Topo

Saúde

Sintomas, prevenção e tratamentos para uma vida melhor


Saúde

Tomar três xícaras de café por dia aumenta risco de enxaqueca, diz estudo

Bebidas com cafeína podem ser gatilho para enxaqueca - iStock
Bebidas com cafeína podem ser gatilho para enxaqueca Imagem: iStock

Do VivaBem, em São Paulo

08/08/2019 14h12

Pessoas que sofrem de enxaqueca geralmente têm gatilhos para os episódios, como problemas com sono, estresse, remédios e certos alimentos ou bebidas. Após analisar alguns padrões em alguns desses indivíduos, uma nova pesquisa, publicada no periódico American Journal of Medicine nesta quinta-feira (8), mostrou que uma a duas porções dessas bebidas com cafeína não estavam associadas a dores de cabeça, mas três ou mais já aumentam a probabilidade de enxaqueca no mesmo dia ou no seguinte.

Segundo os cientistas, essa porção varia de acordo com a bebida. Uma lata de refrigerante com cafeína, por exemplo, conta como uma porção, assim como uma xícara de café ou de chá ou uma lata de energético. "Como os tipos de bebida consumida pelas pessoas observadas variou, não podemos dizer qual a quantidade de cafeína associada ao risco aumentado de enxaqueca. Entretanto, nesta análise de apenas seis semanas a escolha de cada pessoa foi bastante consistente", diz Elizabeth Mostofsky, que liderou o estudo.

Como o estudo foi feito

  • Ao todo, 98 adultos com enxaqueca episódica frequente completaram diários eletrônicos todos os dias por pelo menos seis semanas.
  • Todos os dias, os participantes relataram as porções totais de café, chá, refrigerante e bebidas energéticas que consumiram, bem como relatórios de cefaleia preenchidos duas vezes por dia, detalhando o início, a duração e intensidade e medicamentos usados
  • Os participantes também forneceram informações detalhadas sobre outros desencadeantes comuns de enxaqueca, incluindo uso de medicamentos, consumo de bebidas alcoólicas, níveis de atividade, sintomas depressivos, estresse psicológico, padrões de sono e ciclos menstruais.
  • Os cientistas compararam a incidência de enxaqueca de um participante em dias com ingestão ou não de bebida com cafeína.
  • Os resultados mostraram que uma a duas porções dessas bebidas com cafeína não estavam associadas a dores de cabeça, mas três ou mais já aumentam a probabilidade de enxaqueca no mesmo dia ou no seguinte.
  • No entanto, entre as pessoas que raramente consumiam bebidas cafeinadas, até uma ou duas porções aumentavam as chances de ter uma dor de cabeça naquele dia.

Saiba diferenciar a dor de cabeça comum da enxaqueca

Dor de cabeça comum: entre os especialistas, ela é também definida como do tipo tensional. Geralmente, a dor comum tem intensidade leve a moderada e abrange toda a cabeça, conferindo-lhe uma sensação de peso ou pressão. Nessa hipótese, o incômodo passa com o uso de analgésico ou breve repouso.

Enxaqueca: a dor tem características próprias e sempre vem acompanhada de outros sinais, como os abaixo.

  • A intensidade é de média a forte;
  • A dor acomete um dos lados da cabeça, especialmente testa e têmporas, mas pode migrar para o outro lado ou ser bilateral;
  • A sensação dolorosa se manifesta como uma pulsação. É como se um coração batesse na cabeça;
  • Há maior sensibilidade à luz, sons, odores (perfumes, cheiro de alimentos, fumaça, cigarro etc.);
  • Pode ocorrer perda de apetite, enjoo ou vômito;
  • Percebe-se dificuldade de digestão, empachamento;
  • Sente-se vertigem, tontura ou sensação de desequilíbrio;
  • Observa-se ansiedade, irritação, cansaço e sonolência semelhantes ao que se vivencia quando se está em estado pré-gripal;
  • A compulsão por doces é notável;
  • Há queda da concentração e rendimento no trabalho, entre outros sinais.

Como as enxaquecas se dividem em dois tipos (com aura e sem aura), além de todos esses elementos, estarão presentes sintomas neurológicos como distorções visuais, isto é, o indivíduo enxerga pontos brilhantes, tem perda de campo visual: metade dele, apenas periférico ou mesmo perda total da visão por alguns momentos.

Os gatilhos da enxaqueca

Outra particularidade da enxaqueca é a identificação de gatilhos, ou seja, circunstâncias que podem "ligar" a dor. As mais frequentes são:

  • Cansaço;
  • Estresse;
  • Privação de sono;
  • Jejum prolongado;
  • Ciclos hormonais femininos;
  • Variações climáticas (extremo de clima --calor ou frio, bem como ambiente com ar-condicionado);
  • Consumo de álcool.

Quando procurar ajuda médica?

Se você conta três dias de dor de cabeça no período de um mês, ocasiões nas quais o uso de analgésico foi necessário, procure um neurologista imediatamente, conforme orientação é da SBCefaleia (Sociedade Brasileira de Cefaleia). A contagem pode ser assim: a dor se manifestou por três dias seguidos, ou um dia a cada semana.

Se, durante um trimestre, você conta 15 dias ou mais de cefaleias no interregno de 30 dias, e isso se repete no espaço de um ano, já significa que a dor de cabeça é crônica.

Informações de matéria publicada no dia 30/04/19 e apurada por Cristina Almeida para o VivaBem.

Mais Saúde