Topo

Equilíbrio

Cuidar da mente para uma vida mais harmônica


Equilíbrio

Mudança nas curtidas do Instagram pode mesmo melhorar nossa saúde mental?

iStock
Imagem: iStock

Priscila Carvalho

Do Uol VivaBem, em São Paulo

18/07/2019 19h42

Na última quarta-feira (17), o Instagram iniciou no Brasil um teste que oculta a contagem de curtidas nos posts. Segundo a empresa, a medida é fazer com "que pessoas não sintam que estão em uma competição dentro da rede social e foquem menos nas curtidas e mais em contar suas histórias".

Na prática, apenas o dono da conta saberá quem curtiu sua publicação. A ação já era discutida há tempos por profissionais de saúde que alegam que a rede social prejudica a saúde mental das pessoas.

Segundo Cristiano Nabuco, psicólogo do grupo de dependência tecnológica do Instituto de Psiquiatria da USP (IPQUSP) e colunista do UOL VivaBem, embora experimental, o teste pode trazer muitos benefícios em longo prazo. " O indivíduo precisa se preocupar com uma navegação com mais qualidade em vez de quantidade. Acho que a ação pode promover mudanças perceptíveis", diz.

Nabuco ressalta ainda que as redes sociais viraram o novo cigarro. "A pessoa está entediada e quer desestressar, vai lá dá uma olhada, navega e depois volta a fazer o que realmente precisa", diz.

As curtidas têm um papel fundamental na autoestima das pessoas. O efeito negativo pode ser ainda pior nos adolescentes, que estão em fase desenvolvimento social e em construção da personalidade. "É muito delicado essa valorização excessiva da imagem e como se tornou uma moeda de troca. Isso ganhou uma notoriedade muito grande", afirma.

"Chuva de likes" age cérebro

Ao postar uma foto no Instagram, você ficava esperando receber algum like na imagem. Além disso, era quase normal curtir a foto do amigo, de um famoso e até se assustar com a quantidade de curtidas que determinado influencer recebeu.

Mas já parou para pensar por que você espera e quer receber essas curtidas? Ou como ficaria se não recebesse nenhum tipo de retorno em relação à postagem? A resposta está no nosso cérebro.

As redes sociais envolvem duas estruturas do cérebro. Uma delas é o neocórtex, responsável pela lado social e que induz a tomada de decisão, realização de tarefas e questionamentos como: "o que eu quero?" e "o que eu sinto?". Também há a parte do sistema de gratificação cerebral, aquele famoso sistema de recompensa. Ao dar uma curtida ou receber você ativa essas duas regiões.

"Essas estruturas têm uma função natural de estimular as pessoas para socialização. Por isso quando você dá ou recebe uma curtida, se torna quase que imediata a relação de felicidade e gratidão", diz Hermano Tavares, psiquiatra e coordenador do Programa Ambulatorial Integrado dos Transtornos do Impulso do IPq HC-FMUSP (Instituto de Psiquiatria do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo).*

No entanto, esse mecanismo quando estimulado em excesso pode provocar frustrações e até vícios em alguns indivíduos. Tavares aponta ainda que reforçar demais um elemento mais motivador pode causar elementos apelativos, perda de controle e adicção.

Tem como se desconectar?

Algumas redes sociais, como o próprio Instagram, conseguem mostrar quanto tempo do seu dia você "perdeu" naquela plataforma. Nabuco explica que esses tipos de ferramentas são fundamentais para diminuir a atividade dos indivíduos na internet.

Ele afirma ainda que fazer uma autoavaliação é fundamental para evitar danos maiores à saúde. É importante colocar determinadas dicas em práticas, como:

  • Não responda determinada mensagem em aplicativos
  • Silencie aplicativos que fazem com que você perca muito tempo olhando a vida alheia
  • Procure substituir o tempo em que você ficaria em algum aplicativo de foto ou texto e por ler um livro, aprender um novo idioma ou praticar atividade física.
*Dados da matéria publicada no dia 07/06/2019.