Melhores pães do mercado

Branco, integral, com grãos: avaliamos diferentes categorias do produto para você fazer uma boa escolha

Diana Cortez Colaboração para o VivaBem

Um alimento milenar, delicioso e muito presente em nosso dia a dia, como opção para o café da manhã, lanches e até no almoço e jantar. É difícil encontrar alguém que não goste de pão. E no supermercado há opções para atender a praticamente todos os desejos, gostos e necessidades dos amantes do produto.

Mas, diante de tanta variedade, muitas vezes fica difícil saber qual é a escolha mais saudável. Para ajudar você, pedimos para nutricionistas avaliarem os pães disponíveis nas prateleiras e apontarem as melhores marcas em oito categorias: pão de forma branco (o convencional, com farinha refinada), integral, com grãos, com castanhas, pão de milho, bisnaguinha tradicional, bisnaguinha integral e pão sem glúten.

Quais foram os critérios de seleção?

A equipe do VivaBem consultou o site das marcas, foi às lojas e acessou o site dos principais supermercados de São Paulo para listar os pães disponíveis ao consumidor. Em seguida, passou a relação às especialistas do nosso júri, que não têm relação com qualquer fabricante.

Para eleger os três melhores pães de cada categoria, as nutricionistas avaliaram principalmente critérios técnicos, como o valor nutricional e os ingredientes. No entanto, como em algumas categorias as características nutricionais dos pães são muito parecidas, preferências pessoais como sabor e consistência podem ter pesado para o desempate.

Assim, produtos semelhantes aos "vencedores" podem ter ficado de fora de nossos pódios, o que não significa que são ruins —longe disso, eles podem ser tão bons quanto os escolhidos. O mais importante é que, a partir das informações e escolhas apresentadas pelo VivaBem, você compreenda as características essenciais de um bom pão e consiga fazer a melhor escolha observando a tabela nutricional e a lista de ingredientes dos produtos que encontra aí no supermercado perto de sua casa.

Houve praticamente um empate técnico no pódio e todos os produtos são boas escolhas. Os três pães brancos, que usam farinha refinada como principal ingrediente, têm como pontos positivos a lista de ingredientes enxuta (o que indica que não há tantos conservantes e aditivos químicos na receita) e não possuir gordura vegetal hidrogenada (a popular gordura trans, que é nociva à saúde e eleva o risco de doenças cardiovasculares e no fígado, por exemplo).

O Pão Do Forno Original Wickbold ficou com o primeiro lugar por oferecer um pouquinho a mais fibras em relação aos seus concorrentes, apesar de essa não ser uma característica comum e que se espera de pães brancos.

Já o Pão Plusvita Tradicional, da Pullman, ocupou a segunda posição pelo bom sabor e textura —e a qualidade nutricional que já explicamos, claro. O Pão de Forma Zero, da Panco, completou o ranking por não conter açúcar e possuir um maior teor de proteína do que os concorrentes (6,8 g do nutriente em 50 g).

Como escolher um bom pão?

  • Avalie os ingredientes

    Originalmente, o pão é feito apenas de farinha, água, sal e fermento. Uma vasta lista de itens na composição pode indicar que o produto possui muitos aditivos químicos (como melhoradores de farinha) e conservantes, que aumentam sua durabilidade. Alimentos com grande quantidade dessas substâncias entram na categoria de ultraprocessados e devem ser consumidos com muita moderação, pois são cada vez mais associados a diversos problemas de saúde.

  • Fique de olho nas gorduras

    Óleos e gorduras costumam entrar na composição dos pães para dar maciez ao produto. O ponto de atenção deve ser com a presença de gordura vegetal hidrogenada (a famosa gordura trans), que é inflamatória. Ela apresenta maior risco cardiovascular e, se consumida em grandes quantidades, pode gerar esteatose hepática (gordura no fígado), podendo evoluir para fibrose, cirrose e até câncer. O óleo de palma é outro ingrediente que exige atenção, por se tratar de uma gordura saturada também nociva à saúde cardiovascular. Dê preferência aos pães feitos com óleos vegetais poli-insaturados, como soja e girassol.

  • Confira a tabela nutricional

    Não se deixe levar apenas por mensagens no rótulo. Enaltecer que o pão possui 15, 20 ou mais grãos não garante que o produto seja rico em fibras, se esses itens estiverem no fim da lista de ingredientes, ou seja, em pouca quantidade na receita. Se sua intenção é comprar um pão rico em fibras (que dão saciedade e evitam picos de açúcar no sangue), cheque essa informação na tabela nutricional e a compare com outros produtos.

Produzidos para atender um público preocupado com a saúde, esses pães usam a farinha de trigo integral, que tem fibras, importantes para o bom funcionamento do intestino, a saciedade e para evitar picos de açúcar no sangue (o que estimula a produção de insulina, favorecendo o estoque de gordura corporal).

