PUBLICIDADE
Topo

M.M. Izidoro

Temos que cuidar do mundo como cuidamos de nossos dentes

M.M. Izidoro

A cada 15 dias, vamos contar notícias boas da vida real que aconteceram com gente de verdade como eu e você

08/08/2020 04h00

Resolver problemas é difícil pra caramba.

É um cano vazando, uma dorzinha que não passa, escolher onde vai jantar com o namorado ou como evitar mortes em uma pandemia global. Qualquer que seja o problema, é quase sempre difícil de resolve-lo.

Veja bem, muitas vezes o problema em si tem uma resolução fácil, mas mesmo assim tem um elemento que sempre prejudica. Esse elemento é a gente.

Parece que sempre tem uma maneira da gente se sabotar ou procrastinar na resolução de problemas. Isso vai até a hora que a pia está transbordando de louça e você é obrigado a lavar se quiser ter um copo para tomar água, ou deixar milhões de pessoas ficarem doentes por que ninguém consegue chegar em um consenso dos melhores tratamentos e politicas.

Mas isso não é assim em todos os lugares.

Em minhas viagens pelo mundo comecei a perceber que essa maneira, de deixar para pensar depois que um problema acontece, vem muito em como nós aqui do ocidente vivemos nossa cultura, que muda quando você está no oriente.

Eu percebi isso quando comecei a entender mais sobre a medicina chinesa e japonesa. Duas linhas de medicina que prezam pelo tratamento paliativo de doenças, ou seja, antes que elas aconteçam, além de tratar o paciente como um todo não só pelos sintomas que ele está sentindo.

Através de ensinamentos ancestrais baseados em chás, ervas, massagens e o que mais precisar, os médicos e pacientes orientais tentam prever quando uma doença vai acontecer e cuidam para prevenir que ela apareça. Isso sem contar que eles tentam ver o paciente como um sistema múltiplo e interligado, onde todas as partes individuais funcionam em conjunto para servir o todo.

Vindo do ocidente, e com vários médicos na família, eu duvidava dessas linhas de pensamento. Até que me convenceram a ir em alguns especialistas e um deles praticamente curou uma dor que eu tinha no ombro há anos ao perceber que eu tinha torcido o pé e estava pisando errado. Ao colocar meu pé de volta no lugar que ele tinha de estar - de uma maneira muito dolorida, não vou negar - meu ombro milagrosamente parou de doer e desde então eu comecei a tentar aplicar várias dessas ideias na minha vida.

E você deve pensar que isso que eu estou falando é impossível de aplicar aqui, que você não consegue ou qualquer outra desculpa que normalmente a gente se dá para resolver um problema e quando apresentam um pensamento diferente do nosso.

Mas e se eu te dissesse que você já faz isso todo dia e talvez nem perceba! E digo mais, você deve fazer isso até mais de uma vez por dia. Três vezes pelo menos se você tiver aplicando os protocolos corretos.

Sim, toda vez que você escova os dentes você está fazendo fazendo exatamente o que eu falei ali em cima. Escovar os dentes nada mais é do que o ato de evitar um problema maior. É você agindo antes que um problema possa ocorrer que vai lhe trazer dor e até custar um valor alto pra consertar.

Mas, como muitos pais de crianças pequenas sabem, fazer humanos escovarem os dentes pode ser uma atividade muito difícil. Mas depois que o hábito se forma, vira rotina e a gente faz sem nem pensar.

E é esse hábito que a gente tinha de formar para resolver nossos problemas. Tentar agir antes que eles fiquem enormes ou, até mesmo, antes de acontecerem.

Isso serve tanto na hora de já lavar a louça depois do jantar em cinco minutos ao invés de gastar uma hora lavando a louça acumulada, passando pela dor de dente e chegando em coisas gigantes como o aquecimento global ou uma pandemia.

Eu comecei a aplicar essas ideias na minha vida e posso atestar que cuidar de problemas antes foi um dos melhores hábitos que eu formei, pois além de eu ter menos problemas grandes para cuidar, eu tenho muito mais tempo livre para não me preocupar com problemas.

A gente está sempre indo atrás de uma pílula que cure aquela dor de cabeça que não passa nunca mais rápido ou como reciclar melhor nosso lixo para podermos consumirmos mais. Quando muitas das soluções é o simples fato de vermos o que está nos dando tanta dor de cabeça para não ter de tomar o remédio e consumirmos muito menos para não termos problemas com plásticos e químicos destruindo o meio ambiente.

Sim, temos muitos problemas enormes para resolver nas nossas vidas e alguns ainda maiores para resolver como sociedade e espécie humana. Vamos ter de lidar com esses de frente e o quanto antes.

Mas vão aparecer novos problemas e que a gente crie o hábito de tratar deles antes deles ficarem grandes, assim como escovamos os dentes.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL.