Topo

Testes e lançamentos


Ford Fusion ganha novo visual e mais tecnologia por R$ 150 mil iniciais

Linha 2019 do Ford Fusion, apresentada nos EUA em março do ano passado, estreia no Brasil - Divulgação
Linha 2019 do Ford Fusion, apresentada nos EUA em março do ano passado, estreia no Brasil
Imagem: Divulgação

Do UOL, de São Paulo (SP)

13/02/2019 07h00

Resumo da notícia

  • Preço inicial salta de R$ 122 mil para R$ 150 mil
  • Tecnologia semi-autônoma é destaque da linha 2019
  • Por ora, são três configurações: 2.0 turbo, 2.0 turbo AWD e Hybrid
  • Duas versão de acabamento: SEL e Titanium
  • Motor 2.0 Ecoboost (turbo) rende 248 cv; Fusion Hybrid tem 190 cv combinados
  • Reestilização chega ao Brasil quase um ano após lançamento global

Apresentada em março do ano passado no Salão de Nova York (EUA) e mostrada em novembro no Salão do Automóvel de São Paulo, a reestilização do Ford Fusion finalmente chega ao Brasil, trazendo visual atualizado, mais equipamentos de série (com destaque para sistema semi-autônomos de assistência ao motorista)... e preços mais altos. Importado do México, o Fusion 2019 parte de R$ 149.900, contra R$ 122.200 iniciais da linha anterior.

Por ora, a linha conta apenas com as versões SEL e Titanium de acabamento, esta última a mais completa do catálogo Ford. Em termos de trem-de-força, são três opções: 2.0 turbo EcoBoost de 248 cavalos (para a SEL), por R$ 149.900; 2.0 turbo EcoBoost AWD, que acrescenta a tração integral (Titanium), subindo de R$ 159.900 para R$ 179.900; e 2.0 Duratec, aspirado, somado a motor elétrico gerando um total de 190 cv (Titanium Hybrid), que passa de R$ 164.900 para R$ 182.990. 

Câmbio é sempre o automático de seis marchas.

Mais equipado e semi-autônomo

Visualmente, o novo Fusion exibe na dianteira faróis mais angulosos, grade redesenhada e para-choque mais encorpado, enquanto na traseira as lanternas contam com novas molduras e perderam o friso cromado central que as unia. As rodas também são novas.

Mais eficiente, o Fusion SEL agora traz de série teto solar elétrico, além de oito airbags, controles de tração e estabilidade, cintos de segurança traseiros infláveis, sensor de chave, partida do motor por botão, ar-condicionado digital de duas zonas, bancos dianteiros aquecidos e central multimídia compatível com Android Auto e Apple CarPlay.

As principais novidades, no entanto, estão nas versões Titanium, que ganharam tecnologias de assistência e condução semiautônoma, como alerta de colisão com detecção de pedestre e frenagem automática de emergência, monitoramento de ponto cego, sistema de permanência na faixa, farol alto automático e controle de velocidade de cruzeiro adaptativo que faz o carro acelerar e frear sozinho, inclusive em congestionamentos. Também está disponível sistema de estacionamento semiautomático. A integração desses sistemas é chamada pela Ford de "CoPilot360".

Como na linha 2018, a configuração Hybrid vem equipada com motor 2.0 aspirado a gasolina e propulsor elétrico para entregar potência combinada de 190 cv, com baixo consumo de combustível: 16,8 km/l na cidade e 15,1 km/l na estrada, de acordo com a montadora.

E o futuro do Fusion?

Em 2018, o Fusion foi o sedã médio-grande (grande para a Fenabrave) mais vendido do país, com 4.497 emplacamentos.

Essa possivelmente será a última grande atualização do modelo, que deverá sair de linha nos Estados Unidos dentro de dois a três anos, para a marca focar sua produção em SUVs e picapes. Para o Brasil, espera-se uma manutenção da família Ka, mais vendida da Ford do Brasil, mas também com aposta em SUVs de diferentes postas, bem como em picapes.

Mais Testes e lançamentos