PUBLICIDADE
Topo

VW Gol traz desempenho e bom consumo para envelhecer com dignidade

Vitor Matsubara

Do UOL, em São Paulo (SP)

28/09/2020 04h00

Resumo da notícia

  • Veterano hatch anda bem e tem boas marcas de consumo
  • Gol 1.6 MSI tem preço salgado, partindo de R$ 64.150
  • Carro também peca na falta de itens de segurança

É difícil falar algo novo de um carro que está há tanto tempo entre nós como o Volkswagen Gol. Mas felizmente ainda há espaço para surpresas.

Foi o que UOL Carros constatou ao passar uma semana com o Gol 1.6 MSI. A dupla formada pelo bom motor 1.6 MSI de até 120 cv e 16,8 kgfm e a transmissão automática de seis marchas resulta em um feliz casamento, entregando desempenho e economia de combustível.

O resultado é que o Gol se mantém firme e forte como o modelo mais vendido da Volkswagen no país. E olha que preço não é seu forte, já que o veterano hatch parte de R$ 64.150.

Divulgação

VW Gol 1.6 MSI AT

Preço

R$ 64.150
Carros
3,7 /5
USUÁRIOS
2,2 /5
ENTENDA AS NOTAS DA REDAÇÃO

Bons números de consumo para a categoria, especialmente com gasolina no tanque

Quem gosta de acelerar não vai ter do que reclamar: sobra fôlego nas acelerações e retomadas, graças ao casamento entre o bom motor 1.6 MSI e a caixa de seis marchas

A recente reestilização não foi suficiente para disfarçar o peso da idade do Gol

Nada além do básico - e a maioria dos itens presentes nos rivais são oferecidos como opcionais ou nem estão disponíveis

Ergonomia ruim e espaço interno é acanhado, especialmente no banco de trás

Custos estão dentro da categoria, mas poderiam ser menores nas primeiras revisões

Ponto fraco do Gol: o hatch tem apenas airbag duplo, freios ABS e 5 cintos de segurança de três pontos - todos obrigatórios por lei

Pontos Positivos

  • Consumo
  • Desempenho

Pontos Negativos

  • Preço
  • Design

Veredito

Do alto dos 12 anos nas costas, o VW Gol ainda é uma opção a ser considerada para quem procura um hatch automático na casa dos R$ 60 mil. Embora não seja barato, ele compensa com um desempenho vigoroso e boas marcas de consumo de combustível. Bom lembrar também da facilidade de revenda e os bons custos de manutenção. Os rivais, porém, são mais modernos, mais bem equipados e mais seguros.

VW Gol 1 - Murilo Góes/UOL - Murilo Góes/UOL
Reestilização mais recente do Gol estreou em 2018
Imagem: Murilo Góes/UOL

O visual do Gol é o mesmo desde 2018. Na ocasião, ele ganhou uma nova dianteira, com faróis maiores e uma grade frontal mais alta, além de para-choque redesenhado.

Só que o estilo não era inédito, já que ele havia sido inaugurado pela Saveiro em 2017 e posteriormente replicado no Gol Rallye antes de chegar às versões mais comuns.

A plástica até tenta, mas não consegue disfarçar o peso da idade da geração lançada em 2008. Características como a linha de cintura mais baixa e os vincos pela carroceria evidenciam que estamos diante de um projeto da década passada. Mesmo assim, o Gol não faz feio diante de alguns concorrentes, como o Toyota Etios.

Por dentro, o carro tem um estilo agradável e surpreendentemente elegante para um carro de entrada. As linhas do painel de instrumentos lembram as do Tiguan Allspace, abusando de formas horizontais. Pena que a Volkswagen decidiu manter os velhos painéis de porta do modelo de 2008, que destoam completamente do resto da cabine e dão uma nítida sensação de improviso.

O espaço interno também não é dos melhores. A posição de dirigir é levemente deslocada para a esquerda, enquanto quem viaja no banco de trás senta em posição alta e não tem muito espaço para os joelhos. O porta-malas de 285 litros está na média do segmento de hatches.

Gol 2 - Murilo Góes/UOL - Murilo Góes/UOL
Motor 1.6 MSI entrega até 120 cv e boas respostas
Imagem: Murilo Góes/UOL

Esqueça um pouco o visual porque o melhor do Gol está ao volante.

O bom motor 1.6 MSI entrega até 120 cv e 16,8 kgfm quando abastecido com etanol. Se a escolha for pela gasolina, os números caem para 110 cv e 15,8 kgfm.

Bom ressaltar que Gol e Voyage têm 3 cv a mais em relação ao Polo equipado com o mesmo motor. De acordo com a fabricante, isso acontece porque o formato do coletor de escape e sistema de admissão do Gol permitem um melhor fluxo de entrada e saída dos gases, resultando na cavalaria extra.

O casamento com o câmbio automático de seis marchas (que é o mesmo dos demais modelos da marca, mas com calibragem específica) é dos melhores. Ágil, a caixa faz trocas rápidas e preza pela suavidade, inclusive nas reduções. Quando o motorista pisa fundo no acelerador, a transmissão retarda ao máximo as trocas para explorar a elasticidade do conjunto, especialmente no modo Sport.

Os números de consumo são satisfatórios. Se o combustível for etanol, o sedã faz 8 km/l na cidade e 10,1 km/l na estrada.

Bom mesmo é rodar com gasolina, quando o Voyage faz 11,1 km/l na cidade e 13,6 km/l na estrada. Na prática, combinando trechos de cidade e rodovia e com ar-condicionado ligado o tempo inteiro, nós conseguimos uma média de 14 km/l.

