PUBLICIDADE

Topo

Saúde

Sintomas, prevenção e tratamentos para uma vida melhor


Saúde

Luis Gustavo morre vítima de câncer no intestino; entenda melhor a doença

Reprodução/Globo
Imagem: Reprodução/Globo

Do VivaBem, em São Paulo

19/09/2021 15h49

O ator Luis Gustavo, 87, morreu no domingo (19), após complicações de um câncer no intestino. Idade e excesso de peso são considerados os principais fatores de risco para o surgimento da doença.

Segundo o Inca (Instituto Nacional de Câncer), o câncer de intestino inclui tumores que se iniciam na parte do intestino grosso, chamada cólon, e no reto, final do intestino e antes do ânus, além do ânus. Também é conhecido como câncer de cólon e reto ou colorretal.

Os principais sintomas da doença, que costuma ser mais silenciosa no começo, envolvem presença de sangue ou muco nas fezes, cólicas abdominais, mudança no hábito intestinal, fezes escuras ou em forma de fitas, anemia, entre outros.

Esse tipo de câncer é tratável e curável, principalmente se for detectado de forma precoce, quando não se espalhou para outras regiões do corpo.

O que aumenta o risco de câncer de intestino?

Segundo o Inca, os principais fatores relacionados ao maior risco de desenvolver câncer do intestino são idade igual ou acima de 50 anos, excesso de peso corporal e alimentação não saudável, isto é: pobre em frutas, vegetais e outros alimentos que contenham fibras.

Inclusive, o consumo de carnes processadas (salsicha, mortadela, linguiça, presunto, bacon, salame, entre outras) e a ingestão excessiva de carne vermelha (acima de 500 gramas de carne cozida por semana) também aumentam o risco para este tipo de câncer. Veja lista completa abaixo:

  • Fatores de risco modificáveis;
  • Ingestão excessiva de carnes vermelhas;
  • Dietas pobres em frutas, legumes e verduras;
  • Obesidade abdominal;
  • Sedentarismo;
  • Fumo;
  • Consumo excessivo de álcool;
  • Fatores de risco não modificáveis;
  • Idade igual ou acima de 50;
  • Doenças inflamatórias intestinais, como colite ulcerativa ou doença de Crohn;
  • Herança familiar;
  • Histórico pessoal de câncer ou pólipo;
  • Etnia (judeus de origem europeia oriental têm maior tendência, além de pessoas negras);
  • Diabetes tipo 2.

Há formas de prevenir?

Sim. O Inca explica que a manutenção do peso corporal adequado, a prática de atividade física, assim como a alimentação saudável, são pontos fundamentais para a prevenção do câncer de intestino. Confira outras formas de prevenir a doença:

  • Tente limitar o consumo de carne vermelha a no máximo duas vezes por semana, ou 300 gramas semanais. Procure evitar carnes processadas, como embutidos;
  • Consuma ao menos cinco porções diárias de frutas, verduras e legumes, e dê preferência aos cereais integrais. As fibras desses alimentos favorecem o trânsito intestinal, evitando que a mucosa fique mais tempo exposta a eventuais toxinas, mas não há evidência de que usar suplementos com esse fim tenha papel protetor;
  • Pratique atividades físicas regularmente;
  • Evite o consumo de álcool;
  • Não fume;
  • Mantenha o peso sob controle;
  • Procure o médico sempre que detectar alterações nas fezes ou no hábito intestinal.

O exame de colonoscopia deve ser realizado a partir dos 50 anos de idade, ou a partir dos 40 anos em caso de histórico de câncer na família. Os resultados determinam com que regularidade ele deve ser repetido. Lembre-se que o procedimento também funciona como preventivo contra o câncer colorretal.

*Com informações da reportagem publicada em 23/05/2021.

Saúde