PUBLICIDADE

Topo

Saúde

Sintomas, prevenção e tratamentos para uma vida melhor


Saúde

9 erros que (quase) todo homem comete ao fazer a barba

iStock
Imagem: iStock

Daniel Navas

Colaboração para o UOL VivaBem

19/09/2018 04h00

Tirar alguns minutos do dia --ou da semana -- para cuidar da barba é algo que faz parte da rotina da maioria dos homens. O que muitos não sabem é que esse hábito demanda cuidados. Listamos aqui erros comuns na hora de se barbear, que podem prejudicar sua pele. 

1. Passar a lâmina no sentido contrário do fio

O jeito correto, a fim de evitar irritação da pele e encravamento dos pelos, é passar a lâmina no sentido do crescimento dos fios. "Uma alternativa para quem prefere cortar no sentido contrário é fazer isso depois de uma primeira passada da lâmina acompanhando o crescimento do fio, o que já diminui o risco de agredir a pele", sugere Caio Lamunier, dermatologista da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD) e do Hospital das Clínicas de São Paulo. O lado certo de crescimento da barba é aquele que não oferece resistência quando você passa a mão pelos pelos.

2. Usar o sabonete em vez da espuma de barbear

O sabonete até ajuda a lâmina a deslizar, mas o produto não é apropriado para isso e pode ressecar a pele, eliminando a oleosidade natural que a protege, o que tende a gerar irritação e problemas como espinhas.

O indicado é usar um gel ou espuma específico para barbear. Eles têm componentes que ajudam a amolecer os fios da barba, proporcionando um corte suave e rente à pele --aplique o produto no rosto e aguarde uns minutos para ele agir antes de passar o barbeador. A espuma também facilita o deslizamento da lâmina e reduz o atrito com a pele, o que diminui o risco de irritação, cortes e arranhões.

VEJA TAMBÉM:

3. Usar água fria

O mais indicado é umedecer o rosto com água morna ou uma toalha molhada nessa temperatura. Isso ajuda a dilatar os poros e amolecer os pelos. "Dessa forma, fica mais fácil barbear com menos fricção da lâmina contra a pele", avisa Larissa Montanheiro, dermatologista do Hospital Sírio Libanês, em São Paulo. Ela lembra que a finalização do procedimento deve ser feita, aí sim, com água fria, a fim de fechar os poros.

4. Esquecer o pós-barba

O produto usado nessa etapa normalmente possui ativos calmantes e hidratantes, que promovem alívio da pele, auxiliam na cicatrização de possíveis cortes e arranhões e contribuem para a hidratação dos pelos que vão crescer.

O cosmético ideal vai depender do tipo de pele: 

  • "Na oleosa, por exemplo, o melhor é usar um produto em gel, que é mais leve, não estimula a produção de sebo e costuma apresentar propriedades refrescantes", indica Emily Alvernaz, médica pela Universidade Federal de Juiz de Fora com especialização em dermatologia e cirurgia estética.
  • Quem tem pele mais seca pode investir em um pós-barba em loção, que vai hidratar sem pesar ou deixar a pele pegajosa.
  •  Para peles sensíveis, o melhor são as versões tipo bálsamo, bem leves e confortáveis.

De acordo com Lilia Guadanhim, dermatologista da unidade de cosmiatria da Escola Paulista de Medicina da Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP), é bem importante dar preferência a um cosmético que contenha ativos com ação anti-inflamatória, como a niacinamida, que ajuda a manter a integridade da pele e reduzir processos inflamatórios que podem acabar resultando em manchas, foliculite e formação de acne.

iStock
Imagem: iStock

5. Usar lâmina velha

Depois de muito tempo em contato com a umidade, a lâmina apresenta sinais de oxidação e pode conter acúmulo de fungos e bactérias, que, em contato com a pele, provocam dermatites e até micose. Sem esquecer que a lâmina perde o corte depois de alguns usos, e passá-la nessas condições sobre a pele pode acabar machucando o rosto.

"Em média, a recomendação é trocar a lâmina a cada 20 dias de uso, aproximadamente", ensina João Gabriel Nunes, dermatologista pela Faculdade de Ciências Médicas de Minas Gerais e tricologista pelo Hospital da Pele de São Paulo. Isso se seu aparelho de barbear não for descartável, claro, pois nesse caso você deve usar apenas uma vez --ou o número recomendado pelo fabricante.

6. Não esfoliar o rosto

Uma esfoliação facial suave pelo menos uma vez por semana vai remover células mortas, reduzir a chance de pelos encravados e deixar a pele mais lisa, pronta para um bom deslizamento da lâmina. Nessa etapa, é importante fazer movimentos suaves, a fim de não machucar a pele, e evitar receitas caseiras, principalmente com ingredientes como limão (que pode irritar e manchar) e açúcar (os grãos muito grandes podem agredir o rosto).

VEJA TAMBÉM

7. Não lavar a lâmina após cada passagem no rosto

A cada passagem do barbeador sobre a face, é fundamental remover com água os fios e a espuma acumulados. Isso vai tornar o corte mais preciso --evitando ter que repassar a lâmina no mesmo local -- e prevenir contaminação

8. Pressionar o barbeador contra a face

O formato e o peso do aparelho costumam ser suficientes para um corte rente, preciso e seguro dos pelos. Se as lâminas estiverem novas, você não precisa aplicar nenhum tipo de pressão contra o rosto. "As lâminas novas cortam facilmente os fios. Ao usar a força, você pode causar feridas graves", alerta Alexandre Silva, barber artisan do Creative Salon, formado em cortes geométricos e professor na Assay Hair Academy, em São Paulo 

9. Secar o rosto esfregando a toalha

Isso vai acabar irritando a pele, que já está fragilizada. O correto é aplicar com cuidado uma toalha úmida no rosto, dando leves batidas, mas sem esfregar. Assim, você não corre o risco de piorar a situação de possíveis cortes ou arranhões e a recuperação da pele até o barbear seguinte será mais tranquila.

SIGA O UOL VIVABEM NAS REDES SOCIAIS
Facebook - Instagram - YouTube

Saúde