PUBLICIDADE

Topo

Grávida, Mayra Cardi é adepta do crudivorismo. Dieta é segura na gestação?

Alimentos que não são de origem animal e crus fazem parte do cardápio da life coach - Reprodução/ Instagram
Alimentos que não são de origem animal e crus fazem parte do cardápio da life coach Imagem: Reprodução/ Instagram

Priscila Carvalho

Do VivaBem, em São Paulo

18/06/2018 04h00

Quem acompanha as redes sociais da life coach Mayra Cardi sabe dos cuidados que ela tem com a alimentação saudável. Grávida de seis meses, a empresária é adepta do veganismo e do crudivorismo--dieta baseada em alimentos crus.

Recentemente, ela usou sua conta no Instagram para rebater críticas que recebeu sobre seu estilo de vida e reforçou que não voltará a comer carne e produtos de origem animal só porque está grávida. “Triste que ainda existam veículos que publiquem inverdades. Hoje eu li uma reportagem que praticamente condenou os vegetarianos, dizendo que não é uma boa escolha paras as gestantes e crianças...”, escreveu ela.

Triste que ainda existam veículos que publiquem inverdades. E feliz que possamos ter o nosso espaço aqui para falar diretamente com vcs. Hoje eu li uma reportagem com “algumas” inverdades sobre a minha escolha de me alimentar. A reportagem praticamente condenou os vegetarianos, dizendo que não é uma boa escolha para as gestantes e crianças. Triste ver mães se alimentando somente de pizza e coca cola e não fazem ideia sobre o perigo da desnutrição e doenças, diabetes, câncer, problemas respiratórios, cardíacos, dentre outras coisas, e para isso não se criam matérias para nos ajudar. É triste assistir a perda de tempo que se tem em falar mal ou causar o mal na vida do outro quando se deveria estar fazendo o bem. Eu estudei na faculdade Columbia em Nova York sobre um universo mágico que é o vegan e o crudivorismo, morei 6 anos nos EUA onde me formei em nutrição esportiva apenas para entender minhas necessidades. Tenho um programa que cuida da saude onde temos uma equipe multidisciplinar com Nutrólogo, nutricionista, psicólogo, personal trainer, terapeutas, coach, programadores neuro linguísticos, e ainda assim mesmo tendo TODOS os profissionais incluindo a mim mesma, eu obviamente escolhi uma medica para acompanhar minha gestação MARAVILHOSA. Ela é Nutróloga formada aqui e em Harvard, pós graduada com Lair Ribeiro e nos EUA, formada em física quântica, ginecologia, psicologia, obstetra e mais um milhão de formações. Estou sendo acompanhada pelos melhores! Então, eu sei MUITO bem o que estou fazendo. Eu não indico a NENHUMA pessoa seguir qualquer alimentação que não domine. Mas incentivo e MUITO qualquer pessoa a comer TUDO que vem da natureza e não o que homem cria. A natureza é perfeita, temos legumes, folhas, grãos, peixes, bichos, frutas... Tem tudo que qualquer ser humano precisa, seja ele criança ou adulto .Incentivo SIM trocarem o sorvete, a pizza, o açúcar pelas comidas que DEUS nos deu! Desejo que todos possam ser saudáveis e que essas doenças geradas pela má alimentação desapareçam desse mundão. Qualquer coisa que disserem que icentivo além disso, é pura maldade ou má interpretação de ignorante. Foto com David Seres DIRETOR de nutrição em Nova York

Uma publicação compartilhada por Mayra Cardi (@mayracardi)

em

Não comer carne é prejudicial ao feto?

A falta de carne e o consumo de dietas específicas durante a gestação ainda gera muitas discussões. Mas será que a ausência da proteína e de alimentos crus durante os nove meses podem trazer riscos para saúde da mãe e do bebê?

De acordo com especialistas, a resposta é não. “A mulher não precisa voltar a comer carne durante a gravidez. Não existe nenhum malefício comprovado de que ser vegetariano ou vegano traga riscos ao bebê.”, afirma Aline Vieira, nutricionista materna infantil e coordenadora do departamento de nutrição materna infantil da SBV (Sociedade Vegetariana Brasileira).

Durante a gestação  ,é normal que as mulheres fiquem suscetíveis à anemia e tenham que usar suplementos—isso vale tanto para onívoras quanto para as vegetarianas e veganas. Segundo Aline, o ideal é investir em uma alimentação rica em ferro e fazer exames periodicamente.

O que é crudivorismo

Todo alimento que não é cozido ou frito a uma temperatura maior que 46 graus celsius está dentro desse tipo de dieta. Podem ser vegetais, legumes, grãos, sementes e algas. E sabe aquela velha história de que alimentos levados ao fogo perdem os nutrientes?  É verdade. Comidas cruas possuem enzimas, que, quando expostas ao fogo, perdem o valor nutricional que o organismo precisa. 

Por ser um alimento que não tem nenhum tipo de contato com o fogo, o ideal é consumi-lo ou prepará-lo em casa, como explica Luna Azevedo, nutricionista pela Unirio, especialista em ortomolecular e fitoterapia. “O único alerta é para o consumo desses alimentos na rua, onde o indivíduo pode não higienizar as mãos e provocar toxoplasmose na gestante. Fora isso, não há nenhuma contraindicação”, ressalta. " Seguir esse tipo de dieta ajuda no combate de doenças cardiovasculares e crônicas."