PUBLICIDADE
Topo

Jipão da Mercedes de R$ 1 milhão é campeão de recalls no Brasil

Lançado no Brasil em 2019, G 63 AMG já teve quatro recalls - Murilo Góes/UOL
Lançado no Brasil em 2019, G 63 AMG já teve quatro recalls
Imagem: Murilo Góes/UOL

Vitor Matsubara

Do UOL, em São Paulo (SP)

12/08/2020 04h00

Resumo da notícia

  • G 63 teve quatro recalls de janeiro a junho de 2020
  • Mercedes é marca com maior número de chamamentos no período
  • Problemas no airbag resultaram em oito recalls no 1º semestre

O Mercedes-AMG G63 é o modelo campeão de recalls em 2020. O jipão avaliado em mais de R$ 1 milhão esteve envolvido em quatro campanhas no primeiro semestre deste ano.

O levantamento foi feito pelo Papa Recall, aplicativo que informa ao motorista se um determinado veículo foi chamado para recalls.

No caso do modelo da Mercedes, os quatro recalls foram feitos para corrigir problemas nas portas dianteiras, turbocompressor, módulo de travamento do diferencial traseiro e trava de segurança infantil. De acordo com a pesquisa, quatro montadoras responderam pela metade do total de recalls no período: Mercedes-Benz, BMW, Porsche e Fiat.

Porsche Macan - Marcos Camargo/UOL - Marcos Camargo/UOL
Porsche fez quatro recalls no primeiro semestre do ano
Imagem: Marcos Camargo/UOL

Além disso, a Mercedes foi a marca que mais realizou recalls no primeiro semestre, respondendo por seis dos 34 chamados. Segundo a marca, o número de recalls reflete a preocupação da marca com a segurança dos clientes, já que tem como procedimento abrir processo de recall para qualquer possibilidade de falha.

"Na visão da marca, o aumento das campanhas se deve ao amadurecimento da indústria e da legislação brasileira, de forma que um recall não representa uma ação negativa à imagem da empresa. Ao contrário, demonstra a crescente preocupação dos fabricantes e dos seus fornecedores com a segurança do consumidor final", disse o comunicado da Mercedes (veja a íntegra abaixo).

No total, 18 montadoras convocaram recalls de 85 modelos de automóveis de passeio e comerciais leves. Apesar disso, o Papa Recall afirma que houve queda de 21% no número de montadoras, enquanto a quantidade total de modelos foi 36% menor em relação ao mesmo período de 2019.

Fora o G63, a empresa alemã também fez recalls de outros modelos da gama, como o A 250 e as Classes C, E, CLK e CLS. Os problemas foram variados, incluindo uma falha no teto solar.

No semestre, a BMW realizou quatro recalls, mesmo número da Porsche. Já a Fiat realizou três campanhas de chamamento entre janeiro e junho.

Falhas no airbag causaram 8 recalls

Airbag - Murilo Góes/UOL - Murilo Góes/UOL
Honda realizou dois recalls por problemas no airbag
Imagem: Murilo Góes/UOL

Apesar da diversidade de problemas, falhas relacionadas ao airbag seguem como um dos maiores motivos de recalls.

"No primeiro semestre de 2020, esse dispositivo de segurança esteve presente em oito convocações diante de um total de 34 ações de recall envolvendo 7 montadoras", afirmou Vinícius Melo, CEO do Papa Recall.

A Honda, por exemplo, realizou dois recalls: um para desativar e outro para substituir em definitivo a bolsa de ar do lado do motorista. Foram cerca de 35 mil unidades entre os modelos Civic, Accord, CR-V e Odyssey.

Além da marca japonesa, BMW, Nissan, Subaru, Chevrolet, Fiat e VW também realizaram chamamentos relacionados a problemas no componente.

Confira a íntegra do comunicado da Mercedes:

A Mercedes-Benz Cars & Vans considera o recall uma questão de respeito ao consumidor.

Com o intuito de priorizar a segurança do cliente, quando existe qualquer suspeita de falha em algum item do automóvel com potencial de comprometer a segurança dos passageiros ou terceiros, a situação é investigada por um comitê técnico. Caso seja confirmada a mínima possibilidade de falha, é iniciado um processo de recall. Essa verificação não ocorre somente no Brasil: um alerta em qualquer país pode gerar um recall em todos os mercados, garantindo que os padrões de segurança da marca sejam cumpridos no mundo todo.

Em algumas ações específicas, o automóvel é convocado diretamente para a substituição do item afetado. No entanto, na maioria dos casos, os veículos são chamados para uma análise a fim de que seja verificado se é preciso realizar alguma intervenção. Dessa forma, o reparo só ocorre se for constatada a necessidade objetiva.

Na visão da marca, o aumento das campanhas se deve ao amadurecimento da indústria e da legislação brasileira, de forma que um recall não representa uma ação negativa à imagem da empresa. Ao contrário, demonstra a crescente preocupação dos fabricantes e dos seus fornecedores com a segurança do consumidor final. Além disso, leis mais rígidas também estão contribuindo para essa relação transparente entre as empresas e o público.

Com essa iniciativa, a Mercedes-Benz visa assegurar a máxima satisfação de seus clientes, garantindo a qualidade, a segurança e a confiabilidade dos veículos da marca.