Topo

Saúde

Sintomas, prevenção e tratamentos para uma vida melhor


Saúde

Por que o risco de ataque cardíaco aumenta durante as festas de fim de ano?

Brigas durante a época de Natal e Ano-Novo aumentam estresse e chances de ataque cardíaco - iStock
Brigas durante a época de Natal e Ano-Novo aumentam estresse e chances de ataque cardíaco Imagem: iStock

Do UOL VivaBem, em São Paulo

20/12/2018 20h37

O fim do ano chega e com ele o Natal, Ano-Novo, férias e talvez mais ataques cardíacos. É triste pensar nisso, mas foi a conclusão de um novo estudo publicado no periódico científico British Medical Journal, que rastreou mais de 283 mil casos de ataque cardíaco entre 1998 e 2013. 

A análise mostrou que o risco de ter um ataque cardíaco é 37% maior do que o habitual no dia do Natal, e 20% maior do que o comum durante a celebração de virada do ano. 

Para os especialistas, os fatos não são mera coincidência. "Muitas pesquisas mostram que qualquer tipo de evento estressante que acontece em uma escala nacional -ou até mundial- aumenta o risco de ataques cardíacos", disse o cardiologista Christopher Kelly, em entrevista ao site da revista americana Men's Health. 

Estudos descobriram, por exemplo, que o risco de ataque cardíaco disparou na Alemanha nos dias em que a seleção de futebol do país jogava na Copa do Mundo, imagine só os números dos corações brasileiros neste momento. 

O estresse influi tão diretamente no funcionamento da circulação sanguínea que há até um consenso médico de que segundas-feiras são os dias em que mais se registram infartos -sim, todo mundo fica nervoso ao ter que voltar a trabalhar. 

Acontece que emoções fortes e muito estresse aumentam a atividade em uma região do cérebro chamada amígdala, e esses aumentos estão associados à inflamação nas artérias, responsáveis por fornecer sangue ao músculo do coração, e, com o passar dos anos, pode levar a doenças cardiovasculares e eventos relacionados ao coração. 

"Resumindo: o risco de ataque cardíaco a curto prazo é maior quando se está enfrentando estressores", concluiu Kelly.

Mas focando nas festas de fim de ano, as explicações estariam relacionadas com a pressão de comprar presentes, entregas no trabalho, viagens de horas, eventos familiares, ficar acordado até mais tarde, comer e beber demais... tudo pode contribuir para o estresse adicional. 

É importante deixar claro que, caso seu coração seja saudável, você não terá um ataque cardíaco só porque se envolveu em uma briga sobre as eleições com um primo que votou em um candidato que você detesta. Para que o coração fique vulnerável a esse tipo de ocorrência é preciso que ao longo de anos as artérias sofram com um problema de entupimento, por exemplo, e dificultem a passagem do sangue. Ter colesterol alto, diabetes, obesidade ou ter o hábito de fumar podem aumentar as chances de infarto

"O estresse pode potencializar a ação de placas perigosas nas artérias e elas podem causar um coágulo de sangue e bloquear a artéria, que não consegue suprir a necessidade de sangue no coração e leva ao ataque cardíaco", explicou Kelly. 

Na dúvida, se no meio das comemorações você estiver sentindo dor no tórax que causa reflexos nos ombros, braços, queixo e até abdômen, é melhor correr até o hospital.

SIGA O UOL VIVABEM NAS REDES SOCIAIS

Facebook - Instagram - YouTube

Saúde