PUBLICIDADE

Topo

Antecipação de Doria em SP pegou capital de surpresa e gerou fracionamento

O prefeito Ricardo Nunes (à esquerda) e o governador João Doria (PSDB) em encontro no domingo - Governo do Estado de São Paulo
O prefeito Ricardo Nunes (à esquerda) e o governador João Doria (PSDB) em encontro no domingo Imagem: Governo do Estado de São Paulo

Lucas Borges Teixeira

Do Viva Bem, em São Paulo

15/06/2021 12h10

O anúncio da antecipação do cronograma de vacinação contra covid 19 no estado de São Paulo feito pelo governador João Doria (PSDB) no último domingo pegou a prefeitura da capital de surpresa e culminou no escalonamento do calendário na cidade, anunciado hoje.

Segundo fontes ouvidas pelo UOL, apesar de positiva, a antecipação gerou a necessidade de um plano rápido para evitar falta de doses, visto que há quase 1,5 milhão de pessoas entre 50 e 59 anos só na cidade, e criou maior pressão sobre o cumprimento das datas. Agora, a indicação é que as faixas etárias de um mesmo grupo se vacinem em pares.

Veja próximas datas de vacinação na cidade de São Paulo

  • Terça-feira (hoje): 58 e 59 anos
  • Quarta-feira (amanhã, 16): 56 e 57 anos
  • Quinta-feira (17): 54 e 55 anos
  • Sexta-feira (18): 52 e 53 anos
  • Sábado (19): 50 e 51 anos
  • Segunda (21) e terça (22): repescagem das idades anteriores

O principal motivo para este plano de escalonamento é que os governos federal e estadual repassam os lotes de vacinas de forma fracionada aos municípios, conforme recebem das fabricantes. Então, a cidade não teria, de cara, as 1,5 milhões de doses para este primeiro grupo, de 50 a 59 anos, já disponíveis amanhã, data prevista para início estadual.

"Nós vamos receber as vacinas de acordo com o grupo de vacinação. Hoje, a gente recebe 180 mil doses da AstraZeneca. A partir de quarta-feira, a gente está fazendo esse escalonamento primeiro em função de que a gente recebe as doses das vacinas em etapas e, segundo, para não ter aglomeração", afirmou o secretário municipal de Saúde, Edson Aparecido hoje cedo.

Antes da antecipação anunciada por Doria, o grupo de 50 a 59 anos seria dividido em três etapas (59-55, 54 e 53-50) e vacinado, ao todo, em 49 dias, entre amanhã (16) e 3 de agosto. Com o adianto, reduziu para uma semana.

Segundo fontes ouvidas pelo UOL, a mudança foi encarada positivamente pela prefeitura e pela secretaria municipal, mas foi preciso fazer adaptações. O plano foi traçado às pressas entre domingo e ontem por Aparecido e pelo prefeito Ricardo Nunes (MDB) e suas equipes, com participação do próprio Doria.

O governador e o prefeito se encontraram na manhã do domingo para lançar a Pedra Fundamental para o início das obras do parque Bruno Covas, na marginal Pinheiros, zona sul da capital. A antecipação do calendário, que foi anunciada à tarde do mesmo dia, não foi informada a Nunes na ocasião, segundo o UOL apurou.

A Vigilância Sanitária da capital, que dá suporte à organização da vacinação, também ficou sabendo sobre o adianto após a entrevista coletiva, pela imprensa.

A avaliação é que o adiantamento é positivo para a população e os governos desde que Doria consiga cumprir com as datas. Um dos pontos levantados é que esta promessa não depende só dele, mas —e principalmente— do Ministério da Saúde, responsável pela distribuição das doses, e das produtoras das vacinas, que têm entregado lotes com atraso.

Aparecido se diz confiante quanto ao calendário. "Não existe risco de atraso de dose porque, na previsão feita pelo PNI [Programa Nacional de Imunização] e pela Secretaria Estadual de Saúde, nós teremos as vacinas disponíveis para essa antecipação", afirmou.

Agora, um dos debates da gestão Nunes é se o cronograma municipal fracionado será divulgado todo de uma vez, para que a população se programe, ou se será anunciado sempre no sábado anterior a cada grupo. A segunda opção leva em consideração um possível atraso no calendário.

Outra possibilidade é deixar a repescagem geral dos grupos para o sábado, como previa a proposta original, voltado às pessoas que não conseguem se vacinar em dias úteis, e não mais na segunda e terça, como foi anunciado. Segundo Aparecido na apresentação, esta foi uma sugestão de Doria.

Segundo a prefeitura, o plano é uma orientação, não uma proibição. Logo, pessoas do grupo entre 50 e 59 anos poderão se vacinar em outras datas. "Mas a recomendação é que sigam o indicado", pediu Aparecido.

Além disso, quem perder a sua data indicada, pode ir na repescagem, voltada apenas a seu grupo. "O escalonamento não é impeditivo para que se tome depois, caso esteja impossibilitado. Recebemos até hoje idosos do primeiro grupo", explicou o secretário.

    Como fica o restante do calendário segundo a gestão Doria

    • 23 a 29 de junho: 43 a 49 anos
    • 30 de junho a 14 de julho: 40 a 42 anos
    • 15 de julho a 29 de julho: 35 a 39 anos
    • 30 de julho a 15 de agosto: 30 a 34 anos
    • 16 a 31 de agosto: 25 a 29 anos
    • 1º a 15 de setembro: 18 a 24 anos