Os três selecionados do ranking têm como vantagem ser 100% integrais —ou seja, não usam farinha branca (a comum), que é permitido pela legislação, mas faz com que o produto tenha menor teor de fibras. O Pão 100% Integral Tradicional Wickbold ficou em primeiro lugar pois, além dessa característica, tem poucos conservantes e não contém gordura vegetal hidrogenada.

O Pão Integral com Linhaça e Aveia, da Vale do Sol, se destacou devido ao elevado teor de fibra (8,4 g em cada 50 g). Já a terceira colocação ficou com o Pão 100% Integral Plant Based, da Nutrella, que tem uma quantidade baixa de fibras (1,7 g em 50 g) para a categoria, mas se diferencia dos demais analisados por não conter aditivos químicos na composição.

Os pães de milho costumam agradar quem busca um sabor mais adocicado. Eles têm como diferencial o uso da farinha de milho, mas a farinha de trigo tende a ser o principal ingrediente do produto.

O Pão de Milho Casa da Vó, da SevenBoys, ficou com a primeira colocação por apresentar mais fibras e menos conservantes em relação aos concorrentes. O produto também não traz a gordura vegetal hidrogenada, apesar de um teor maior de gorduras totais (2,4 g por porção de 50 g).

Em segundo lugar vem o Pão de Milho Pullman, que apresenta baixo teor de gordura (0,9 g em 50 g) em comparação aos demais. O Pão de Milho Kim ficou em terceiro lugar pois, apesar de ter mais fibra e menos conservantes em relação ao segundo colocado, perdeu pontos devido à presença da gordura trans na composição.

Os grãos são uma maneira de adicionar ainda mais fibras e proteínas —ainda que esse não seja o objetivo do pão enquanto alimento —, além de vitaminas, minerais e antioxidantes.

Os selecionados para nosso ranking se destacam por não trazer gordura vegetal hidrogenada. O Pão Integral 12 Grãos, da SevenBoys ficou em primeiro lugar por ser rico em fibras (5,9 g em 50 g) e conter poucos conservantes.

Em segundo lugar, o Pão 100% integral Grãos Germinados, da Wickbold, se destaca por ter menos gorduras totais em relação aos outros e 3,9 g de fibras em 50 g. O Pão 14 Grãos Plant Based, da Nutrella, com 3,2 g de fibras por porção, fechou o pódio e tem como diferencial uma fórmula sem aditivos químicos —nisso ele supera até os que ficaram em posição melhor do ranking.

3 boas razões para o pão estar na sua mesa

  • Fornece energia

    O pão é um alimento rico em carboidrato, que é transformado em glicose (energia) em nosso organismo. Por isso, é uma opção interessante e prática para consumir antes de realizar exercícios físicos, por exemplo, e no café da manhã, pois o corpo ficou várias horas sem ingerir alimento desde a última refeição e precisa de combustível para funcionar bem.

  • Mais uma fonte de fibra

    Consumir pão integral é uma maneira de atingir a ingestão de fibras recomendada (25 gramas por dia). Elas dão saciedade, contribuindo para o controle de peso, melhoram o funcionamento do intestino e ajudam a prevenir o câncer do intestino. Por ser digerida mais lentamente que a farinha refinada, a integral evita picos de glicemia, o que é interessante para o diabético e para quem quer manter a saúde e a forma física. Ainda fornece mais vitaminas e minerais, como magnésio, fósforo, cálcio.

  • É uma opção até para celíacos

    Os pães produzidos com farinhas sem glúten atendem perfeitamente às necessidades de pessoas com doença celíaca --ou seja, que possuem intolerância à proteína do trigo. E as marcas estão investindo cada vez mais para aprimorar suas receitas e entregar um produto saboroso e que ofereça outros benefícios nutricionais para este público.

As oleaginosas não só contribuem para deixar os pães mais nutritivos, como também saborosos. Para fazer uma boa escolha, cheque sempre a posição dessas sementes na lista de ingredientes —quanto mais perto do começo, maior a quantidade do alimento na receita.

Nosso júri elegeu como primeiro colocado o Pão 100% Integral Girassol & Castanha, da Wickbold, que além de uma lista reduzida de ingredientes (poucos conservantes), traz a semente de girassol e da castanha-de-caju como terceiros e quartos ingredientes.

Já a segunda posição ficou com o Pão 100% integral Grãos & Castanhas, da Pullman. Ele apresenta a mesma quantidade de fibras que o primeiro colocado e é feito com um mix de grãos (castanha-do-pará, nozes e semente de girassol), fornecendo boa variedade de nutrientes.

O Pão Integral de Castanha & Nozes, da SevenBoys conquistou o terceiro lugar no pódio pela boa quantidade de fibras, ter a castanha-do-pará como quarto ingrediente e não conter gordura trans, assim como os dois primeiros do ranking.

