PUBLICIDADE

Topo

Saúde

Sintomas, prevenção e tratamentos para uma vida melhor


Saúde

Exame de urina pode detectar câncer de próstata agressivo, mostra estudo

iStock
Imagem: iStock

Do VivaBem, em São Paulo

27/04/2021 12h37

Pesquisadores da Universidade de Michigan Rogel Cancer Center, nos Estados Unidos, desenvolveram um novo teste de biomarcador à base de urina para detectar câncer de próstata agressivo. Esse teste teve um desempenho melhor do que os de biomarcadores já existentes em avaliações pré-clínicas iniciais.

Ele coleta uma amostra de urina de homens após um exame retal digital e usa o sequenciamento genômico para analisar o líquido. O teste foi chamado de Urine Prostate Seq ou UPSequsa e o estudo publicado no periódico da European Urology Oncology.

De acordo com os pesquisadores, esse teste pode ser mais rápido, mais barato e mais fácil de usar do que outras ferramentas de triagem, além, principalmente, de poder detectar o câncer mais precocemente.

Como foi feito o estudo?

O modelo UPSeq foi treinado em 73 pacientes e validado em um conjunto de 36 pacientes que representam o espectro da doença.

A equipe usou uma forma de inteligência artificial para se concentrar em 15 transcrições de RNA que juntas criam uma "biópsia líquida" que superou o teste padrão que eles usavam para detectar o câncer de próstata.

Se for descoberto que um homem tem um nível elevado de PSA (que mede a quantidade de antígeno específico da próstata no sangue), os médicos precisam primeiro determinar se é um sinal de câncer de próstata e, se for, se ele é agressivo.

E é justamente por isso que esse teste é importante: ele tem várias aplicações clínicas potenciais que mostram se o homem tem um câncer e em qual estágio ele está, diferente dos exames convencionais como os de sangue, biópsias e de imagem, que demoram um pouco mais para fechar um diagnóstico completo.

"O problema é que um paciente pode ter várias áreas de câncer na próstata e essas áreas podem ser diferentes entre si", explica o autor sênior do estudo Simpa Salami, professor assistente de urologia na Michigan Medicine.

"Por causa disso, tanto as biópsias da próstata quanto os exames de ressonância magnética podem perder evidências de doença agressiva. Portanto, este teste de urina é projetado para nos dizer o que realmente está acontecendo em toda a próstata".

Segundo os autores do estudo, esse teste ainda pode detectar mutações hereditárias no gene HOXB13 que podem alertar se os membros da família do paciente também podem ter risco de desenvolver um câncer de próstata devido a mutações genéticas específicas. Contudo, novos testes serão feitos e a pesquisa deve continuar.

Saúde