PUBLICIDADE

Topo

Saúde

Sintomas, prevenção e tratamentos para uma vida melhor


Saúde

Covid: Vendas de vacina da AstraZeneca alcançam R$ 5,9 bi no 1º semestre

Doses preparadas da vacina da AstraZeneca contra a covid são retratadas em um consultório médico em Deisenhofen, sul da Alemanha - Lennart Preiss/AFP
Doses preparadas da vacina da AstraZeneca contra a covid são retratadas em um consultório médico em Deisenhofen, sul da Alemanha Imagem: Lennart Preiss/AFP

Da AFP, em Londres

29/07/2021 07h53

O laboratório AstraZeneca anunciou hoje que as vendas de sua vacina contra a covid-19 alcançaram US$ 1,17 bilhão (cerca de R$ 5,97 bilhões) no primeiro semestre do ano. O valor corresponde à entrega de quase 319 milhões de doses em todo o mundo.

As vendas representaram US$ 572 milhões na Europa e US$ 455 milhões nos mercados emergentes, informou o grupo anglo-sueco em um comunicado.

O faturamento da empresa no período aumentou 23% em ritmo anual, a US$ 15,5 bilhões, e o lucro líquido da parte que possui o grupo (40%), a US$ 2,1 bilhões.

A farmacêutica destacou que os avanços em sua carteira de produtos em desenvolvimento e a recente compra da Alexion sustentam o crescimento a longo prazo.

"A AstraZeneca gerou um novo período de forte crescimento graças a um rendimento sólido em todas as regiões e em todas as patologias, sobretudo na área da oncologia", afirmou o CEO da empresa, Pascal Soriot.

O grupo anglo-sueco anunciou em meados de julho que o Reino Unido aprovou a compra, por US$ 39 bilhões, da empresa de biotecnologia americana Alexion, especializada em doenças raras.

Apesar dos números, a AstraZeneca "reconhece que há riscos e incertezas vinculadas ao impacto da covid-19, incluindo o impacto potencial de novos medicamentos contra o vírus que atualmente estão em fase de desenvolvimento clínico".

A vacina da AstraZeneca contra a covid-19 foi uma das primeiras a chegar ao mercado, mas gerou problemas para a empresa, sobretudo pelas dúvidas a respeito de sua eficácia e o surgimento de coágulos sanguíneos, muito raros, em alguns pacientes. Além disso, o grupo está envolvido em uma disputa judicial com a União Europeia pelas entregas de doses.

Saúde