PUBLICIDADE

Topo

Saúde

Sintomas, prevenção e tratamentos para uma vida melhor


Saúde

Como funciona o alinhador dental transparente? Ele é melhor que o de metal?

O alinhador transparente pode corrigir muitos dos problemas que o aparelho fixo resolve, mas não todos - iStock
O alinhador transparente pode corrigir muitos dos problemas que o aparelho fixo resolve, mas não todos Imagem: iStock

Sibele Oliveira

Colaboração para o UOL VivaBem

27/06/2019 04h00

Resumo da notícia

  • Por serem discretos, os alinhadores dentais transparentes (ou invisíveis) têm despertado cada vez mais o interesse das pessoas
  • Eles podem corrigir muitos dos problemas que o aparelho fixo resolve, como má-oclusão dental, dentes encavalados ou com muito espaço entre eles
  • Além da estética, outra vantagem dos alinhadores é que eles são removíveis, o que facilita a escovação
  • No entanto, há desvantagens: são mais caros e não solucionam todos os problemas que os aparelhos fixos resolvem

Exibir um "sorriso metálico" não é regra para quem deseja ter dentes bem alinhados. Hoje, existem alternativas para quem não quer chamar a atenção de que está usando aparelho. É o caso dos alinhadores ortodônticos transparentes (ou "invisíveis"), que têm despertado cada vez mais interesse nas pessoas por serem discretos.

Como funciona?

Os alinhadores possuem uma certa elasticidade e resistência. Ao ser colocado, o acessório vai "tentar" voltar à sua posição normal. Isso gera uma força leve e contínua, capaz de "levar" (aos poucos, claro) os dentes para a posição correta. O princípio é o mesmo dos aparelhos "convencionais", e o alinhador transparente consegue corrigir muitos dos problemas que o de metal --como má-oclusão (desalinhamento entre os dentes de cima e de baixo), dentes tortos, encavalados, com muito espaço entre eles ou imperfeições no alinhamento --, mas não todos (entenda melhor mais abaixo no texto, no item desvantagens).

O alinhador pode ser usado por crianças, adolescentes e adultos. No tratamento, a pessoa vai trocando sequencialmente o alinhador conforme o problema regride, até a correção total do problema. Embora proporcionem um resultado semelhante ao dos aparelhos fixos, eles funcionam de forma completamente diferente. Os alinhadores transparentes são trocados a cada duas ou três semanas, no máximo. Já o aparelho fixo geralmente permanece o mesmo do início ao fim do tratamento, e o especialista vai fazendo os ajustes necessários.

Vantagem não é só estética?

Apesar de a questão estética parecer a mais atrativa, uma das principais vantagens dos alinhadores é a possibilidade de removê-los para fazer as refeições, o que facilita a escovação e o uso do fio dental. Além de contribuir para a saúde dos dentes, isso torna mais prático o dia a dia de quem usa o aparelho.

O fato de provocar menos dor e desconforto também conta pontos na hora da escolha, já que eles não têm volume, fios ou pontas. "Quando comparamos o tratamento com alinhadores e com o aparelho fixo, os alinhadores são menos desconfortáveis. Os pacientes sentem a inflamação pós-ativação ortodôntica comum para qualquer tipo de aparelho, porém os alinhadores têm um acabamento refinado", diz Alael de Paiva Lino, doutor em ortodontia pela USP (Universidade de São Paulo) e professor da residência da SPO (Sociedade Paulista de Ortodontia).

Além disso, segundo Roberto Shimizu, cirurgião-dentista e doutor em ortodontia pela Unesp (Universidade Estadual de São Paulo), dependendo do caso, a solução pode ser mais rápida com o alinhador com placas transparentes do que com o aparelho de metal.

Quem escolhe os alinhadores ainda elimina problemas comuns na rotina de quem usa aparelhos ortodônticos, como a formação de manchas e a quebra de bráquetes. "Durante o tratamento corretivo há emergências, intercorrências, como fraturas e machucões. Com os alinhadores, isso não existe. O tratamento fica mais fácil de ser conduzido", pontua Shimizu. Mas para que eles tenham efeito, o tempo de uso diário precisa ser de, no mínimo, 22 horas.

alinhador dental transparente - iStock - iStock
O alinhador "invisível" pode ser retirado a qualquer momento, o que facilita a escovação
Imagem: iStock

É possível saber qual será o resultado

Começar o tratamento sabendo exatamente como o sorriso vai ficar é outro fator que leva muita gente a optar pelos alinhadores. Isso é possível porque o acessório é feito a partir de modelos digitais dos dentes do paciente. Todo o planejamento do tratamento é feito num ambiente virtual com a ajuda de softwares tridimensionais, que simulam quais movimentações devem ocorrer nas arcadas e quantos alinhadores são necessários para obter o resultado desejado. Só então eles são fabricados, com materiais como o acetato e o poliuretano.

Cuidados essenciais

O maior risco que se corre com os alinhadores transparentes é o de perdê-los. Algumas pessoas fazem isso pois, ao tirar o acessório para comer em locais públicos, em vez de guardá-lo no estojo apropriado, envolve o alinhador num guardanapo e esquece sobre a mesa.

Falando em se alimentar, a recomendação é não ingerir nada com os alinhadores, nem mesmo bebidas. Café, vinho tinto, refrigerantes, chás e sucos de coloração escura mancham o aparelho. Para mantê-lo transparente, beba apenas água com ele.

Por último, é importante higienizar corretamente os alinhadores. Embora eles sejam trocados em pouco tempo, se não forem bem limpos podem se tornar um ambiente propício para a formação de placas bacterianas, que por sua vez, podem dar origem a cáries. A maneira de evitar que isso ocorra é escovar o aparelho com uma escova macia e creme dental. Existem ainda produtos específicos para a limpeza dos alinhadores --o ideal é usá-los uma vez por semana.

Ao término do tratamento, o paciente pode usar o alinhador como aparelho de contenção. Só que, nesse caso, em vez de ser ativo, ou seja, estimular a movimentação dos dentes, é utilizado um modelo passivo.

Claro que há desvantagens

Uma das queixas dos pacientes em relação aos alinhadores ortodônticos é que eles ainda são mais caros que o aparelho "convencional". Outra desvantagem é que eles não são indicados para todos os problemas.

"Existe um limite e eles não funcionam tão bem fazer alguns movimentos, como rotação, intrusão e extrusão dentária. Nesse ponto, em alguns movimentos biomecânicos e alguns movimentos dentários, o aparelho fixo leva vantagem", explica Lino.

Por esse motivo, o professor de ortodontia não acredita que o aparelho tradicional será aposentado devido aos alinhadores. "O profissional tem que ter visão clínica, experiência e bom senso para indicar a melhor ferramenta terapêutica para o paciente. Trabalho hoje com o conceito de tratamento híbrido. Fazer uma parte com o aparelho fixo e outra com o alinhador. Acredito que esse é o futuro da ortodontia".

SIGA O UOL VIVABEM NAS REDES SOCIAIS
Facebook - Instagram - YouTube

Saúde