PUBLICIDADE
Topo

Após cancelar bloco, Preta Gil fala sobre Carnaval 2022: 'Seguir a ciência'

Preta Gil lança coleção de verão - Divulgação
Preta Gil lança coleção de verão Imagem: Divulgação

Laysa Zanetti

Do UOL, em São Paulo

05/12/2021 04h00

Preta Gil já fez questão de anunciar: o já tradicional Bloco da Preta não sai às ruas do Rio de Janeiro no Carnaval 2022. A cantora desistiu do desfile após ter feito o pedido para a prefeitura, em virtude dos desdobramentos da pandemia. Durante o lançamento de sua nova coleção de verão em parceria com a C&A, Além dos Mares, nesta quinta-feira, Preta conversou com o UOL e explicou sua decisão.

Segundo ela, a resolução sobre o que vai acontecer com o Carnaval 2022 deve vir com base na ciência. "As autoridades precisam observar e seguir a ciência e as orientações dos médicos e sanitaristas. Isso vai acontecer, ninguém vai autorizar um Carnaval se não for possível fazer um Carnaval. A questão não é essa. Ele pode ser autorizado."

Mesmo assim, para ela, a decisão de não sair com o Bloco da Preta tem um motivo pessoal.

Eu, Preta, não me sinto pronta emocionalmente para puxar um bloco. Passei por perdas e lutos que ainda vivo durante essa pandemia. Perdi meu melhor amigo. Celebro muito o fato de estar viva, mas acho que não tenho a alegria esfuziante da qual preciso para subir em um trio e comandar um bloco para 1 milhão de pessoas.

"É uma escolha pessoal. Não sei se vai ter Carnaval", prossegue. "Se tiver e os meus colegas se sentirem seguros e for algo de fato tranquilo para todos, eu vou aplaudir. Mas eu não consigo. Ainda vivemos uma pandemia. Vou voltar para as ruas quando não houver mortos. Eu não consigo naturalizar um 'só tem 300 mortos por dia'. Então, vou esperar."

Preta Gil é uma das quatro artistas que assinam a nova linha de verão da marca, ao lado de Grazi Massafera, Manu Gavassi e Ludmilla. As peças criadas por Preta fazem homenagem a Salvador, cidade onde ela cresceu, após se mudar do Rio de Janeiro aos seis meses de idade.

"Eu só precisei fechar meus olhos e lembrar da minha infância. Quando fiz isso, coloquei várias ideias no papel. O jambo, que é uma fruta que meu avô me dava, está na estampa floral. A oncinha foi um maiô que ganhei da Lidoca, que era das Frenéticas", conta. "Meu sonho era ter um maiô de oncinha, e ela me deu de presente quando eu tinha 5 anos, em Salvador. O confete em forma de coração tem a ver com o Carnaval, que vivo desde que nasci. A coleção tem a minha história."