As bisnaguinhas são comuns no café da manhã e lanches escolares das crianças. No entanto, vale lembrar que são alimentos ultraprocessados. Portanto, devem ser consumidas com moderação.

Na hora da compra, vale observar os detalhes que já explicamos: quantidade de aditivos químicos e conservantes na lista de ingredientes, se há gordura vegetal hidrogenada e fibras, vitaminas e micronutrientes fornecidos por porção.

Com base nesses critérios, a primeira colocada do nosso ranking foi a Bisnaguinha Tradicional Wickbold, que apresenta um maior teor de fibras por porção, além de ser fonte de 10 vitaminas e minerais. Em seguida vem a Bisnaguinha Original SevenBoys, que se destaca pelo baixo teor de conservantes e de açúcar. Ambas não possuem gordura trans.

O Bisnaguito Tradicional Pullman completou o pódio. Ele superou os demais concorrentes, que ficaram fora do ranking, por não conter gordura trans, uma vez que os especialistas recomendam que o consumo dessa substância seja ainda menor pelas crianças, em comparação aos adultos.

Estou de dieta: vale investir em pão light ou sem açúcar?

Não se engane! Qualquer produto é denominado light quando tem redução de 25% de alguns dos ingredientes, que pode ser sódio, carboidrato ou gordura —o que faz com haja uma redução de calorias. Mas, no caso do pão, muitas vezes esse número não é tão significativo (cerca de 30 kcal por porção).

"E ao reduzir os principais ingredientes do alimento, descaracterizamos o produto e pode ser difícil manter a consistência da massa", esclarece Marchiori. Nesse caso, se o objetivo é cortar calorias, o que vale mesmo é controlar o número de fatias que você consome.

O açúcar sai, mas o carboidrato continua

Inicialmente, pães zero açúcar podem até parecer uma boa ideia para quem tem diabetes ou deseja perder peso. Mas, no final das contas, tanto o carboidrato da farinha quanto o açúcar viram glicose no organismo. Portanto, ser zero açúcar é um detalhe que não vai fazer grande diferença para um pão —até porque a quantidade usada em uma receita geralmente é de uma colher de sopa. Basta reparar que a quantidade de calorias continua bem parecida com os demais pães.

A vantagem desses produtos é fornecer mais fibras do que a versão tradicional.

As Bisnaguinhas Integrais Wickbold ficaram com o primeiro lugar por terem um teor de fibras adequado, um mix de vitaminas, poucos conservantes e não conter gordura trans.

As Bisnaguinhas Integrais Panco até oferecerem maior quantidade de fibras por porção que as outras do ranking, mas ficaram na segunda posição por possuir gorduras trans —em menor quantidade da Bisnaguinha Integral Kim, por isso ela ficou com o terceiro lugar.

Produzidos para atender um público mais específico de pessoas com doença celíaca, esses pães são preparados com farinhas sem glúten —proteína naturalmente presente no trigo, na cevada e no centeio, que dá elasticidade à massa e maciez ao produto final.

Entre os ingredientes mais usados para substituir a farinha comum estão o amido de milho, as féculas de batata e de mandioca e a farinha de arroz, mas outros tipos podem ser adicionados.

A textura do pão sem glúten é bem diferente daquela que conhecemos justamente pela ausência da proteína do trigo. E, para garantir um pão saboroso e bonito, além de diferentes farinhas, a indústria inclui mais gordura para deixá-lo macio e úmido.

Se a sua intenção é consumir pão sem glúten porque acredita "é bom para emagrecer", saiba que ele pode ser mais calórico que os pães tradicionais feitos com farinha de trigo.

Na hora de comprar um pão sem glúten, é importante avaliar o tipo de gordura usada na fabricação do produto, além de sua quantidade, assim como o teor de fibras da porção e a quantidade de conservantes.

Nosso júri definiu a primeira colocação para o Pão de Forma Tradicional sem Glúten Schär por ele conter maior teor de fibra que os demais, não possuir gordura trans e ter pouca quantidade de gordura saturada. Em segundo lugar, vem o Pão Beterraba e Batata Doce sem Glúten Wickbold, que se destaca por ter poucos aditivos químicos, além de ser enaltecido por sua textura e sabor.

A terceira colocação ficou para o Pão Multigrãos Sem Glúten e Lactose Delirie, que traz ingredientes interessantes, como chia, quinoa, linhaça, gergelim e psyllium na composição. No entanto, o produto perdeu colocações por apresentar maior quantidade de gordura, inclusive de palma, que é saturada.

Os Melhores Alimentos do Supermercado

Esta é uma série do VivaBem que ajuda você a fazer escolhas mais saudáveis no dia a dia. Veja outros rankings

Natural, proteico, sem açúcar: quais são os melhores iogurtes do mercado

Ler mais

Integral, néctar, concentrado: nutricionistas apontam os melhores sucos do mercado

Ler mais
Topo