Topo

Saúde

Sintomas, prevenção e tratamentos para uma vida melhor


Saúde

'Microbiota de magro': produto anunciado por ex-BBB emagrece mesmo?

As bactérias do nosso intestino são importantes para a saúde, mas não é um simples suplemento que vai mudá-las - iStock
As bactérias do nosso intestino são importantes para a saúde, mas não é um simples suplemento que vai mudá-las Imagem: iStock

Priscila Carvalho

Do VivaBem, em São Paulo

18/10/2019 19h09Atualizada em 21/10/2019 18h57

Na última quarta-feira (16), a influenciadora e ex-BBB Mayra Cardi usou sua conta no Instagram para anunciar a venda de um protocolo de emagrecimento chamado de detox limpeza profunda, que prometia deixar a pessoa com uma "microbiota do magro".

Segundo a propaganda, além da mudança na alimentação, o programa conta com um suplemento probiótico manipulado que contribui para a alteração da população de bactérias no intestino (microbiota), que está relacionada ao desenvolvimento de doenças e o excesso de peso. A substância seria capaz de regular o intestino, eliminar o inchaço abdominal e limpar todas as bactérias ruins do organismo, diminuindo a ansiedade e gerando uma redução de 2 kg a 4 kg no peso corporal.

"Você já deve ter visto muita gente que come e não engorda. O magro tem algo diferente, que uma pessoa com sobrepeso não tem. Agora, é possível adquiri-lo", divulgou a ex-BBB Mayra Cardi.

O kit, que segundo alguns internautas custava R$ 500 e era limitado, foi muito criticado por diversos cientistas e profissionais da área da saúde, pois não há estudos relevantes feitos com humanos que comprovem que ingerir suplementos probióticos reduza a gordura corporal.

Como envolve uma mudança alimentar, talvez, o programa divulgado pela ex-BBB até promova a perda de peso. Porém, é pouco provável que um suplemento transforme a população de bactérias do intestino de alguém, trazendo resultados positivos no emagrecimento e permitindo que ela possa "comer e não engordar", o que Mayra disse acontecer com pessoas magras por causa de sua microbiota.

"Não é tão simples assim colocar as bactérias de uma pessoa magra em uma pessoa com excesso de gordura e esperar mudanças na perda de peso. As bactérias vão estar em um ambiente hostil, não vão conseguir sobreviver e não haverá mudanças. Vai gerar uma frustração no paciente", diz Antônio Hebert Lancha Júnior, professor titular de nutrição da Escola de Educação Física e esporte da USP (Universidade de São Paulo).

A microbiota intestinal exerce papel importante não só na digestão e absorção de nutrientes, como também na produção de hormônios e até na imunidade. Vale lembrar que cada indivíduo possui uma composição própria de bactérias intestinais, que começa a se formar desde o nascimento e depende de fatores externos como amamentação na infância, desmame, dieta, prática de exercícios.

"O que provoca mudanças de bactérias no organismo é o estilo de vida: sair do sedentarismo e seguir um cardápio saudável, rico em alimentos naturais. Sempre explico que não existe uma única variável para que isso ocorra. Vender um produto como algo milagroso é uma falta de sensibilidade muito grande", finaliza.

Resposta dos criadores do produto

A assessoria de imprensa de Mayra Cardi entrou em contato com a equipe do VivaBem pedindo que os médicos e a farmacêutica que desenvolveram o produto fossem ouvidos. Até o momento, nossos repórteres não conseguirem falar com os médicos ligados à farmácia de manipulação Florata, que comercializou o detox de limpeza profundo, para que eles expliquem se existem trabalhos científicos comprovam que o protocolo de emagrecimento funciona.

Segundo a responsável pela farmácia de manipulação, o protocolo detox de limpeza profundo foi criado com base em evidências científicas e, resumidamente, consiste em uma alimentação restrita e saudável por 30 dias; orientação para ingestão de água; e a suplementação de probióticos e outras substâncias.

Podcasts do UOL
Ouça o podcast Maratona, em que especialistas e corredores falam sobre corrida. Os podcasts do UOL estão disponíveis em uol.com.br/podcasts, no Spotify, Apple Podcasts, Google Podcasts e outras plataformas de áudio.

Saúde