PUBLICIDADE
Topo

Coisa de Meninos Nada

ANÁLISE

Texto baseado no relato de acontecimentos, mas contextualizado a partir do conhecimento do jornalista sobre o tema; pode incluir interpretações do jornalista sobre os fatos.

Câmbio automático: o que você precisa cuidar para não ficar na mão

Thais Roland

Thais Roland é técnica em Manutenção Automotiva e apaixonada pela graxa. Com seu canal no YouTube 'Coisa de Meninos Nada', busca informar, orientar e dar suporte em relação a dúvidas e neuras sobre o mundo dos carros

Colunista do UOL

22/06/2021 04h00

A manutenção de câmbios automáticos sempre dá o que falar. Já fizemos matéria falando sobre a importância da troca do óleo com o parecer de alguns dos maiores especialistas em lubrificantes.

Com esse monte de carros premium chegando no mercado com câmbios automáticos de nove e 10 velocidades, o óleo lubrificante do sistema precisa de atenção redobrada. Esses componentes usam fluido com ultra baixa viscosidade, importantíssimo para oferecer proteção, economia e evitar desgaste prematuro dos componentes.

A Valvoline reforça que cada sistema de transmissão automática exige um fluido específico, e essa característica precisa ser respeitada. No caso das transmissões automáticas com nove e 10 marchas, o fluido de ultra baixa viscosidade atinge as marchas longas (mais utilizadas em rodovias) com menor esforço.

Ela ainda aponta que o fluido da transmissão sofre desgaste e perde as características com o tempo, ficando exposto às altas temperaturas - então precisa ser substituído no intervalo especificado pelo fabricante. Não respeitar essa orientação pode prejudicar o sistema de transmissão automática, comprometer a eficiência e o desempenho do motor e aumentar o consumo de combustível.

Os câmbios automáticos estão cada vez mais presentes na frota brasileira e têm manutenção corretiva bem cara. Mais um motivo para investir na preventiva.

Agora me conte nos comentários como você está cuidando do câmbio do seu carro, seja automático ou manual.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL