PUBLICIDADE

Topo

Saúde

Sintomas, prevenção e tratamentos para uma vida melhor


Saúde

Covid-19: Estudo confirma eficácia de tratamento com plasma convalescente

Transfusão de plasma com anticorpos reduziu taxa de mortalidade entre infectados pelo coronavírus - kckate16/iStock
Transfusão de plasma com anticorpos reduziu taxa de mortalidade entre infectados pelo coronavírus Imagem: kckate16/iStock

Do VivaBem, em São Paulo

13/08/2020 12h55

Um estudo americano confirmou a eficácia no tratamento de pacientes com covid-19 usando transfusões de plasma, que é a parte líquida do sangue. Já o plasma convalescente, testado na pesquisa, vem de pessoas infectadas pelo novo coronavírus e que se recuperaram, podendo fornecer anticorpos para pacientes ainda em recuperação.

A pesquisa foi publicada na segunda-feira (10) pelo jornal acadêmico American Journal of Pathology, que é uma publicação da Sociedade Americana de Patologia Investigativa. O estudo avaliou 316 pacientes e é uma evolução de análises posteriores sobre o plasma convalescente, que já tinham provado a segurança do tratamento contra a covid-19.

No estudo conduzido pela rede de oito hospitais do Houston Methodist, no Texas, foram analisados apenas pacientes em estado grave. A maioria deles recebeu uma única amostra de plasma convalescente. Já 70 deles receberam duas amostras do líquido com anticorpos para o coronavírus.

A análise, que acompanhou os pacientes por 28 dias, constatou eficácia na redução do índice de mortalidade. No entanto, o tratamento funcionou melhor ainda naquelas pessoas que receberam o plasma em até 72 horas após a internação. Ficou comprovado então que o método é mais eficiente quando ministrado ainda no início dos cuidados hospitalares.

O estudo acompanhou pacientes que ficaram internados na rede de hospitais desde o início da pandemia nos Estados Unidos, em 28 de março, até 6 de julho. Neste período, eles foram comparados com pessoas também contaminadas pelo coronavírus, mas que não receberam o plasma convalescente.

"Nossos estudos até agora mostram que o tratamento é seguro e, em um número promissor de pacientes, eficaz", disse James M. Musser, chefe do Departamento de Patologia e Medicina Genômica do Houston Methodist e um dos líderes da pesquisa.

"Embora o tratamento com plasma convalescente permaneça experimental e tenhamos mais pesquisas para fazer e dados para coletar, agora temos mais evidências do que nunca que esta terapia de plasma centenária tem mérito, é segura e pode ajudar a reduzir a taxa de mortalidade por este vírus", acrescentou.

Como disse Musser, o tratamento de doenças com plasma convalescente é uma técnica centenária, tendo sido usada ainda no início do século passado para tratar pacientes da gripe espanhola. O método já havia sido testado em estudos sobre sua segurança no tratamento da covid-19 e obteve sucesso.

Saúde