PUBLICIDADE
Topo

Blocos de rua

Sábado de multidões nas ruas revela paixão de São Paulo pelo pré-Carnaval

Jussara Soares

Colaboração para o UOL

19/02/2017 04h00

Não tem mais jeito. São Paulo está apaixonada pelo Carnaval. E, pelas milhares de pessoas que se viu pelas ruas neste sábado (18),  trata-se de uma paixão avassaladora, dessas que deixam em estado de graça e com a felicidade estampada no rosto.

Em Pinheiros, a Avenida Brigadeiro Faria Lima virou um circuito de blocos. O Casa Comigo puxou a fila, com concentração às 11h. Em seguida, saíram Toca Um Samba, com o grupo de pagode Inimigos da HP, e Bloco do Chá, com Alinne Rosa.

À medida que uma apresentação terminava, o público permanecia para a próxima. O resultado foi um mar de gente, entre o Bar Pirajá e o Largo da Batata. Quando o Bloco do Chá encerrou seu desfile pouco antes das 20h, as "novinhas" -- fantasia típica dos fãs do Casa Comigo -- ainda desfilavam pela região.

No meio da multidão estava a funkeira Valesca Popuzada, que teve que caminhar 30 minutos entre os foliões para chegar ao Bloco do Chá, do qual era convidada. Tudo porque a van que iria buscá-la não conseguiu chegar ao hotel onde estava hospedada.

Em tarde de sol forte, nada de fantasias pesadas. Sungas e biquínis foram adotados como numa folia à beira-mar. Acessórios com flores, com temas de super-heróis, anjos e muitos unicórnios arrematavam o visual. A prova do encantamento  do paulistano pelo folia nas ruas é que as multidões se espalharam em vários pontos da cidade.

No Ibiraquera, Alceu Valença transformou São Paulo em Pernambuco. "Acho que Os Capoeira devia sempre abrir o Carnaval de São Paulo, porque capoeira e candomblé foram os primeiros batuques do Brasil. É muito axé", disse a atriz Marisa Orth, porta-estandarte da agremiação, que ainda contou a presença da atriz Mel Lisboa na percussão.

Nos bairros da República e da Consolação -- na região central de São Paulo -- vários blocos circularam e, em alguns momentos, seus foliões se cruzaram e puderam se alternar entre os grupos. O bloco Soviético, o Me Fode Que Eu Sou Produção e o Sereianos foram alguns dos destaques.

Na Vila Madalena, o Ritaleena arrastou muitos foliões e até registrou um princípio de confusão, com empurra-empurra, quando encontrou em seu trajeto o público de outro bloco, que não teria concluído sua dispersão no horário combinado. No mesmo bairro, outros grupos como o Besta É Tu, que reúne um publico menor, foram suficientes para agitar as vias da região.

Até bairros menos tradicionais no quesito folia tiveram suas ruas tomadas por baterias e trios elétricos. Na Vila Olímpia, a Banda Eva comandou o bloco Beleza Rara. Nos Jardins, o Vem Ni Mim que Tou com Tudo desfilou com Chiquinho Scarpa como muso.