PUBLICIDADE

Topo

Saúde

Sintomas, prevenção e tratamentos para uma vida melhor


Saúde

"Gripe canina": novo vírus influenza é encontrado em cães chineses

iStock
Imagem: iStock

Do VivaBem

06/06/2018 11h43

Você deve se lembrar das gripes suína e aviária, que causaram certo medo anos atrás. Agora, um novo estudo mostra que o vírus influenza pode “pular” dos porcos para os cães. Publicada no periódico mBio, a pesquisa analisou detalhadamente os genomas de 16 vírus da gripe de cães na China e descobriu esse novo conjunto agentes biológicos originário dos porcos e que agora estão pulando em cães.

"Agora temos H1N1, H3N2 e H3N8 em cães. Eles estão começando a interagir uns com os outros. Isso lembra muito o que aconteceu em suínos 10 anos antes da pandemia de H1N1", diz Adolfo García-Sastre, um dos principais autores do estudo.

Veja também:

Normalmente, as pandemias de gripe são desencadeadas quando um vírus salta de aves para porcos e, finalmente, para humanos. Os vírus da influenza em uma população animal, onde há muitas variedades virais em um só lugar, podem se misturar para criar novas formas. Quando novas linhagens saltam para os humanos, nosso sistema imunológico --que não tem experiência com esses patógenos desconhecidos-- falha em nos proteger.

A pandemia de H1N1 em 2009, por exemplo, foi causada por um vírus que começou em aves; depois, passou para os porcos, onde pegou novos genes dos vírus da gripe já presentes nos porcos, antes de saltar para os humanos.

Embora muito menos comum, 15 anos atrás, os pesquisadores documentaram um vírus da gripe que havia entrado em um cavalo antes de pular em um cão. Este tornou-se o primeiro vírus da gripe canina circulante. Então, há cinco anos, um vírus da gripe canina de origem aviária foi descoberto em cães de criação na China.

Próximos passos e novas preocupações

Este novo vírus que os pesquisadores descobriram é o H1N1, mas é diferente do que causou a epidemia anterior. O próximo passo será testar o vírus no soro humano. "Se houver muita imunidade contra esses vírus, eles representarão um risco menor. O problema é que agora temos mais um hospedeiro no qual o vírus da influenza está criando diversidade em um hospedeiro que está em contato muito próximo aos seres humanos”, explica García-Sastre.

De acordo com o pesquisador, a diversidade de cães aumentou tanto que o tipo de combinações de vírus que podem ser criadas nesses animais representa um risco potencial de um vírus pular para um cão em um ser humano.

Nos Estados Unidos, sempre que a gripe aviária é detectada em uma população de aves, elas são abatidas. Esta seria uma solução impopular se o vírus infectasse cães domésticos. "Há tentativas de restringir o vírus da gripe em porcos através da vacinação, e pode-se considerar a vacinação para cães", sugere García-Sastre.

VIVABEM NAS REDES SOCIAIS
Facebook • Instagram • YouTube

Saúde