PUBLICIDADE

Topo

Saúde

Sintomas, prevenção e tratamentos para uma vida melhor


Ejaculação precoce: o que é, como tratar, evitar e outras dúvidas

iStock
Imagem: iStock

Do VivaBem, em São Paulo

03/07/2020 04h00

Dificilmente alguém cronometra quanto tempo demorou para gozar. Mas você já se perguntou algumas vezes se chegou ao orgasmo rápido demais? Esse questionamento é determinante para entender se a pessoa sofre ou não de ejaculação precoce, problema, que atinge um em cada quatro brasileiros, de acordo com a SBU (Sociedade Brasileira de Urologia). A condição está associada a fatores físicos e psicológicos e pode ser revertida com algumas técnicas e tratamentos médicos.

Tire dúvidas sobre ejaculação precoce

O que é ejaculação precoce?

Segundo o conceito médico, é quando o homem ejacula, sem conseguir controlar, antes da penetração ou em até 1 minuto após a penetração. A simples falta de controle da ejaculação, se estiver prejudicando o prazer do homem ou do casal, pode ser tratada com técnicas de psicoterapia e comportamentais. Geralmente, o paciente é treinado a perceber o nível de excitação por meio de estímulos progressivos —toque, masturbação, contato com par com e sem penetração— e a interrompê-los antes de ejacular.

O que causa a ejaculação precoce?

Ansiedade, depressão e problemas de autoimagem estão entre as possíveis causas que podem desencadear o quadro. Aliás, a disfunção é considerada um problema comum e dos mais prevalentes entre as disfunções sexuais masculinas.

Além dos fatores desencadeantes como os emocionais, existem questões genéticas que podem influenciar e condições como doenças da próstata ou hipertireoidismo que também podem levar ao problema.

Quais os fatores de risco para ejaculação precoce?

Os fatores físicos que desencadeiam a ejaculação precoce são: hipersensibilidade na zona peniana, doença da próstata, diabetes ou abuso de álcool, doenças da tiroide, lesões na coluna vertebral e o uso excessivo de medicamentos.

Como prevenir a ejaculação precoce?

Reconhecer o problema não é fácil, falar sobre ele, pior. Mas o diálogo pode diminuir bastante o estresse e a ansiedade, deixando o ato sexual mais orgânico e natural. Além disso, se o homem conseguir desenvolver formas de relaxamento fora do sexo e puder reproduzir este relaxamento na hora do ato sexual, terá mais facilidade de controlar a ejaculação.

Como saber se eu tenho ejaculação precoce?

Três critérios são necessários para que se considere o diagnóstico de ejaculação precoce. São eles:

  • Ejaculação que sempre, ou quase sempre, ocorre antes ou perto de 1 minutos após a penetração;
  • Incapacidade de atrasar a ejaculação em todas ou quase todas as penetrações;
  • Aparecimento de consequências negativas para o indivíduo como incômodo, frustração, tristeza e até evitação de intimidade sexual.

Ejaculação precoce tem cura? Como tratar?

O tratamento para ejaculação precoce é dividido em duas frentes: psicológica e medicamentosa. No primeiro caso, pode-se optar pela terapia sexual, em que o paciente —e sua parceira, caso haja— recebe informações sobre sexualidade. Para o tratamento medicamentoso, são usados inibidores seletivos de recaptação de serotonina, além de creme, spray ou gel à base de lidocaína. Eles provocam uma anestesia local e por isso ajudam a retardar o orgasmo. No entanto, podem causar efeitos colaterais como redução em demasia da sensibilidade da glande e da vagina —prejudicando o prazer. Por isso é importante sempre buscar orientação médica.

Qual o melhor remédio para ejaculação precoce?

Para o tratamento medicamentoso da ejaculação precoce são usados inibidores seletivos de recaptação de serotonina, além de creme, spray ou gel à base de lidocaína. Eles provocam uma anestesia local e por isso ajudam a retardar o orgasmo. No entanto, podem causar efeitos colaterais como redução em demasia da sensibilidade da glande e da vagina —prejudicando o prazer. Por isso é importante sempre buscar orientação médica.

Existem remédios caseiros para ejaculação precoce?

O que dá para ser feito em casa são exercícios de fortalecimento do assoalho pélvico, que são úteis para o tratamento. É possível fortalecer os músculos da região com atividades que se assemelham a "segurar o xixi". Um dos exercícios é interromper o jato de urina. O autoconhecimento e a percepção dos momentos anteriores à ejaculação também ajudam e podem ser obtidos durante a masturbação.

O ideal é procurar um urologista antes de se aventurar em qualquer tipo de tratamento, e vale lembrar que muitas ervas e plantas naturais também têm efeitos colaterais importantes.

Qual médico trata ejaculação precoce?

Todo homem que apresenta queixas relacionadas à ereção deve consultar o urologista. Além de avaliar os sintomas e o histórico do paciente, o médico pode solicitar alguns exames.

Ejaculação precoce mata?

Não, mas pode trazer prejuízos emocionais e de autoestima.

Homens circuncidados têm menos ejaculação precoce?

Não há evidência científica esclarecedora em relação aos efeitos da circuncisão na ejaculação precoce. "A exposição da glande após a remoção do prepúcio pode diminuir um pouco da sensibilidade, mas como o problema está ligado a um processo psicológico e cerebral, essa redução não acaba com o problema", aponta Alex Meller, urologista da Unifesp (Universidade Federal de São Paulo).

Masturbar-se é bom para "aprender" a controlar a ejaculação?

Sim. Você pode treinar para conseguir retardar o orgasmo. Ao perceber que vai chegar ao ápice do prazer, basta interromper os estímulos, aguardar um tempo e depois reiniciar. ?Apertar o pênis próximo a glande para diminuir a excitação é outro treinamento, assim como puxar o prepúcio toda vez que for urinar e manter a glande exposta na cueca?, fala Bruno Azevedo, urologista do Hospital São Luiz, em São Paulo.

Usar preservativo ajuda a evitar a ejaculação precoce?

Sim. Em alguns homens, a camisinha diminui um pouco a sensibilidade no pênis e pode fazer com que ele demore um pouco mais para ejacular.

Saúde