PUBLICIDADE

Topo

Após ver que calça 44 estava apertada, ela perdeu 23 kg e ganhou autoestima

Arquivo pessoal
Imagem: Arquivo pessoal

Bárbara Therrie

Colaboração para o VivaBem

04/02/2021 04h00

Amanda Guedes, 28, ganhou mais de 20 kg e, apesar de saber que estava com excesso de gordura, não tinha noção do quanto. A securitária e estudante de nutrição só percebeu que seu peso estava muito acima do normal quando foi provar uma calça 44 e ela ficou apertada. Com a autoestima abalada, depressiva e sem energia para nada, Amanda decidiu mudar hábitos para ter mais saúde. A seguir, conta como conseguiu

"Até os 15 anos eu me mantive dentro do peso saudável e meu manequim variava entre 36 e 38. Comecei a engordar quando passei a estudar em período integral. Como ficava o dia inteiro na escola, pedia marmita no restaurante e escolhia as comidas mais pesadas, tipo massas e feijão tropeiro. Também me tornei uma pessoa ansiosa e, por causa disso, comia doces todos os dias.

Em três anos, fui dos 49 kg aos 70 kg. Busquei várias dietas poucos saudáveis, mas nenhuma durou muito tempo. Alguns regimes 'malucos' me fizeram me sentir fraca e perder a concentração na escola, por isso desisti.

Como emagreci - Amanda - Arquivo pessoal - Arquivo pessoal
Imagem: Arquivo pessoal

Não pensava em fazer uma reeducação alimentar e comer bem, eu achava que só iria emagrecer com dietas muito restritivas. Como nenhuma garantia o resultado prolongado que esperava, vivia no efeito sanfona. Então, fui ao médico e ele me deu um remédio para emagrecer. A medicação até tirava minha fome, mas, mesmo assim, eu queria comer.

Não comia por fome. Buscava na alimentação um prazer imediato que não encontrava nas outras coisas.

Era um ciclo, quando percebia que tinha comido muito, ficava mal e comia mais ainda. Eliminei 3 kg com o remédio, mas ele me deixava muito estressada e não aguentei continuar.

Depois que me formei no ensino médio, entrei em um quadro depressivo por causa do sobrepeso. As pessoas que me conheceram quando eu era magra ficavam assustadas com o quanto eu tinha engordado, isso acabava comigo. Eu me afastei das minhas amigas, só ficava no quarto, não tinha disposição para nada, só queria saber de comer e ficar deitada. Minha autoestima ficou lá embaixo, me sentia feia e incapaz. Foram tantas tentativas frustradas que achava que nunca conseguiria emagrecer.

Como emagreci - Amanda - Arquivo pessoal - Arquivo pessoal
Imagem: Arquivo pessoal

Teve um dia que fui comprar uma calça jeans e a 44 ficou apertada. Nem cogitei provar a 46, não aceitava vestir uma peça tão maior que o 'meu tamanho'. Foi quando a chave virou e percebi o quanto havia me descuidado e me abandonado.

Aos 18 anos e com 76 kg, resolvi mudar. Comecei a seguir nas redes sociais algumas mulheres que passaram pelo processo de emagrecimento e adotaram hábitos saudáveis. Elas acordavam 5h da manhã para se exercitar e tinham uma alimentação regrada. Pensei: 'Se elas conseguiram, vou conseguir também'.

Não procurei nenhuma ajuda profissional nem segui nenhuma dieta específica. Intuitivamente, fui cortando todas as besteiras que sabemos que, se consumidas em excesso, fazem mal, mas que mesmo assim a gente come: pizza, hambúrguer, refrigerante, batata frita, salgadinhos, sobremesas etc.

Cortei doces e reduzi a quantidade de carboidratos, sempre optando pelas versões integrais de pães, arroz, massas. Passei a comer mais frutas e a tomar mais água. Aumentei o consumo de proteína (frango, peixe, ovo, carne), porque eu me sentia saciada, e me forcei a comer salada, que eu não gostava.

No início, evitava ir a festas e quando ia na casa de alguém que pedia pizza, comia uma barra de proteína. Essas mudanças na alimentação funcionaram porque, diferentemente das outras vezes em que fiz dietas restritivas, eu não passei fome.

Como Emagreci - Amanda - Arquivo pessoal - Arquivo pessoal
Imagem: Arquivo pessoal

Passei a malhar de segunda a sexta, fazia musculação e treinos de alta intensidade (HIIT). Aos finais de semana, caminhava no condomínio. Criei um foco, uma força e uma consciência de que os resultados só dependiam de mim, me dediquei por um ano e sequei 23 kg, atingindo 53 kg. Fiquei até mais magra do que a meta inicial, que era 58 kg.

Dez anos após esse processo, permaneço com o mesmo estilo de vida: amo treinar e comer bem. Aprendi a me controlar e hoje me permito consumir alimentos não saudáveis às vezes, com moderação.

"Para perder peso, precisei abrir mão de comer muitas coisas que gostava. Mas, depois que atingi meu objetivo, passei a viver com equilíbrio. Esse é o segredo para me manter bem até hoje, pois sei que posso consumir o que quero, desde que no momento certo e com limite

Ao ver minha mudança, várias pessoas me procuraram para saber o que eu tinha feito, por isso criei o perfil @equilibrio_ehvida, onde mostro minha rotina e compartilho receitas saudáveis. Meu propósito é ajudar outras mulheres a ganharem autoestima e qualidade de vida, coisas que conquistei com a perda de peso e mudança de hábitos.

Hoje, sou uma pessoa totalmente diferente do que eu era. Emagrecimento é muito mais que estética. Antes, era uma pessoa mal-humorada, sem disposição, que só sabia reclamar. Hoje, sou uma Amanda cheia de energia, bem-humorada, grata e otimista. Amo exercício físico, se tornou a minha terapia, não faço dieta e sigo buscando meu equilíbrio."

Quer emagrecer? Receba um plano gratuito com treino e dieta em seu email

Você quer mudar hábitos, começar a praticar exercícios, ter uma alimentação mais saudável e emagrecer? O VivaBem preparou uma série de newsletters com um programa de treino e uma dieta para perder peso (neste link tem a caixa para você se cadastrar para recebê-las). Ao assinar a newsletter do #ProjetoVivaBem, você vai receber em seu email, ao longo de 12 semanas, um plano completo e gratuito com exercícios, cardápios e dicas para mudar o estilo de vida, que ajudarão a alcançar o objetivo de eliminar gordura corporal, ganhar músculos e, principalmente, adotar hábitos mais saudáveis. Siga nosso programa e compartilhe seu novo dia a dia mais saudável e seus resultados nas redes sociais com a #ProjetoVivabem.