VW Gol 3 - Simon Plejtinak/UOL - Simon Plejtinak/UOL
Cabine tem desenho moderno; carro só traz o básico de equipamentos
Imagem: Simon Plejtinak/UOL

O Gol sofre do mesmo mal de seu irmão Voyage. Apesar do preço salgado de R$ 64.150, o hatch decepciona na lista de equipamentos. Ele vem com ar-condicionado, direção hidráulica, vidros elétricos só nas portas dianteiras, travas elétricas, ganchos para fixação de cadeirinhas Isofix e suporte para celular.

O pacote Urban Completo custa R$ 3.520 e acrescenta computador de bordo, sensores de estacionamento traseiros, alarme com controle remoto, luzes de leitura para o banco traseiro, alças de segurança no teto, chave do tipo canivete, coluna de direção com regulagem de altura e profundidade, espelhos retrovisores e maçanetas na cor da carroceria, espelhos retrovisores com regulagens elétricas e função tilt-down, faróis de neblina, lanternas fumê, luzes de seta nos espelhos retrovisores, para-sóis com espelhos de cortesia e iluminação, rodas de liga leve de 15 polegadas, abertura elétrica a tampa do porta-malas e vidros elétricos traseiros.

Já o pacote Composition Touch sai por R$ 2.330 e traz a central multimídia Composition Touch com tela de 6,5 polegadas com espelhamento de tela e volante multifuncional revestido em couro com paddle shifts. Como alternativa mais acessível, existe ainda o pacote Media Plus, que custa R$ 1.160 e oferece o sistema de entretenimento Media Plus com quatro alto-falantes.

Por fim, a pintura metálica pode ser adquirida por mais R$ 1.610. Completa do jeito que nos foi cedida para avaliação, a unidade das fotos custa R$ 71.610.

Comparando com o líder de vendas Chevrolet Onix, a versão LTZ custa R$ 73.090 com câmbio automático de seis marchas.

Além da diferença de R$ 1.480 para levar um modelo muito mais moderno e seguro, o hatch da GM traz vários itens ausentes no Gol, como 6 airbags, controles de estabilidade e de tração, central multimídia com internet 4G e Wi-Fi, piloto automático, carregador de celular por indução, acendimento automático dos faróis, destravamento das portas sem chave e partida do motor por botão.

VW Gol 4 - Murilo Góes/UOL - Murilo Góes/UOL
Segurança é ponto fraco do veterano Gol
Imagem: Murilo Góes/UOL

Os custos de revisão não são altos, mas poderiam ser menores, sobretudo das primeiras paradas programadas. O seguro, em contrapartida, não é tão caro como costumava ser.

Na segurança, o Gol traz apenas o airbag duplo frontal e os freios ABS obrigatórios por lei. Recentemente, o carro passou a vir com três encostos de cabeça no banco de trás e cinto de segurança para o quinto ocupante, atendendo à legislação vigente a partir deste ano.

VW Gol 2 - Vitor Matsubara/UOL - Vitor Matsubara/UOL
Rivais do Gol são mais modernos
Imagem: Vitor Matsubara/UOL

O problema do Gol é que, em sua faixa de preço, ele enfrenta rivais mais modernos.

O Toyota Etios X (R$ 60.490) traz um motor mais fraco (1.3 de até 98 cv) e câmbio automático de quatro marchas.

Em compensação, além de mais moderno, o hatch da marca japonesa é bem mais seguro por vir com controles de estabilidade e de tração e assistente de partida em rampas.

Já o Ford Ka SE Plus (R$ 65.290) vem com um motor mais potente (1.5 de até 136 cv) e itens como central multimídia Sync 2,5 e piloto automático.

Mecânica
  • Motorização

  • 1.6, 16V, 4 cilindros em linha, flex

  • Combustível

  • Etanol / Gasolina

  • Potência (cv)

  • 120 cv / 110 cv

  • Torque (kgf.m)

  • 16,8 kgfm / 15,8 kgfm

  • Aceleração de 0 a 100 (segundos) (km/h)

  • 10,1 s / 10,7 s

  • Velocidade máxima (km/h)

  • 185 km/h / 179 km/h

  • Consumo cidade (km/l)

  • 7,7 km/l / 11,1 km/l

  • Consumo estrada (km/l)

  • 9,6 km/l / 13,6 km/l

  • Câmbio

  • automático de 6 marchas

  • Tração

  • dianteira

  • Direção

  • hidráulica

  • Suspensão Dianteira

  • independente, McPherson

  • Suspensão Traseira

  • eixo de torção

  • Freios Dianteiros

  • discos ventilados

  • Freios Traseiros

  • tambor

Pneus e Rodas
  • Pneus

  • 195/55 R15

  • Rodas

  • 15 polegadas

Dimensões
  • Altura (mm)

  • 1474 mm

  • Comprimento (mm)

  • 3892 mm

  • Entre-eixos (mm)

  • 2467 mm

  • Largura (mm)

  • 1893 mm

  • Ocupantes

  • 5

  • Peso (kg)

  • 1.055 kg

  • Porta-malas (L)

  • 285 l

  • Tanque (L)

  • 55 l

Preço das Revisões, Seguro e Garantia
  • 10.000 km

  • R$ 532,73

  • 20.000 km

  • R$ 596,83

  • 30.000 km

  • R$ 522,73

  • 40.000 km

  • R$ 842,37

  • 50.000 km

  • R$ 522,73

  • 60.000 km

  • R$ 596,83

  • Seguro

  • R$ 1.500 (média)

  • Garantia

  • 3 anos