Topo

Saúde

Sintomas, prevenção e tratamentos para uma vida melhor


Saúde

Terapia hormonal com estrogênio pode melhorar perda cognitiva em mulheres

iStock
Imagem: iStock

Do VivaBem, em São Paulo

17/10/2019 20h27

Pesquisadores da Sociedade Norte-Americana de Menopausa descobriram que tomar estrogênio como parte de terapia de reposição hormonal pode ajudar a combater o declínio cognitivo em mulheres. O estrogênio é produzido pelo ovário e é um dos principais hormônios femininos.

Publicado no periódico Menopause, o trabalho científico pode ser mais uma arma no tratamento contra o Alzheimer, já que quase dois terços de todas as pessoas que sofrem com a condição são mulheres, segundo Alzheimer's Society, dos Estados Unidos.

No país, cerca de 3,5 milhões sofrem com a condição. Já no Brasil, o número de pessoas que sofrem com o problema ultrapassa 1,2 milhão, mas não há dados específicos sobre o público feminino.

Os pesquisadores sugeriram que o hormônio feminino pode ter uma relação direta com esse tipo de demência. Isso porque, após a menopausa as mulheres experimentam uma queda nos níveis de estrogênio e isso pode torná-las mais suscetíveis ao problema.

Como o estudo foi feito

  • A equipe acompanhou mais de 2 mil mulheres pós-menopausa durante um período de 12 anos e analisaram a ligação entre os níveis de estrogênio e declínio cognitivo.
  • Eles também analisaram o tempo em que as mulheres tiveram exposição ao estrogênio e incluíram fatores na pesquisa como: história reprodutiva, quantos anos se passaram entre a primeira menstruação e a menopausa, número de gestações e amamentação.
  • Ao analisar os dados, os cientistas puderam observar que a exposição ao estrogênio está associada a uma melhor saúde cognitiva em mulheres mais velhas.
  • O estudo mostrou ainda que os benefícios foram melhores para as mulheres mais velhas da pesquisa, que começaram a tomar o hormônio mais cedo

10 sinais de alerta sobre o Alzheimer

  • Problema de memória que chega a afetar as atividades e o trabalho
  • Dificuldade para realizar tarefas habituais
  • Dificuldade para se comunicar (as palavras às vezes "fogem")
  • Desorientação no tempo e no espaço
  • Diminuição da capacidade de juízo e de crítica
  • Dificuldade de raciocínio
  • Colocar coisas no lugar errado, muito frequentemente
  • Alterações frequentes do humor e do comportamento
  • Mudanças na personalidade
  • Perda de iniciativa para fazer as coisas

Saúde