PUBLICIDADE

Topo

Os vegetais crucíferos são realmente úteis para combater o câncer?

iStock
Imagem: iStock

28/12/2018 04h00

Não há dúvida de que vegetais crucíferos, que incluem brócolis, couve-flor e couve de Bruxelas, assim como nabos e folhas verdes escuras como couve e rúcula, são bons para você. Eles são ricos em fibras, baixos em calorias e repletos de nutrientes, incluindo vitaminas C, E e K, folato e minerais.

Agora, se comê-los também ajuda a prevenir o câncer é um assunto de intensa pesquisa, disse Vandana R. Sheth, porta-voz da Academia de Nutrição e Dietética. "Embora os estudos em animais de laboratório encontrem benefícios significativos no que diz respeito à proteção do DNA e ações antiinflamatórias", ela disse, "os resultados dos estudos em humanos são mistos".

Todos os vegetais crucíferos contêm glucosinolatos, substâncias naturais que se decompõem durante o corte, cozimento, mastigação e digestão em compostos biologicamente ativos chamados isotiocianatos e indóis. Em experimentos de laboratório em ratos e camundongos, esses compostos foram capazes de inibir cânceres da bexiga, mama, cólon, fígado, pulmão e estômago. Eles protegem as células do dano ao DNA inativando os carcinógenos e diminuindo a inflamação. Eles também podem ajudar a inibir a formação de vasos sanguíneos e a migração de células tumorais, processos que ajudam a disseminar o câncer.

Mas os estudos em humanos foram inconsistentes. Muitas pesquisas não encontraram associação entre a ingestão de vegetais crucíferos e cânceres de próstata, cólon e reto, pulmão ou mama. Outros estudos, no entanto, descobriram que os homens que comiam dietas ricas em vegetais crucíferos tinham menor risco de câncer de próstata, e que as mulheres cujas dietas eram ricas nesses vegetais tinham um risco menor de câncer de mama.

Um estudo holandês relatou que as mulheres que comiam muitos vegetais crucíferos apresentavam risco reduzido de câncer de cólon, mas não de câncer retal. E uma análise do estudo de uma enfermeira descobriu que as mulheres que comiam mais de cinco porções semanais de vegetais crucíferos tinham menor risco de câncer de pulmão.

A composição genética de uma pessoa pode ajudar a explicar as descobertas inconsistentes. Os cientistas aprenderam recentemente que metade da população não carrega um gene que determina quanto tempo o corpo retém e usa os compostos protetores derivados desses vegetais.

Vegetais crucíferos também contêm outros compostos protetores, incluindo carotenoides, pigmentos vegetais que podem controlar o crescimento celular anormal; vitamina C, que atua como antioxidante, protegendo as células e apoiando o sistema imunológico; e folato, que também pode ajudar a manter o DNA saudável e manter os genes promotores do câncer desligados.

Os vegetais crucíferos não têm amidos e são uma boa fonte de fibras, e a revisão da literatura feita pelo Instituto Americano para Pesquisa do Câncer concluiu que as dietas ricas em fibras dietéticas "convincentemente" diminuem o risco de câncer colorretal; que as dietas ricas em vegetais sem amidos "provavelmente" reduzem o risco de câncer de boca, garganta e caixa de voz; e que dietas ricas em alimentos contendo carotenoides "provavelmente" reduzem o risco de câncer de pulmão, bem como câncer de boca, garganta e caixa de voz.

O Fundo Mundial para Pesquisa do Câncer diz que há evidências limitadas sugerindo que vegetais sem amidos reduzem o risco de câncer de boca, garganta, caixa de voz, esôfago, pulmão e mama e fortes evidências de que a fibra diminui o risco de câncer de cólon.

Sheth alertou que é melhor obter esses nutrientes por meio da alimentação do que por suplementos dietéticos, uma vez que quantidades excessivas de algumas vitaminas e carotenoides podem ser prejudiciais. Embora muito pouco folato esteja associado a um risco aumentado de câncer colorretal, estudos recentes associaram quantidades extraordinariamente altas de ácido fólico --a forma encontrada em suplementos e alimentos fortificados-- a um risco aumentado de câncer colorretal.

Mas não há como errar ao incorporar muitos vegetais crucíferos em sua dieta, disse Sheth. "O resultado é que comer mais vegetais é bom para nós", disse ela.

O UOL VivaBem está no litoral paulista com o VivaBem no Verão. Um espaço com atividades para você se exercitar, mas também curtir e relaxar na entrada da Riviera de São Lourenço. Venha nos visitar!

Data: do dia 27 de dezembro de 2018 ao dia 03 de fevereiro de 2019, de quinta a domingo 
Horário: das 16h às 00h
Endereço: Avenida da Riviera, ao lado do shopping, na praia de Riviera de São Lourenço
Entrada: gratuita

SIGA O UOL VIVABEM NAS REDES SOCIAIS
Facebook - Instagram - YouTube