PUBLICIDADE

Topo

Saúde

Sintomas, prevenção e tratamentos para uma vida melhor


Injeção anticoncepcional é mais eficaz? Veja como funciona e quem deve usar

Injeção anticoncepcional: saiba tudo do método contraceptivo - Getty Images/iStockphoto
Injeção anticoncepcional: saiba tudo do método contraceptivo Imagem: Getty Images/iStockphoto

Bárbara Therrie

Colaboração para VivaBem

14/05/2021 04h00

Uma boa opção para mulheres que querem evitar a gravidez são as injeções anticoncepcionais mensais. Tal método hormonal é recomendado principalmente para mulheres que não gostam —ou não podem— de fazer uso diário de um contraceptivo.

Mas em meio a isso surgem as tradicionais perguntas, tão importantes para a decisão de escolher um método anticoncepcional: como usar? Quais as vantagens e as desvantagens?

Tire essas e outras dúvidas abaixo.

Injeção anticoncepcional: como funciona e mais

O que é injeção anticoncepcional?

A injeção anticoncepcional mensal é um método contraceptivo na forma injetável, que evita a gravidez. A injeção deve ser usada mensalmente. Nesse sentido, é uma boa opção para mulheres que não desejam método hormonal de uso diário, tal como a pílula anticoncepcional, pois a mesma está sujeita a diminuição da proteção contraceptiva caso haja esquecimento do uso em algum dia.

Como a injeção anticoncepcional funciona?

A injeção anticoncepcional mensal possui a combinação de dois hormônios: a progesterona inibe a ovulação (principal mecanismo contraceptivo desse método), diminui a motilidade da tuba uterina (o que pode dificultar o encontro do óvulo com o espermatozoide) e torna o muco do colo do útero mais espesso. Já o estrogênio impede o crescimento dos folículos nos ovários e também torna o endométrio mais estável, favorecendo a ocorrência de ciclos menstruais previsíveis.

De quanto em quanto tempo a injeção pode ser aplicada?

A injeção mensal combinada deve ser aplicada a cada 30 dias, de acordo com a data da primeira aplicação. O método apresenta uma margem de segurança de aproximadamente três dias, permitindo o uso nos três dias antes ou depois de decorridos um mês da injeção anterior.

Se ocorrerem falhas no uso da injeção, a taxa de eficácia diminui, sendo aconselhado o uso de outro método contraceptivo associado, como o preservativo, nos primeiros sete dias após a aplicação do injetável.

Também é indicado conversar com seu médico para ele avaliar quando a nova dose da injeção pode ser administrada com segurança.

Para quem a injeção anticoncepcional é indicada e contraindicada?

A injeção é indicada para mulheres em idade reprodutiva que não desejam engravidar no momento. É recomendada para pacientes com dificuldade de tomar a pílula diariamente, seja por esquecimento ou por doenças que podem interferir na absorção desta, como as doenças inflamatórias intestinais.

O injetável mensal tem as mesmas restrições de um anticoncepcional combinado, sendo contraindicado para pessoas com risco de trombose (história familiar, sobrepeso ou até sedentarismo). Também não é indicado para mulheres com histórico de doenças cardiovasculares, doenças no fígado, tabagistas com mais de 35 anos, entre outros critérios que devem ser avaliados por um médico.

A injeção é aplicada pela mulher ou deve ser feita por um médico?

A injeção deve ser prescrita por um médico e aplicada em região intramuscular profunda. O mais recomendado é que a aplicação seja realizada por um profissional da área da saúde —uma opção é fazer na farmácia.

Em que parte do corpo ela é aplicada? Dói?

A injetável mensal pode ser aplicada no braço ou nas nádegas. A dor é individual, podendo causar um pequeno desconforto no local de aplicação, geralmente de leve intensidade. Entretanto, a maioria das mulheres não se queixa de dor no momento da injeção nem posteriormente.

Qual a eficácia da injeção anticoncepcional?

A injeção tem uma eficácia alta, com taxa de falha de 0,2 a cada 100 mulheres por ano.

Quanto tempo após tomar a injeção já estou protegida?

A proteção anticoncepcional inicia no primeiro ciclo de uso de injeção e a eficácia é elevada quando o uso é correto.

Quais os efeitos colaterais da injeção anticoncepcional?

Os principais efeitos colaterais são relacionados a distúrbios do ciclo menstrual (fluxo ausente ou prolongado, menstruação irregular). Nos primeiros três meses de uso da injeção, o fluxo pode ser mais intenso, porém tende a melhorar após o período de adaptação.

Algumas pacientes relatam edema, ganho de peso, acne, dor nas mamas e alteração no humor. Importante lembrar que cada paciente terá uma forma de se adaptar ao método contraceptivo.

A injeção anticoncepcional protege contra ISTs?

A injeção não protege contra as ISTs (infecções sexualmente transmissíveis). Nesses casos, a proteção é feita com os métodos de barreira, como os preservativos, e o não contato com as secreções. Vale reforçar que a injeção só evita a gravidez.

Posso demorar para engravidar depois de interromper o uso da injeção?

Uma das vantagens da injeção mensal combinada é que seu uso pode ser interrompido a qualquer momento e a fertilidade retorna em curto espaço de tempo —ou seja, a mulher já pode engravidar.

Onde posso comprar e quanto custa a injeção anticoncepcional?

Os preços podem variar: a injetável mensal custa em torno de R$ 20 a R$ 30 a depender do fabricante. Pode ser comprada em qualquer farmácia.

A injeção anticoncepcional engorda?

Um dos efeitos colaterais é o aumento do ganho de peso, principalmente devido aos efeitos dos hormônios no corpo e a retenção de líquido. No entanto, a maior queixa das pacientes que descontinuaram o método não é pelo ganho de peso, mas, sim, pelo ciclo menstrual imprevisível.

Por quanto tempo posso usar a injeção anticoncepcional?

Se não houver contraindicações, o método pode ser usado durante toda a vida reprodutiva, desde que avaliado por um médico.

Como funciona a injeção anticoncepcional trimestral?

A injeção anticoncepcional trimestral também evita a concepção, mas é um método anticoncepcional diferente da injeção mensal. O injetável trimestral contém apenas o progestagênio. Seu mecanismo de ação é principalmente no aumento da viscosidade do muco cervical e atrofiamento do endométrio, impedindo a gestação.

Sua aplicação deve ser feita nos braços ou nas nádegas a cada 12 semanas, com tolerância de no máximo uma semana depois —isto é, pode ser usada até a 13ª semana sem alteração na eficiência do método.

Uma das vantagens é a possibilidade de sua utilização no período de amamentação, pois é composta apenas pelo hormônio progesterona, que não contraindica a amamentação.

Uma das desvantagens do injetável trimestral é que o retorno da fertilidade pode ser mais tardio, uma vez que a dose de progesterona presente na injeção é de liberação lenta e pode demorar mais para ciclos ovulatórios ocorrerem após o término do uso.

A injeção anticoncepcional trimestral custa por volta de R$ 40 e pode ser comprada em qualquer farmácia.

Fonte: Ana Paula Avritscher Beck, ginecologista e obstetra do Departamento Materno Infantil do Hospital Israelita Albert Einstein (SP) e Giuliano Bedoschi, ginecologista, obstetra e especialista em reprodução humana certificado pela SBRA (Sociedade Brasileira de Reprodução Assistida) e doutor em ciências médicas

Saúde

Saúde