PUBLICIDADE

Topo

Saúde

Sintomas, prevenção e tratamentos para uma vida melhor


Saúde

EUA anunciam doação de 500 mi de doses de vacina; Brasil não está na lista

Do Viva Bem, em São Paulo

10/06/2021 10h07Atualizada em 10/06/2021 19h13

O governo dos Estados Unidos anunciou hoje a doação de 500 milhões de doses de vacina da Pfizer a 92 países de baixa e média renda. O Brasil não aparece na lista.

Segundo a Casa Branca, as vacinas contra a covid-19 serão entregues a países como o Afeganistão, Angola e Fiji. Os países foram definidos pela iniciativa Gavi Covax, da OMS (Organização Mundial da Saúde).

As vacinas começarão a ser enviadas em agosto de 2021. A expectativa do governo dos Estados Unidos é de que, até o final do ano, 200 milhões de vacinas sejam entregues. Outros 300 milhões de doses devem ser enviadas no primeiro semestre de 2022.

"Enquanto o vírus estiver a solta no mundo há risco de mutações que podem atacar nossas pessoas e isso diminui o crescimento da economia e enfraquece os governos", afirmou Biden em discurso horas após o anúncio da Casa Branca.

Biden ainda ressaltou que as doações estão sendo feitas para salvar vidas e acabar com a pandemia "sem comprometimento ou pressão por concessões e favores".

Como nós vimos nos Estados Unidos a chave para a reabertura e retomada da economia é a vacinação das pessoas. Nosso programa de vacinação permitiu a retomada da economia da maior crise do século."
Joe Biden, presidente dos EUA

Na semana passada, os Estados Unidos anunciaram que o Brasil e países da América do Sul receberão 6 milhões de doses de vacina via Covax Facility. Ainda não há detalhes oficiais sobre o número de imunizantes que o Brasil vai receber.

Como as vacinas doadas exigem duas doses, o total que chegará neste primeiro momento à América Latina e Caribe será suficiente para imunizar 3 milhões de pessoas —a região tem mais de 438 milhões de habitantes.

Saúde