seja por aí e esteja aí, bem pertinho de você. Compre de quem faz. Garanto que seu Natal e o Natal de quem ganhar esse presente não será o mesmo.

Opinião